O caso envolvendo Cacá evidencia que o Cruzeiro precisa dar um real início à reconstrução

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Por Pedro Bueno

Após empatar em casa com o Tombense graças a Fábio, goleiro que defendeu um pênalti no 2º tempo, o Cruzeiro embarcou em mais uma polêmica extracampo. Dentro das quatro linhas a fase é ruim e a Raposa também vive um terrível momento fora de campo. 

O caso da vez envolve o zagueiro Cacá, cria da base cruzeirense que acabou de deixar a equipe rumando ao futebol japonês. Diferentemente de outras revelações da base, como Éderson, Jadsom Silva e Rafael, Cacá não havia entrado com nenhum processo contra o Cruzeiro. O jogador deixou a Raposa pela “porta da frente” e até se despediu dos ex-companheiros em março. 

Porém, com uma postagem em uma rede social, Cacá deixou claro que não está satisfeito com a forma com que o Cruzeiro está lidando com a sua saída. A Raposa rebateu com comprovantes, por meio de uma nota oficial, mas este caso deixou algo claro: o Cruzeiro precisa urgentemente dar um real início à reconstrução tão falada e pouco praticada.

Caso Cacá

A publicação do zagueiro

Na noite da última quinta-feira, o zagueiro Cacá publicou um desabafo na sua rede social – veja a íntegra no final da matéria. O atleta, cria da Toca da Raposa, afirmou que está bastante chateado com a falta de compromisso da atual administração do Cruzeiro, já que, segundo ele, o clube não cumpriu com o combinado. 

O jogador fez questão de ressaltar que abriu mão de alguns valores ao deixar a equipe, aceitou a redução salarial no período da pandemia e não entrou na Justiça contra o Cruzeiro, mesmo ficando quatro meses sem receber salários. Segundo Cacá, ele fez isso por respeito e amor à camisa.

Porém, na sua saída para o futebol japonês, o clube e o atleta fizeram um compromisso e, segundo Cacá, o Cruzeiro deveria ter pago um certo valor até o dia 16 de março. Nas palavras do jogador,  não houve o pagamento combinado e ele ainda escutou da diretoria que se ele quiser receber, terá que entrar na Justiça. Por isso, Cacá falou que, mesmo não querendo resolver a situação com o Cruzeiro desta maneira, terá que buscar o caminho que possa proporcionar o que é direito do atleta: a Justiça.

A resposta do Cruzeiro

Após a repercussão da publicação do zagueiro, o Cruzeiro publicou uma nota oficial se defendendo e afirmando que foi surpreendido pela publicação do zagueiro Cacá – veja a íntegra no final da matéria. Segundo a equipe, em nome da transparência, o clube achou justo trazer comprovantes e esclarecer detalhes do acordo e dos pagamentos que, segundo o Cruzeiro, já foram realizados.

Segundo a nota oficial, em 17 de fevereiro, o clube pagou uma parte considerável dos valores atrasados que o atleta tinha direito e em 23 de março acertou, com Cacá e com seu staff, a quantia referente à negociação. Somando estes dois pagamentos, o clube afirmou que pagou 591 mil reais ao atleta nos últimos dois meses. O Cruzeiro anexou os comprovantes desses pagamentos na nota oficial.

Mesmo falando dos compromissos honrados, o Cruzeiro assumiu que ainda está pendente o pagamento de 251 mil reais, referente ao restante dos valores atrasados, e o este valor foi acordado para ser pago nesta sexta, 2 de abril. Porém, devido ao bloqueio das contas da equipe, o Cruzeiro não irá pagar no dia prometido, sendo este o único atraso no caso Cacá, segundo a nota oficial do time. A Raposa se comprometeu a acertar este valor assim que as contas forem liberadas.

O Cruzeiro encerrou a sua nota oficial lamentando o conteúdo inverídico da postagem do ex-zagueiro e dizendo que, na ótica do clube, Cacá pode estar mal-orientado. Após esta postagem do Cruzeiro, Cacá voltou a falar sobre o caso nas suas redes sociais e disse que era uma vergonha uma postagem como esta da Raposa. 

Onde está a reconstrução?

Certamente, novos capítulos do Caso Cacá serão divulgados nos próximos dias, mas algo fica claro, mais uma vez: o amadorismo da diretoria cruzeirense. A tão falada reconstrução é uma balela comprada por poucos torcedores e boa parte da torcida cruzeirense cobra um comando melhor de Sérgio Santos Rodrigues e companhia.

O caos financeiro faz, cada dia mais, parte do cotidiano cruzeirense. Os problemas esportivos ficam mais evidentes após cada partida. O Cruzeiro está longe de voltar à Série A por causa da sua desorganização interna, a qual prejudica o andamento da equipe que, claramente, é fraca.

A reconstrução é necessária. O presidente Sérgio Santos Rodrigues prometeu desde o primeiro dia de mandato. No entanto, o que é possível ver no Cruzeiro é mais do mesmo. A equipe segue acumulando problemas com jogadores, não honrando com os seus compromissos básicos , como pagamento de salários, e a instituição está inserido em um problema catastrófico.

Onde está a tão prometida reconstrução? A partir de qual momento o Cruzeiro irá deixar de tratar os seus próprios atletas e funcionários com tanto desprezo? É hora – na verdade, já passou da hora – do Cruzeiro iniciar uma real mudança na sua estrutura. Só desta forma o time sairá deste enorme problema. A transparência e a honestidade são preponderantes para o futuro da Raposa. Cruzeiro, é urgente uma mudança!

A íntegra do desabafo de Cacá

“Olá nação AZUL ,Hoje venho aqui bastante chateado pelo fato que vem ocorrendo por falta de compromisso dos responsáveis pela atual administração do CRUZEIRO, Fiz um acordo do que seria meu por direito a receber e não me foi pago o que foi acordado.”

“Sou chefe de família, trabalho pra sustentar minha família e honrar com meus compromissos, Quando sai do Cruzeiro abri mão de 1/3 dos meus diretos econômicos que eu tinha por direito, aceitei a redução salarial em 25% no período da pandemia, fiquei desde setembro sem receber, fiz tudo pra favorecer ao clube por respeito e amor a camisa, Mais infelizmente fiz um acordo com os dirigentes do CRUZEIRO que na primeira parcela do pagamento da minha venda ao Japão eles me pagariam o que havia sido acordado, Assinamos o acordo no dia 24/02 a parcela foi paga no dia 16/03 há 20 dias aproximadamente, e não houve o pagamento, e estou indo embora pra outro clube sem receber o acordado.”

“E ainda ouvi que se quiser receber devo entrar na Justiça. Eu cheguei a ficar 4 meses sem receber e podia ter saído através da Justiça livre tendo total direito em qualquer negociação sem ter que passar algo ao clube,mas meu respeito pelo CRUZEIRO me fez acreditar que iriam ter o mesmo respiro por mim.”

“Estou desapontado e percebendo que eles não cumprem o que eles mesmos combinam. Enfim, lamento pelo enorme respeito que tenho ao Cruzeiro e também pelo torcedor, mas só estou buscando aquilo que é meu por direito e vou ter que ir pelo último caminho que eu não gostaria. Espero que todos tenham compreensão e entendam que não é Mercenarismo mas somente buscando o que é meu por direito.”

O post do Instagram está disponível aqui.

Nota oficial do Cruzeiro


“O Cruzeiro Esporte Clube informa que recebeu com surpresa e estranheza a publicação feita pelo atleta Cacá em suas redes sociais na noite desta quinta-feira (1º de abril de 2021), alegando que o Clube não cumpriu nada do que foi acordado em relação à sua recente saída para o futebol japonês.”

“Desta forma, em nome da transparência, o Cruzeiro esclarece que, no dia 17 de fevereiro de 2021, acertou parte considerável dos atrasados que eram de direito do atleta, na ordem de R$ 205.993,00.”

“O Clube também informa que, após a venda concretizada, no mês de março, repassou a Cacá e seu staff, com ciência de seu agente Leonardo, a quantia de US$ 70 mil (R$ 385.630,00 na conversão para Real), referentes à sua porcentagem na negociação. O pagamento foi efetuado no dia 23 de março de 2021.”

“Desta forma, mesmo em um momento de crise mundial com a pandemia, o Cruzeiro pagou ao atleta – que alegou de forma irresponsável não ter recebido nada – o valor de R$ 591.623,00 entre fevereiro e março de 2021, conforme demonstrado nos comprovantes ao final desta nota.”

“O Cruzeiro informa que ainda há pendente um pagamento de R$ 251.443,04 ao atleta, referente ao restante de seus atrasados, com vencimento previsto para esta sexta-feira, 2 de abril de 2021. O pagamento ainda não foi realizado somente devido a um bloqueio corrente nas contas do Clube, situação que infelizmente se tornou comum graças às dívidas acumuladas em gestões anteriores e desastrosas. O compromisso será cumprido assim que a conta esteja desbloqueada.”

“Por fim, o Cruzeiro lamenta o conteúdo inverídico da postagem de Cacá feita na noite desta quinta-feira e lamenta mais ainda a precipitação do seu ex-jogador, Cria da Toca, que talvez esteja sendo mal orientado, já que, mesmo tendo sido liberado pelo Clube para se apresentar dias após seus companheiros de elenco em fevereiro, preferiu não se apresentar na data combinada até que a venda fosse concretizada, se ausentando de diversos compromissos em um momento de contrato vigente com o Clube.”

A nota oficial e os comprovantes estão disponíveis aqui. 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários