Fábio salva e Cruzeiro empata com o Tombense; Atlético joga mal e perde para a Caldense. Veja o pós-jogo das partidas!

O goleiro Fábio salvou o Cruzeiro. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Nesta quinta-feira, 1º de abril, Atlético e Cruzeiro entraram em campo durante a tarde e as equipes decepcionaram as duas maiores torcidas de Minas Gerais. Com atuações vergonhosas, Galo e Raposa perderam pontos inesperados, mas justos, já que os adversários mereceram o resultado conquistado.

No Mineirão, Cruzeiro e Tombense se enfrentaram e o placar não sofreu alterações. O jogo válido pela 6ª rodada do Campeonato Mineiro ficou marcado pela defesa de Fábio em um pênalti cobrado por Paulinho, intervenção que definiu o 0 a 0 no placar.

Já no Ronaldão, em Poços de Caldas, o Atlético saiu ganhando, mas sofreu a virada da Caldense. A Veterana venceu o Galo por 2 a 1, em partida que também foi válida pela 6ª rodada do estadual.

Cruzeiro x Tombense

A análise

Um empate sem graça e sem gols. O 0 a 0 no placar deixou os dois times fora do G-4 da competição. Com oito pontos somados, o Cruzeiro ficou em 6º, enquanto o Tombense, com sete tentos conquistados, ficou na 8ª posição.

Desde o primeiro minuto foi possível ver que o Cruzeiro até estava bem disposto taticamente, mas os erros individuais comprometeram mais um jogo fraco da equipe azul celeste. Alguns passes importantes no campo de ataque foram errados e o time não conseguiu aproveitar nenhuma chance na 1ª etapa. Nos minutos iniciais do 2º tempo, após a entrada de Airton, a Raposa melhorou e conseguiu agredir o gol adversário, mas este bom início durou pouco e o time jogou mal, mais uma vez.

O empate foi salvo graças à defesa do goleiro Fábio. Com um pênalti defendido e duas boas intervenções, o jogador histórico salvou a equipe azul celeste, mais uma vez. Manoel, mesmo com algumas falhas, se destacou com desarmes importantes em meio a mais uma atuação ruim do Cruzeiro.

O jogo

1º tempo

A partida começou bem morna e equilibrada. A primeira boa chance aconteceu aos 22, quando Felipe Augusto cruzou e Matheus Barbosa cabeceou livre. A bola foi para fora. Quatro minutos depois, Bruno José estava no meio e girou. O ponta bateu no meio do gol e Felipe Garcia encaixou. O Tombense chegou em uma falta aos 27. A bola foi cruzada e o volante Pablo entrou livre. O camisa 8 chutou e isolou. 

A melhor oportunidade da Raposa na 1ª etapa aconteceu aos 42, após saída errada do Tombense. Depois de roubar a bola, houve uma ligação rápida e Rafael Sobis recebeu. O camisa 10 tocou para Felipe Augusto e, pela direita, Felipe bateu. A finalização foi feita dentro da área e o goleiro Felipe Garcia fez a defesa. A 1ª etapa se arrastou até o fim sem grandes jogadas.  

2º tempo

Os 45 minutos finais começaram mais animados. Nos primeiros segundos, Rodrigo Carioca encontrou Everton nas costas da defesa cruzeirense e o camisa 10 bateu firme. Fábio fez uma boa defesa. No minuto 2, Airton, atleta que havia acabado de entrar, recebeu de Marcinho, trouxe para o meio e chutou forte. Felipe Garcia fez a defesa. No minuto seguinte, após cruzamento de Bruno José e bola rebatida pelo goleiro do Tombense, o volante Pablo errou o domínio e entregou a bola no pé de Matheus Barbosa. O meio-campista do Cruzeiro finalizou e acertou a trave, na grande chance cruzeirense logo no minuto 3. 

O jogo se arrastou até o minuto 27 sem grandes chances: o Cruzeiro tentou algumas vezes, enquanto o Tombense teve bons minutos com domínio na parte ofensiva. E neste domínio do Gavião Carcará, o camisa 10, Everton, fez uma boa jogada pela esquerda e tocou para Jhemerson, que bateu forte no gol de Fábio. No meio do caminho, a bola bateu na mão de Alan Ruschel. Penalidade marcada para o Tombense e expulsão do lateral-esquerdo cruzeirense. Paulinho Dias cobrou o pênalti e recuou para o goleiro Fábio. Com o erro do camisa 7 do Tombense, o placar ficou em 0 a 0.

Com a desvantagem numérica, o Cruzeiro, praticamente, não atacou após o pênalti defendido. A única chegada nos minutos finais foi no minuto 42. William Pottker tabelou com Raúl Cáceres e bateu. A finalização do Pottker foi para fora. Aos 44, a defesa cruzeirense falhou e a bola sobrou para Alípio. Fábio abafou e evitou o gol do Tombense. A defesa do goleiro deu números finais à partida. Um empate decepcionante para a Raposa.

O Cruzeiro volta a campo no próximo domingo, 04, às 11 da manhã, contra o Boa Esporte, em Varginha.

Caldense x Atlético

A análise

A invencibilidade foi embora nesta partida e levou junto a confiança atleticana. O Atlético protagonizou uma atuação muito ruim em Poços de Caldas e perdeu com muita justiça. Mérito da Caldense, equipe que já venceu os três times da capital e é uma das surpresas do Mineiro de 2021. Mesmo assim, o Galo segue na liderança, enquanto a Caldense assumiu a 3ª colocação do estadual.

Um desempenho ruim desde o primeiro minuto até o minuto final. O Atlético teve a posse de bola, mas não conseguiu fazer bom uso do principal objeto do futebol. É incrível como a organização da equipe que encantou nas cinco primeiras partidas foi perdida no sul de Minas Gerais e o Atlético não mostrou nem 5% da qualidade imaginada e esperada por causa da escalação. O Galo contou com o time titular, mas acabou decepcionando a sua massa atleticana. Na verdade, a torcida atleticana, certamente, concluiu, após ver este jogo, que o time precisa encontrar ou recuperar o padrão de jogo.

Mesmo com uma atuação ruim de, praticamente, todos os jogadores, é necessário destacar a mudança surpreendente e incompreensível do treinador Cuca. Com desvantagem no placar e precisando marcar gols, o técnico do Galo tirou o lateral Mariano aos 39 do 2º tempo e colocou o zagueiro Igor Rabello como centroavante. Obviamente, a ideia não deu certo e o time atleticano pouco fez com um defensor atacando. Uma atuação vergonhosa do Atlético em Poços de Caldas.

O jogo

1º tempo

Os 45 minutos iniciais ficaram marcados por um jogo ruim atleticano, mas um gol de vantagem da equipe da capital. O gol do Galo aconteceu aos 22 do 1º tempo, na única chegada atleticana. Em falta lateral cobrada por Nacho Fernández, a bola foi na cabeça de Keno. O camisa 11 do Atlético raspou na bola e ela morreu no canto direito da meta da Caldense. 1 a 0 no placar do Ronaldão.

O gol do Galo foi a única boa chegada atleticana no 1º tempo, enquanto a Caldense chegou três vezes com perigo. No minuto 14, David Lazari arriscou de longa distância com a perna esquerda e a bola quicou na frente do goleiro Éverson. O arqueiro atleticano desviou “no susto” e salvou o Atlético. Aos 38, o lateral-direito Danilo Belão acelerou e bateu muito bem. O chute pegou efeito e passou muito perto da trave.

Para finalizar o 1º tempo, a Caldense teve uma grande chance. No minuto 40, a bola foi cruzada na área e Gabriel tentou cortar. A tentativa do zagueiro atleticano foi ruim e a bola foi para trás, chegando na cabeça de Rafael Peixoto. O atacante cabeceou e Éverson fez a defesa, novamente “ no susto”. Com isso, os 45 minutos iniciais terminaram com a vantagem atleticana.

2º tempo

Porém, a vantagem durou apenas quatro minutos. Aos 2, Tonini arriscou de fora da área e Éverson fez grande defesa no canto. Dois minutos depois, após escanteio cobrado pela direita, Amarildo recebeu na 2ª trave e tocou para trás, encontrando Verrone. O ala da Caldense bateu forte e a bola passou debaixo de Éverson, morrendo no fundo das redes. Empate da Caldense e 1 a 1 no placar do Ronaldão. 

O Atlético tentou reagir aos 5, em chegada de Vargas, mas o chute do chileno foi fora do gol. Mas foi a Caldense que chegou mais próximo do gol logo na sequência. No minuto 7, a bola foi cruzada na área e Rafael Peixoto deu um lindo voleio. Com muito reflexo, Éverson fez grande defesa, evitando o possível gol mais bonito do Campeonato Mineiro. 

A dificuldade atleticana e o oportunismo da Caldense

Mesmo com um elenco muito mais forte, o Atlético apresentava dificuldade para atacar a Caldense. O Galo chegou novamente aos 24, em jogada de Savarino na direita, onde a bola sobrou para Guilherme Arana e o lateral bateu. A bola passou próxima do gol da Caldense. No minuto 32, Nacho Fernández assustou em boa cobrança de falta que passou perto do travessão.

O Atlético não conseguiu dominar a partida e viu a aguerrida Caldense virar o jogo. Aos 36, Hyoran saiu jogando errado e foi desarmado por Gabriel Tonini. O volante teve campo livre e bateu de fora da área, encontrando o canto da meta de Éverson. Um belo gol da Caldense. 2 a 1 no placar do Ronaldão. 

O Atlético até chegou nos minutos finais, mas a falta de organização fez com que o time de Cuca não levasse perigo ao goleiro Passarelli. Allan, Arana e Nacho Fernández até tentaram finalizar, mas a Caldense segurou muito bem o adversário. Uma vitória justa do time de Poços de Caldas.

O Atlético volta a campo no próximo domingo, às 16 horas, contra o América, no Mineirão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários