Teve tango argentino! Em ótima estreia, Nacho comanda o Atlético na vitória sobre o Coimbra por 3 a 0

Foto: Pedro Souza / Atlético

Um gol, uma assistência e um pênalti sofrido nos 45 minutos iniciais. Nacho Fernández apresentou o seu cartão de visitas com a camisa atleticana e, certamente, encantou o torcedor do Galo com o seu tango argentino. Comandado por Nacho, o Atlético conquistou mais uma boa vitória e segue líder, com 100% de aproveitamento. O jogo ainda ficou marcado pela estreia do treinador Cuca que, depois de sete anos longe do Atlético, vestiu a camisa alvinegra novamente. 

Nesta sexta, 19, o Atlético venceu o Coimbra por 3 a 0 no Mineirão, em jogo válido pela 5ª rodada do Campeonato Mineiro de 2021. Os gols foram marcados por Nacho, Igor Rabello e Hulk. A partida ficou marcada com a primeira vitória neste confronto, visto que o duelo havia tido apenas um jogo – em 2020 – e o placar havia marcado 0 a 0. Portanto, o Galo abriu vantagem no retrospecto frente à equipe de Contagem.

Com o resultado, o Atlético segue com uma excelente vantagem na liderança e com uma ótima média de gols. Após quatro rodadas com o time alternativo, a equipe titular entrou na mesma pegada: são cinco jogos disputados, cinco vitórias e 15 pontos conquistados. Além disso, o Atlético marcou 15 gols – média de três gols por partida – e sofreu apenas dois tentos neste exemplar início de estadual. Já o Coimbra está ainda mais afundado na lanterna do campeonato: somente dois pontos foram conquistados e só um gol marcado.

O jogo e as atuações individuais

A atuação coletiva do Atlético foi ofuscada pelo argentino. Todos os olhares foram, desde o primeiro minuto, para Nacho Fernández e, a partir dos 20 minutos da 1ª etapa, o argentino respondeu à altura. O estreante tentou participar em todos os momentos ofensivos e pediu a bola com frequência, característica importante de um armador que não se esconde do jogo. Uma partida animadora, mesmo que seja contra um adversário modesto.

Mesmo com o bom resultado, com a tranquilidade da parte final e com mais três pontos na tabela, o Atlético deve ter atenção e entender o porquê que entrou tão desligado na partida. A falta de entrosamento e de ritmo era evidente, mas os primeiros 20 minutos foram assustadores, onde o Coimbra até marcou um gol e poderia ter machucado ainda mais o Atlético, se fosse um time um pouco mais talentoso. São pontos a serem corrigidos, já que a parte defensiva entrou desconcertada.

Os destaques individuais são muitos, pois foi uma boa partida atleticana, mas é importante ressaltar alguns nomes além de Nacho Fernández, atleta que foi citado anteriormente. Mariano, lateral tão contestado pela torcida, fez mais uma boa partida e está ganhando confiança para ser um jogador utilizável durante o ano. Igor Rabello e Éverson também estiveram bem na partida. Como ponto negativo, mesmo fazendo uma boa partida, Keno e Hulk ainda sentiram muito a falta de ritmo e de entrosamento. Algo normal no início de temporada. Outro destaque negativo foi a partida da dupla Allan e Jair, já que os dois jogadores, novamente, “bateram cabeça” ao atuarem juntos.

O primeiro tempo

Antes mesmo da escalação, a partida entre Atlético e Coimbra já era tratada como histórica, pois Cuca estava confirmado e iria reestrear neste jogo. Quando a escalação foi divulgada, o técnico optou por promover a estreia do grande reforço atleticano: Nacho Fernández. A formação do Galo contou com Éverson, Mariano, Igor Rabello, Alonso e Dodô; Jair, Allan e Nacho Fernández; Hulk, Vargas e Keno.

Início surpreendente do Coimbra

O Atlético tem um investimento muito maior e, consequentemente, um elenco muito melhor que o Coimbra. Porém, a equipe de Contagem começou assustando e chegou em três grandes oportunidades nos 15 minutos iniciais. Logo no 1º minuto, a defesa atleticana falhou, não fez a saída de jogo com qualidade e a bola ficou nos pés de Guilherme Santos. A cria da base atleticana estava livre, fez o giro e bateu de direita. O goleiro Éverson abafou muito bem e fez uma grande defesa.

Aos 6, Marquinho foi lançado e ganhou na velocidade de Igor Rabello. Com muita inteligência, o camisa 10 do Coimbra bateu cruzado e Éverson fez a defesa. Com o desvio do arqueiro atleticano, Guilherme Santos passou da bola e Igor dominou. O camisa 7 apenas empurrou para as redes, mas o auxiliar anulou o gol ao marcar o discutível toque de mão do atacante. Mesmo com o gol anulado, Igor não desanimou e chegou mais uma vez. Aos 16, após falta ofensiva do Atlético, o atacante do Coimbra acelerou e foi acompanhado apenas por Allan. Igor driblou o volante atleticano e bateu, mas a finalização foi ruim.

A reação atleticana

O Coimbra dominou os primeiros minutos, mas não conseguiu aproveitar as chances. E o Atlético não teve pena. O time alvinegro encaixou a partir do minuto 20 e deu início à boa vitória. Aos 26, Mariano tocou para Allan e o volante chutou de longa distância. O goleiro Jori espalmou e concedeu um escanteio para o Atlético. Na sequência, no rebote do tiro de canto, o paraguaio Junior Alonso deu um lindo passe “de três dedos” e encontrou Vargas entrando na área. O chileno cruzou bem e o argentino Nacho Fernández cabeceou para o fundo das redes. Gol dos “hermanos”. Gol de Nacho, logo na estreia. 1 a 0 para o Galo.

O Atlético seguiu dominando. Aos 30, Nacho Fernández lançou e Keno acelerou pela ponta esquerda. O camisa 11 do Galo viu Vargas no meio da zaga e cruzou rasteiro. O zagueiro Augusto cortou e evitou uma boa trama atleticana. Seis minutos depois, Nacho bateu uma falta rápida e colocou Eduardo Vargas na “cara do gol”. Mesmo com muita liberdade, Vargas bateu com a perna esquerda e Jori fez uma grande defesa. Na cobrança do escanteio, aos 37, Nacho Fernández colocou a bola na cabeça de Igor Rabello. O zagueiro atleticano cabeceou muito bem e a bola foi, praticamente, no ângulo. Um lindo gol de cabeça. 2 a 0 para o Atlético.

A vantagem no placar era boa, mas o Galo queria seguir abrindo vantagem no placar. Aos 43, Mariano tocou para Keno e o camisa 11 do Atlético fez uma grande jogada pela direita. Keno driblou e tentou tocar para Nacho, mas a defesa cortou. Na sobra, Nacho lutou e tocou na bola para salvá-la da linha de fundo. Quando o argentino fez este movimento, o lateral Lucas Hipólito cometeu uma falta dentro da área em Nacho. Pênalti marcado e muito bem convertido por Hulk. O camisa 7 do Galo cobrou com maestria, colocou a bola no ângulo direito do goleiro e balançou as redes pela primeira vez com a camisa alvinegra. 3 a 0 no marcador e fim de um 1º tempo maluco.

O segundo tempo

O Atlético voltou para os 45 minutos finais desligado – a vantagem construída no 1º tempo dava esta tranquilidade – e o Coimbra tentou aproveitar. O time de Contagem chegou três vezes no início da 2ª etapa e finalizou, mas os arremates foram de longa distância e nenhum teve direção certa. O lanterna do Campeonato Mineiro tem muitas limitações e não conseguiu aproveitar as chances reais do início da 1ª etapa, complicando o seu desempenho final.

Com a boa vantagem, o técnico estreante aproveitou para promover mudanças. Aos 13, Cuca sacou Mariano e Jair e colocou Guga e Zaracho. Oito minutos depois, Vargas e Allan deixaram o campo para a entrada de Sasha e Hyoran. Com isso, Zaracho foi escalado taticamente como um primeiro volante, função que ele estava desempenhando nas primeiras rodadas do Mineiro, ainda com o time alternativo. Aos 32, Keno deixou o campo para a entrada de Nathan, ou seja, Nacho Fernández, estreante da noite, jogou os 90 minutos.

O Atlético tinha a posse de bola, encontrou um Coimbra cansado e inofensivo no 2º tempo e chegou com perigo apenas no minuto 31. Em falta lateral, Nacho cobrou direto e tentou surpreender Jori, mas o goleiro fez uma boa defesa. No escanteio seguinte, Nacho Fernández cobrou muito bem – novamente – e Eduardo Sasha cabeceou na 2ª trave. O camisa 18 do Atlético tentou tirar do goleiro e a bola passou perto da meta do Coimbra.

Com a entrada dos jogadores que estavam no banco, o Atlético voltou a procurar mais o gol. Aos 36, Hulk lançou Hyoran e o meio-campista atleticano entrou na área, mas bateu muito mal na bola. Dois minutos depois, Hulk deixou Eduardo Sasha em boas condições e o atacante do Galo finalizou. O goleiro Jori havia saído e abafou Sasha, evitando o quarto gol atleticano. O Coimbra chegou aos 42, em boa jogada de Eduardo pela esquerda, mas Éverson fez uma boa defesa, garantindo mais um jogo sem sofrer gols para o Atlético e finalizando o 2º tempo desanimado.

O fim do jogo

O atleticano não deve empolgar, mas pode admirar o futebol de Nacho Fernández. É óbvio que o argentino deseja mais atuações com o brilho visto nesta noite e irá se esforçar por essa regularidade incrível, porém é necessário calma, pois não será sempre que o camisa 26 irá desequilibrar como na partida desta sexta. Enquanto isso, o torcedor tem todo o direito de admirar o talento incontestável de Nacho.

Já o time de Cuca apresentou alguns erros, principalmente nos 20 minutos iniciais, mas ninguém esperava uma partida perfeita dos jogadores na estreia e o estadual tem, justamente, esta importância: errar, corrigir e evoluir para as competições mais importantes da temporada.

Com a paralisação do futebol a partir da próxima segunda-feira, 22, não é possível concluir quando acontecerá a próxima partida do Atlético.

Números da partida
Atlético x Coimbra

57% Posse de bola 43%
13 Finalizações 11
8 Finalizações no gol 3
8 Escanteios 1
6 Impedimentos 1
16 Faltas 16
570 Passes 308
526 (92,3%) Passes certos 278 (90,3%)
Fonte: Footstats

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.