Com emoção desnecessária, Cruzeiro empata com o São Raimundo e se classifica na Copa do Brasil

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

A partida desta noite pode ser definida pela metáfora do copo meio cheio e meio vazio. O Cruzeiro se classificou para a 2ª fase da Copa do Brasil, arrecadou 1,35 milhões de premiação e fez a sua obrigação nesta primeira partida da competição. Esta é a parte cheia do copo. Já na parte vazia, a Raposa fez a sua pior atuação no ano e quase foi eliminada por uma equipe bem modesta – se classificou porque está melhor posicionada no ranking da CBF e, por isso, tinha a vantagem do empate. O jogo teve uma emoção desnecessária pelo tamanho do Cruzeiro e pelo que poderia apresentar em campo. Sofreu muito, mas se classificou. 

Nesta quinta, 11, o Cruzeiro empatou por 1 a 1 com o São Raimundo no estádio Canarinho, em Boa Vista, capital de Roraima. O jogo foi válido pela 1ª fase da Copa do Brasil e a Raposa irá enfrentar o América-RN na próxima fase da competição. Uma curiosidade é que em 2020, o time mineiro também empatou com o Mundão, em Roraima, na 1ª fase da Copa do Brasil, e se classificou devido à vantagem do empate.

O jogo e as atuações individuais

Um vexame histórico foi evitado por um ídolo histórico. Fábio fez pelo menos três grandes defesas e salvou a equipe celeste. Perder para o modesto time do São Raimundo seria vergonhoso devido ao elenco do adversário e pela necessidade que o Cruzeiro tem em se classificar para arrecadar o máximo de dinheiro possível. O desempenho vergonhoso pode ser justificado pelo gramado ruim, mas boa parte dos erros devem ser reconhecidos.

É importante detalhar o que aconteceu no 1º tempo, mesmo com a classificação cruzeirense. O time mineiro não conseguiu jogar, não agrediu o modesto clube de Roraima e saiu com apenas um gol de desvantagem por causa que conta com um grande goleiro. O São Raimundo jogou melhor e encontrou um time bom, mas atuando muito mal. O Cruzeiro não conseguiu trocar passes com qualidade e não realizou a saída de bola corretamente no 1º tempo. 45 minutos iniciais para não serem repetidos nunca mais.

Mesmo com o empate, o desempenho do 2º tempo também não agradou. O time empatou a partida, em ótimo cruzamento de Cáceres e cabeceio importante de Felipe Augusto, mas não conseguiu mostrar a sua superioridade. O time chegou apenas duas vezes com mais perigo após o gol de empate e, em resumo, protagonizou uma atuação coletivamente vergonhosa. O grande destaque positivo é o goleiro Fábio, ídolo que salvou a Raposa de um grande vexame. Felipe Augusto e Marcelo Moreno são os outros únicos pontos positivos da partida, já que os atacantes entraram bem na 2ª etapa.

O primeiro tempo

O Cruzeiro de Felipe Conceição entrou em campo, mais uma vez, com a escalação modificada. Devido às ausências dos zagueiros Manoel, Paulo e Weverton, o técnico da Raposa promoveu a estreia de Eduardo Brock, o único dos sete reforços que não havia estreado. A outra mudança foi a entrada de Bruno José no lugar do contestado William Pottker. A escalação cruzeirense contou com Fábio, Raúl Cáceres, Eduardo Brock, Ramon e Alan Ruschel; Adriano, Matheus Barbosa e Claudinho; Airton, Rafael Sobis e Bruno José.

O Cruzeiro carregava a obrigação de vencer, mas a equipe que abriu o placar foi o São Raimundo. Aos 8, o time mineiro cobrou o escanteio e a bola ficou com o goleiro André. Com muita inteligência, o arqueiro ligou o contragolpe com rapidez e a consequência da esperteza foi o gol. O contra-ataque foi muito bom e a bola ficou com o lateral-direito Carlinhos. O ala fez um ótimo cruzamento e Fininho cabeceou muito bem. Um belo gol do São Raimundo e uma grande falha do Cruzeiro, já que Raúl Cáceres perdeu na jogada aérea para Fininho e Eduardo Brock sequer havia chegado na área. 1 a 0 para o Mundão.

Mesmo com a vantagem no placar e com a inferioridade na questão dos elencos, o São Raimundo seguiu atacando. No minuto 15, Ygor recebeu após a defesa cruzeirense cortar o escanteio e arriscou. O chute de fora da área do camisa 7 obrigou Fábio a fazer uma grande defesa. Aos 17, Carlinhos recebeu na direita e levou para o meio. O ala-direito, que é destro, finalizou com a perna esquerda e o goleiro Fábio fez outra defesa.

O Cruzeiro chegou com perigo pela primeira vez aos 18 minutos. Claudinho cobrou escanteio e o zagueiro Ramon cabeceou bem. A tentativa do camisa 4 acertou o travessão e assustou a equipe do São Raimundo. Na sequência, Bruno José ficou com a bola e cruzou na segunda trave, encontrando Airton. O ponta cruzeirense também cabeceou e, desta vez, o goleiro André encaixou.

O jogo estava morno e as dificuldades cruzeirenses eram evidentes, enquanto o Mundão escapava. Aos 33, Claudinho entrou na área e finalizou. O chute do atleta da Raposa tinha direção, mas o defensor do São Raimundo bloqueou. No minuto 42, o São Raimundo quase ampliou. Ygor tocou para Carlinhos e o lateral, novamente, arriscou. O goleiro Fábio fez grande defesa. Antes do apito final, o Cruzeiro chegou. Aos 46, Airton cruzou rasteiro, Bruno José ajeitou e Rafael Sobis bateu para o gol. O goleiro do Mundão encaixou, dando números finais ao primeiro tempo.

O segundo tempo

Obviamente, o técnico Felipe Conceição não estava nada satisfeito durante o intervalo e isso ficou claro no momento em que o treinador promoveu três substituições logo no início do 2º tempo. Bruno José, Claudinho e Rafael Sobis saíram e os escolhidos para entrar foram Felipe Augusto, Marcelo Moreno e Marcinho.

E as mudanças cruzeirenses deram resultado rapidamente. Aos 3, Alan Ruschel bateu lateral e Moreno raspou com a cabeça. A bola quicou no gramado ruim e subiu, surpreendendo André. O goleiro fez uma grande defesa e salvou o São Raimundo. No minuto 8, o arqueiro não conseguiu evitar o gol cruzeirense. Raúl Cáceres foi lançado na direita e fez um belo cruzamento para os companheiros que estavam na área. Felipe Augusto entrou como um centroavante e cabeceou muito bem, no canto esquerdo do goleiro André. Um importante gol para o Cruzeiro. 1 a 1 no placar do Estádio Canarinho.

Com a necessidade de fazer um gol para se classificar, o São Raimundo chegou com perigo. Aos 22, após bate-rebate na área, a bola sobrou no pé esquerdo de Tavinho. O camisa 10 do Mundão finalizou e a bola passou muito perto da trave de Fábio. No lance seguinte, o lateral-esquerdo Maia cruzou, Eric cabeceou para o meio da área e, em uma dividida, Fábio evitou o gol do São Raimundo.

O Cruzeiro só chegou no gol adversário depois de mais de 20 minutos do gol de empate. Aos 29, Matheus Pereira, lateral que havia acabado de entrar em campo, cruzou muito bem e Marcelo Moreno cabeceou. O goleiro André fez grande defesa e, quando foi encaixar, sofreu falta de Airton. Três minutos depois, o cruzamento foi feito pela direita e Marcelo Moreno escorou para Felipe Augusto. O autor do gol finalizou bem e o arqueiro do São Raimundo fez outra grande defesa. A bola espalmada por André ainda bateu no travessão.

Precisando de só um gol, o São Raimundo, mesmo muito desgastado fisicamente, chegou bem nos minutos finais. Aos 42, o Mundão teve uma falta na entrada da área, mas a cobrança ficou na barreira. No rebote, Matheus tocou para Stanley e o camisa 25 foi abafado pelo goleiro Fábio. O atleta chegou a pedir pênalti, mas a intervenção do goleiro cruzeirense foi, mais uma vez, perfeita.

O fim do jogo

Apito final e classificação na bagagem do time mineiro. O Cruzeiro irá retornar para Minas Gerais com 1,35 milhões de premiação garantida, mas com uma lembrança muito ruim da apresentação. A Raposa fez uma partida terrível e, por causa dos investimentos, não poderia ter encarado o São Raimundo da forma que encarou. Méritos do time de Roraima que fez a partida da vida, mas muito demérito de uma equipe que carece de uma reconstrução ainda mais profunda.

O Cruzeiro volta a campo no próximo domingo, 14, às 16 horas, contra o Athletic, no Mineirão. 

Números da partida
São Raimundo-RR x Cruzeiro
50% Posse de bola 50%
9 Finalizações 15
5 Finalizações no gol 9
8 Escanteios 4
17 Faltas 19
235 Passes 333
197 (83,8%)Passes certos 282(84,7%)
Fonte: Footstats.com

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários