Chegou o dia dos torcedores se despedirem de São Victor, o maior goleiro da história do Atlético!

Fotos: Pedro Souza / Atlético

Por Pedro Bueno

Victor Leandro Bagy chegou há 3166 dias. O goleiro realizou o seu maior milagre há 2831 dias. Além disso, o São Victor fez inúmeras defesas, levantou várias taças e, principalmente, honrou a camisa atleticana em 423 jogos. E a 424ª partida será a última. O jogo do adeus do ídolo do Galo será disputado neste domingo, 28 de fevereiro de 2021. A despedida de Victor será marcante para uma geração de atleticanos.

O Atlético enfrenta o URT no Mineirão às 18:15, em jogo válido pela 1ª rodada do Campeonato Mineiro de 2021. Enquanto a temporada e o estadual se iniciam, o torcedor atleticano está em clima de despedida, pois o maior jogador do século atleticano irá fazer a sua última partida com a camisa alvinegra.

Gratidão por São Victor

Um sentimento que toma conta de todos os torcedores atleticanos é gratidão por tudo que Victor Leandro Bagy fez com a camisa atleticana. A última temporada, quando ele foi a 3ª opção e quase não jogou, foi ainda mais importante para ressaltar o tamanho do ser humano que vestiu a camisa 83 quando chegou e depois trocou para o número 1. E, para muitos atleticanos, Victor é número 1 em tudo. 

O grande goleiro chegou em 29 de junho de 2012, resolveu um grande problema, conquistou grandes títulos e se tornou um grande ídolo. Talvez, Victor não tenha noção de quão grande é para boa parte dos torcedores atleticanos. Talvez, o Santo não tenha noção de quantos Victor’s nasceram depois de 2012 por sua “culpa”. Talvez, Victor Leandro Bagy não saiba como esta despedida mexe com os torcedores. Mas talvez o goleiro entenda isso, porque ele realmente entendeu o que é ser atleticano.

A torcida mais chata do Brasil, certamente, agradeceu muito pela contratação e o problema não foi goleiro com Victor. Fonte: Twitter oficial do Alexandre Kalil, ex-presidente do Atlético, no dia da contratação de Victor.

Com o jogo desta noite, Victor chegará aos 424 jogos em nove temporadas de Atlético. O São Victor esteve presente na década mais importante da história do Galo e teve raça, qualidade e determinação em cada um dos troféus levantados. O goleiro conquistou a Libertadores de 2013, a Copa do Brasil 2014 e a Recopa Sul-Americana de 2014, além do tetracampeonato estadual. 

Por causa de todos os milagres, títulos e defesas incríveis de Victor, o atleticano queria demonstrar esta gratidão em campo. Certamente, o Mineirão estaria lotado para os fãs se despedirem do maior ídolo dessa geração. Porém, infelizmente, a pandemia do coronavírus atrapalhou os sonhos e a despedida será sem público. Mas o carinho da massa atleticana será eterna e Victor sabe disso. Um ídolo indiscutível!

Os milagres que canonizaram

Ninguém se torna Santo sem ter feitos notáveis para um grupo de pessoas. Victor Leandro Bagy fez inúmeros milagres e São Victor do Horto foi canonizado por unanimidade na torcida atleticana. A massa alvinegra idolatra Victor e o valorizou durante todos estes anos. Obviamente, a despedida estava se aproximando e a idade pesou, mas nenhum atleticano espera que o Santo abandone o clube. O Atlético é a parte mais importante da carreira de Victor e Victor é uma parte inesquecível da história do Clube Atlético Mineiro e todos os seus torcedores. 

Certamente, você se lembra quando Duvier Riascos partiu para a bola e Victor, de bico, isolou. Aquela cobrança contra o Tijuana, em 30 de maio de 2013, há exatos 2831 dias, marcou todos os amantes do futebol e, principalmente, os torcedores do Galo. 

Certamente, todo atleticano sabe onde e com quem estava e qual reação teve neste lance, o maior momento da história do Atlético. Foto: Reuters.

Quartas de final da Libertadores, 47 minutos do 2º tempo e o ídolo Leonardo Silva cometeu um pênalti evitável. O sonho de conquistar a América estava depositado em Victor e o pé esquerdo mais famoso do Brasil fez o seu milagre. Riascos chutou no meio e Victor deixou de ser um simples goleiro. Ao pular para a sua direita e defender com o pé esquerdo o pênalti no último minuto, os atleticanos tinham certeza que estavam presenciando um milagre. E aquele milagre havia sido feito por uma força divina. O São Victor do Horto se tornou o nome mais amado da torcida alvinegra. 

Na semifinal da Libertadores, contra o Newell ‘s Old Boys, Victor defendeu o pênalti decisivo de Maxi Rodríguez e colocou o Atlético na final inédita da competição continental. Na decisão, o jogo foi novamente para os pênaltis e o goleiro alvinegro defendeu o 1º pênalti com o mesmo pé esquerdo. A última cobrança bateu na trave de São Victor e o goleiro comemorou o título histórico da Libertadores. 

Victor carregado após o título da Libertadores. Foto: Goal.com

Na conquista da Copa do Brasil, da Recopa e nos Campeonatos Mineiros vencidos, a presença de Victor também fez a diferença. Em inúmeros jogos do Brasileirão, Victor fez lindas defesas e salvou o Atlético de resultados piores. A sua função foi feita como poucos no futebol brasileiro. A sua função foi feita como nenhum no Atlético. Victor Leandro Bagy é o maior goleiro da história do Atlético!

A despedida

Em qualquer situação da vida, é complicado dizer adeus. Obviamente, tratar o futebol como uma morte é algo exagerado, pois Victor, certamente, estará presente em eventos do Atlético e a torcida espera que ele esteja na Cidade do Galo por muitos anos. Porém, dentro do mundo do futebol, a despedida de um ídolo é sempre emocionante. Trata-se da última partida de um jogador que te fez sorrir, gritar, chorar e pular várias vezes.

A última defesa do goleiro com a camisa atleticana irá acontecer neste domingo, 28, sem torcida no estádio. A despedida será silenciosa e bem diferente do adeus que São Victor merece. Infelizmente, a pandemia coincidiu com o fim do ciclo. Um mês após completar 38 anos, Victor não é mais o mesmo e as diversas lesões prejudicaram o seu fim de carreira. Um cargo administrativo, como o de Leonardo Silva, seria a retribuição perfeita do Atlético para manter o seu ídolo próximo. A diretoria do Galo não confirmou nada, porém é o caminho mais provável e esperado pela massa atleticana. 

Uma história foi escrita e a maioria dos torcedores teve a felicidade de ver. Victor é o maior goleiro, o jogador mais decisivo e, certamente, um dos maiores atletas que já vestiu o manto alvinegro. Não é exagero afirmar isso, pois os números, os fatos e a importância de Victor justificam. São Victor do Horto é eterno. A sua história é inesquecível. Um goleiro que moveu montanhas e libertou o Atlético. O maior: Victor Leandro Bagy!

O jogo

Além da importantíssima e histórica despedida de Victor, o jogo valerá os primeiros três pontos da nova temporada. O Galo deu férias para um grupo de 14 jogadores que atuaram com maior frequência no Brasileirão – Éverson, Guga, Réver, Alonso, Arana, Franco, Allan, Jair, Nathan, Hyoran, Savarino, Sasha, Vargas e Keno – e utilizará parte do time reserva e os jovens da base neste início do Campeonato Mineiro. O atacante Diego Tardelli que, assim como Victor, tem contrato apenas até hoje, dia 28 de fevereiro, deve renovar e permanecer pelo menos até o fim do estadual.

O adversário do Atlético é o URT, time de Patos de Minas que busca uma campanha melhor do que em 2020. Na última temporada, o time ficou apenas em 9º e ficou distante das boas campanhas dos anos anteriores, onde o URT foi semifinalista e conseguiu impor um bom futebol contra as equipes tradicionais. O time patense, certamente, deseja surpreender o Atlético e pontuar neste domingo para ganhar moral.

Atlético x URT
1ª rodada do Campeonato Mineiro de 2021
28/02/2021, 18:15 horas, Mineirão
Transmissão: Premiere
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Celso Luiz da Silva (MG) e Leonardo Henrique Pereira (MG).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários