Atleticano, você lembra quando aconteceu o último gol de falta do Galo?

Foto: Ramon Lisboa/EM/D.A. Press

Certamente, você já ouviu falar que os batedores de falta sumiram e que no futebol moderno, principalmente no Brasil, não possui mais estes jogadores. E, no Atlético, essa frase pode ser usada com tranquilidade. O Atlético vive uma seca de gols de falta e o elenco desta temporada é carente de um grande cobrador.

Hyoran é o atleta que mais se atreve nas cobranças e até acertou o travessão em uma oportunidade, contra o Coritiba, na única cobrança atleticana que realmente levou perigo nos últimos meses. Keno também tentou algumas vezes, mas não foi bem. Éverson é bom cobrador, marcou gols pelo Ceará, sua equipe anterior antes de ir para o Santos, mas ainda não cobrou nenhuma falta com a camisa do Galo.

Com essa deficiência no plantel, era certo que a diretoria atleticana iria atrás de algum jogador para a próxima temporada que fosse especialista em bola parada. Hulk chegou e, se estiver com o pé calibrado, poderá dar alegrias ao torcedor. Os últimos bons batedores de falta que vestiram o manto alvinegro foram Juan Cazares e Romulo Otero, porém os dois estrangeiros deixaram a equipe nesta temporada e foram para o Corinthians.

E foi o venezuelano que marcou o último gol de falta do Atlético – o único em 2020. Em 20 de fevereiro, praticamente há um ano, o Atlético ainda era comandado por Rafael Dudamel, ainda havia torcida nos estádios e o torcedor teve o prazer de comemorar o último gol de cobrança de falta da sua equipe do coração. Ou seja, sob comando de Jorge Sampaoli, o Atlético não marcou nenhum gol de falta e esta seca irá completar um ano.

O último tento de falta

Há 361 dias, o Atlético recebeu o Unión-ARG com uma missão bem complicada: devolver o placar da partida de ida – 3 a 0 para o time argentino. Por isso, o Atlético começou em cima e logo marcou dois gols. O primeiro com Otero e o segundo com Hyoran, de pênalti. O placar do Independência marcava 2 a 0 com 29 minutos da 1ª etapa e o torcedor se animou, porém as redes não balançaram mais e o Atlético foi eliminado.

A única boa recordação daquela partida foi o 1º gol atleticano. O árbitro marcou uma falta de longa distância, mas não há distância que intimide Romulo Otero. O baixinho acertou um belo chute no canto do goleiro e a curva acabou impedindo qualquer intervenção do arqueiro do Unión. Um belo gol e o último tento atleticano marcado desde uma falta.

O Atlético terá dois jogos importantes até o final do Brasileirão, pois tem o objetivo de ficar entre os 4 primeiros colocados, a fim de se garantir diretamente na próxima Libertadores. Por isso, ter variação nas possibilidades de gols poderia ser um trunfo para não ser tão previsível e treinar mais as cobranças de falta é um bom caminho para algum jogador do Galo surpreender o adversário.

Tem que ter talento, mas também disposição para treinar, treinar e treinar este fundamento que está em falta no futebol brasileiro. A torcida, certamente, espera que, em 2021, o Clube Atlético Mineiro faça mais gols de cobrança de falta, visto que o tento de Otero foi o único de 2020.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.