Mesmo com especulações, o Atlético de Sampaoli enfrenta o Bahia neste sábado com a obrigação de vencer

Fotos: Pedro Souza / Atlético

O Atlético chegou na reta final do Brasileirão com chances de título – 4,3% segundo a UFMG – mas vive uma situação inesperada: as especulações sobre a possível saída de Sampaoli e a chegada de um novo treinador lotaram a semana do atleticano. As chances, mesmo que pequenas, de ganhar o campeonato foram esquecidas e a obrigação de vencer para definir a participação da equipe na fase de grupos da Libertadores 2021 não foram repercutidas pela quantidade de polêmicas extracampo. Por isso é importante ressaltar: o triunfo neste sábado é obrigação para as pretensões atleticanas.

Neste sábado, 13, às 19 horas, o Atlético recebe o Bahia no Mineirão. A partida é válida pela 36ª rodada do Brasileirão e, enquanto o Galo deseja se aproximar de um improvável, contudo, possível título, o Tricolor de Aço quer se distanciar da zona do rebaixamento. Este importante confronto teve um placar bom para a equipe baiana no 1º turno: no Pituaçu, o Bahia venceu por 3 a 1, de virada, em grande atuação de Gilberto.

A tabela, o momento e os números

A 36ª rodada será marcada pelo encontro entre extremos: Atlético e Bahia tem ambições diferentes, porém ambos têm desejos importantíssimos e almejam o triunfo. Mesmo após empatar sem gols com o Fluminense na última rodada, o Galo é o 3º, com 61 pontos, e, se vencer no sábado, pode ficar dois pontos atrás do líder Internacional. Sendo assim, a torcida atleticana secaria o Colorado e o Flamengo no domingo, tentando diminuir a distância para a liderança. Uma vitória também, praticamente, consolidaria o Atlético na fase de grupos da próxima Libertadores.

Já o Bahia é dono da 16ª posição e tem que torcer para o Vasco não vencer o líder Internacional, pois o time carioca e a equipe baiana estão com os mesmos 37 pontos e viram Fortaleza e Sport se distanciar na última rodada, quando o Bahia empatou por 3 a 3 com o Goiás, em um jogo inusitado e deu continuidade à sequência de três jogos sem vencer.

A grande curiosidade do duelo desta noite é que o Atlético é o 2º melhor ataque da competição, com 58 bolas na rede, enquanto o Bahia é a segunda pior defesa, com 58 gols sofridos. A coincidência dos números não é explicada pelo primeiro jogo entre as equipes, já que o time que tem um bom ataque fez apenas um gol e a equipe que tem a defesa mais fraca acabou sofrendo um gol e marcou três, no importante triunfo do Bahia em 19 de outubro.

O retrospecto é um ponto positivo para a torcida atleticana. As equipes disputaram 63 jogos e o Atlético venceu em 29 oportunidades. O Bahia saiu de campo com o triunfo 16 vezes e houve empate em 18 jogos. Um ponto curioso do histórico de jogos é que o Galo venceu apenas um dos últimos dez jogos, mas o resultado predominante neste recorte são os empates: são seis igualdades nas últimas dez partidas. Será equilibrado novamente?

A esperança caseira do Atlético

Para cumprir o seu objetivo na competição – se classificar diretamente para a próxima Libertadores – o Galo tem que ganhar as suas últimas partidas. E a esperança no triunfo nesta partida está no fator casa: o Atlético é o melhor mandante da competição e vive um momento impressionante em casa, ao mesmo tempo que vive uma terrível fase fora de casa.

Nas últimas dez partidas, o Galo jogou quatro vezes no Mineirão e em seis oportunidades neste recorte, o Atlético atuou longe de casa. O time de Jorge Sampaoli, incrivelmente, venceu apenas quatro partidas e os triunfos foram exatamente nos jogos em casa. Fora de Minas Gerais, o time tropeçou em seis das seis partidas disputadas nos últimos dez jogos. Para a partida desta noite, o atleticano aposta na repetição deste desempenho.

Enquanto o Galo é fatal em casa e dono da melhor campanha como mandante, o Bahia é o pior visitante do Brasileirão e isso explica quão perigosa é a situação do Tricolor de Aço. Nas últimas 20 partidas, o Bahia não conseguiu vencer como visitante e está com sérios riscos de ser rebaixado – 50,8% de chances de cair para a Série B, segundo a UFMG – por causa do rendimento muito ruim longe de Salvador.

A escalação

Com Jorge Sampaoli pressionado e com interesse do futebol europeu, o Atlético deve ir a campo com poucas mudanças em relação à última partida. A única mudança certa é no meio-campista à frente da zaga: Allan está suspenso por causa do 6º cartão amarelo no Brasileirão e quem deve o substituir é Jair, volante que cumpriu suspensão contra o Fluminense devido à 9ª advertência que foi sofrida frente ao Goiás.

Por causa do mau momento, Jorge Sampaoli pode tentar novas mudanças. Eduardo Vargas está em uma fase horrível e Marrony segue pedindo passagem. Experimentar o jovem jogador desde o início da partida na sua posição original – ponta-esquerda – pode ser uma ótima oportunidade para o camisa 38. Além de Marrony, Nathan pode voltar a ter uma chance como titular, já que Alan Franco não recuperou o seu futebol após contrair o coronavírus. Existe a expectativa que Matías Zaracho retorne ao banco de reservas nesta partida.

Provável escalação: Éverson; Guga, Réver, Alonso, Arana; Jair, Nathan (Alan Franco), Hyoran; Savarino, Sasha, Vargas (Marrony). Técnico: Jorge Sampaoli.

O adversário

O Bahia teve dois técnicos renomados durante o Brasileirão, mas a diretoria acabou os demitindo por causa do mau desempenho. Em setembro, Roger Machado foi demitido e, em dezembro, foi a vez de Mano Menezes. E as demissões não resultaram em uma melhora no futebol da equipe. A desorganização reinou e o time chegará nas últimas rodadas com grandes chances de ser rebaixado. Um caos em Salvador!

Para piorar a situação do Bahia, o time terá que conviver com alguns casos de COVID-19 no elenco. Alguns atletas como Edson e Thiago já estão diagnosticados e isolados, mas o treinador Dado Cavalcanti divulgou que outros jogadores do plantel testaram positivo e sequer viajaram para Belo Horizonte. O próprio treinador afirmou, com muito pesar, que terá que fazer mais mudanças no time.

Além dos casos de COVID-19, o Bahia terá mais desfalques. O goleiro Anderson está fora para resolver questões pessoais e Mateus Claus irá jogar após cinco meses sem entrar em campo. No meio-campo, o Bahia estará desfalcado de Índio Ramírez, que lesionou seriamente o joelho, e do suspenso Daniel, autor do 1º gol na virada baiana contra o Atlético no 1º turno.

Como o Bahia não divulgou a lista de jogadores infectados, a escalação provável é uma incógnita até o pronunciamento do Tricolor de Aço.

Bahia x Atlético
36ª rodada do Brasileirão Série A
13/02//2021, 19:00 horas, Estádio Hailé Pinheiro
Transmissão: Premiere
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Daniel Paulo Zanovelli (SP).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
José

O Renato cansa de ser campeão no Grêmio e com certeza não virá para cá passar raiva, lá tem grana e títulos, aqui possivelmente grana já que quem banca são os patetas

José

Obrigação é vencer, agora vencer é que são elas. Esse time além de horroroso, é ridículo. Os patetas contrataram um técnico que nunca ganhou nada, só bla, bla, blá. Pagando um rio de grana para esse enganador, agora vai ter que tolerar até o fim. Ninguém que essa rolha

Ex-Piloto de teste do 14 Bis

O dendê do bahia azeitou o fiofó do galo.