O Atlético piorou ou melhorou seus números após o surto de COVID-19? Veja as estatísticas!

Alan Franco sofreu com a recuperação e ainda não voltou a apresentar o seu bom futebol. Foto: Pedro Souza / Atlético

O Coronavírus é um mal que tomou conta das nossas vidas no último ano. No fim de fevereiro, o primeiro caso da doença no Brasil completará um ano e, mesmo com a vacina, o problema está longe de ir embora. São mais de 234 mil mortos de COVID-19 no Brasil e diversas famílias de luto. Uma tragédia incalculável.

Alguns times sofreram com o surto da doença e tiveram muitos desfalques, mas, felizmente, os atletas não tiveram grandes problemas e nenhum jogador faleceu. Mesmo com sintomas leves, algumas equipes tiveram dificuldades na recuperação e demoraram a retornar à condição ideal. E isso aconteceu no Atlético.

O Galo teve mais de 30 casos no clube no mês de novembro e teve que rodar bastante o elenco. Além disso, alguns jogadores, como Alan Franco, não conseguiram retomar o bom futebol e sofrem com as condições físicas.

Isso não é uma coincidência, já que nem os cientistas capacitados não conseguem concluir sobre todas as sequelas possíveis após contrair este vírus. O Coronavírus é muito sério, matou milhares de pessoas no Brasil e, no futebol, pode ter prejudicado vários atletas de alto nível.

Os números do Atlético

O Atlético está, praticamente, fora da briga pelo título e tem como objetivo se garantir na fase de grupos da próxima Libertadores. O ritmo do time é inexistente, o brilho dos jogadores está apagado e o Galo não consegue encantar. Por isso, a distância é de cinco pontos para o líder Internacional.

Vários problemas podem ter influenciado esta queda de rendimento atleticano: a possível saída de Sampaoli, a escolha por alguns atletas, a troca do diretor de futebol e várias outras questões do extracampo. Dentro das quatro linhas, a qualidade não é vista e a parte tática necessita de alguns ajustes. Porém, o surto de coronavírus pode ter influenciado na queda técnica dos jogadores. Por isso, o Blog fez uma análise dos dados para uma comparação estatística. 

Os números atleticanos antes e depois do surto de COVID-19 no elenco.

Como visto na tabela acima, o Atlético piorou, praticamente, todos os seus números. Chama a atenção a queda na média de gols feitos dentro de casa e o aproveitamento como visitante, que já era fraco e teve uma queda considerável: apenas uma vitória em oito jogos longe de Belo Horizonte após o surto de COVID-19 em novembro. 

São números e diversas interpretações, mas uma coisa é óbvia: a última atuação intensa, com qualidade e com confiança do time atleticano aconteceu em 08 de novembro, contra o Flamengo, no Mineirão. O surto de coronavírus no Atlético teve início dias depois e o time não retornou àquele nível. Não é possível concluir que esta é a razão principal, porém é necessário sempre ressaltar este ponto.

Todas as pessoas torcem para que esta doença seja erradicada e que, em breve, todos estejam 100% fisicamente, tanto no futebol, quanto na vida, juntamente com as suas famílias.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários