Olhar Tático | Como Givanildo Vieira de Sousa poderá ser usado no esquema do Atlético?

Fotos: Pedro Souza / Atlético

Por Pedro Bueno

Givanildo Vieira de Sousa, ou melhor, Hulk, foi anunciado pelo Atlético em 29 de janeiro e apresentado na semana seguinte, no dia 05 de fevereiro. O atacante de 34 anos começou a treinar e se preparar para a temporada 2021. Ele assinou com o Atlético até o fim de 2022.

Por causa do encerramento das inscrições, Hulk não poderá estrear nesta reta final do Brasileirão. O jogador poderá fazer a sua primeira partida pelo Atlético em 28 de fevereiro, na estreia do time alvinegro no Campeonato Mineiro, contra o URT, no Mineirão. Certamente, o determinado atacante deseja chegar voando – feito um herói – nas primeiras partidas da temporada atleticana.

A dúvida é como um jogador de 34 anos, com muita força física e que passou toda a sua carreira fora do Brasil – só fez duas partidas pelo Vitória – irá se encaixar no futebol brasileiro. Atualmente, o Atlético é dirigido por Jorge Sampaoli, treinador que tem uma filosofia bem específica. O técnico argentino tem contrato e foi importante na contratação de Givanildo Vieira de Sousa, mas Sampaoli pode estar de saída para o futebol francês.

Com certeza, Hulk tem interesse em trabalhar com um técnico tão renomado como Sampaoli, porém o atleta é profissional e entregará o melhor futebol possível com qualquer treinador. Por isso, é necessário fazer uma análise sobre as variações do Hulk no sistema de jogo atual do Atlético. Confira e compartilhe!

A característica

Hulk é um jogador que se adaptou com muita facilidade ao continente europeu. O atacante paraibano tem muita força física, velocidade e compreensão tática. Hulk foi um dos pilares da Seleção Brasileira entre 2012 e 2016 e fez história onde passou: os torcedores do Porto e do Zenit são apaixonados pelo atacante. O seu profissionalismo, a sua determinação e, principalmente, o seu chute conquistaram muitos fãs.

A principal característica de Hulk é o arremate, ainda mais nas finalizações de fora da área, onde o camisa 7 atleticano poderá surpreender o goleiro rival. Givanildo tenta sempre ter a bola nos pés, pois consegue cuidar bem “dela”, além de dar alguns dribles. Porém, a sua habilidade é direcionada quase que exclusivamente para a perna esquerda. O atacante, assim como boa parte dos jogadores canhotos, não consegue finalizar muito bem com a perna direita.

A importância

O poder de contar com um atleta como Hulk no elenco não é apenas para ele resolver um jogo. O camisa 7 é o jogador mais conhecido do Atlético – jogou Copa do Mundo, Champions League, etc – e, certamente, chamará a atenção dos adversários, tanto no Brasil quanto na América do Sul, quando o jogador for atuar pelo Galo na Libertadores.

Um jogador forte, driblador e que consegue decidir o jogo em um chute é especial e o Atlético deve aproveitar esta atenção do rival para encontrar espaços. Em muitos momentos, Hulk irá atrair a marcação de dois ou mais jogadores do time adversário. Neste tipo de jogada, o próprio atacante deve ter inteligência suficiente para tocar rápido e encontrar a defesa adversária desguarnecida.

Por exemplo, se Hulk atuar nas pontas, a marcação pode ser mais tranquila, já que no centro, a defesa pode congestionar e impossibilitar qualquer ação do atleta alvinegro. Porém, utilizando ele centralizado, o Atlético pode tentar aproveitar a inteligência do jogador. Ele pode, facilmente, fazer o pivô e encontrar os extremos com muita liberdade.

Talvez Hulk passe grandes jogos mais apagado, porém a torcida deve tentar visualizar se ele está abrindo espaços ou possibilitando jogadas dos companheiros, enquanto a defesa fica atenta apenas nele. Uma comparação – obviamente, uma comparação feita só na forma de chamar a atenção do adversário, já que não é possível comparar a genialidade – é o jogo do Ronaldinho Gaúcho no Atlético. O camisa 10 atraía dois ou três marcadores e acabou consagrando os pontas atleticanos: Bernard e Diego Tardelli.

As posições possíveis

Hulk não é um gênio e tampouco um cara que irá chegar para ser a sensação do futebol brasileiro. Porém, se for bem encaixado no esquema, Hulk pode ser a peça que falta no quebra-cabeça atleticano: o jogador que resolve jogos. O poder de finalização do Hulk é impressionante e ele será o comandante do ataque atleticano em 2021.

Mapa de calor do Hulk no Campeonato Chinês de 2019. Muita movimentação da direita para o centro. Fonte: SofaScore.com

Como é visto no mapa de calor acima, Hulk tende a jogar da direita para o centro, obviamente, buscando o espaço para finalizar com a perna canhota. Por causa desta movimentação, da força física e da idade já avançada, o camisa 7 atleticano tem três posições possíveis:

  • Ponta-direita: esta é a função padrão do Hulk, já que o jogador atuou nesta posição durante toda a carreira. Givanildo fez diversos gols como um tradicional ponta que atua do lado contrário do pé dominante: canhoto jogando na direita. Porém, como extremo, Hulk terá que auxiliar também na marcação, ou seja, um ponto desgastante para a sua idade;
  • Segundo atacante: esta função está desaparecendo do futebol mundial, porém, em um time que não conta com um grande centroavante, ter dois atacantes próximos pode ser uma boa ideia. Juntamente de Vargas ou Sasha, Hulk poderia tabelar ou lançar os companheiros. Mas, como 2º atacante, o Atlético teria que ter muito cuidado na recomposição, visto que Hulk não terá a mesma intensidade para marcar e, se jogar com dois pontas e dois atacantes, o time não terá um meia criativo atrás da dupla;
  • Centroavante: esta é a função mais curiosa de ser analisada: por causa da estrutura corporal de Hulk, é muito comentado sobre a possibilidade de ele se tornar uma referência dentro da área, porém, Hulk, praticamente, não foi escalado assim na carreira. No Atlético, ele poderia ser parceiro de Savarino e Keno e atuar municiando os dois velocistas. Se Hulk entender a função de um pivô e conseguir desempenhar bem, o Atlético acertará em cheio, já que ter um finalizador fatal como Hulk dentro da área é o melhor caminho para o gol.

Enfim, trazer um atleta como Givanildo Vieira de Sousa é uma aposta por causa do alto investimento, entretanto, a possibilidade de retorno esportivo é gigante e o Atlético sabe disso. Hulk não é nenhum gênio do futebol mundial, mas é um jogador que chama a atenção por uma questão: é decisivo. O Atlético precisa de jogadores que resolvam partidas e, se encaixar, Hulk dará muitas alegrias aos torcedores atleticanos!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.