O Galo é bom de briga! Atlético vence o Fortaleza por 2 a 0 e segue vivo na disputa

Foto: Pedro Souza / Atlético

A partida teve muito VAR, muita calma para buscar o gol e pouco (ou melhor, nada) de Diego Tardelli em campo. Mas, o importante é que o Atlético aproveitou o tropeço de um rival e está ainda mais vivo na disputa pelo título do Brasileirão. O Galo mostrou, mais uma vez, o seu poder dentro do seu terreiro e o time de Sampaoli chega nas cinco rodadas finais com chances reais de título. A torcida, certamente, estará ao lado do time em busca da taça!

Neste domingo, 31, o Atlético venceu o Fortaleza por 2 a 0 no Mineirão. O jogo foi válido pela 33ª rodada do Brasileirão e o time mineiro conseguiu devolver o triunfo do Leão do Pici no 1º turno. Em outubro, o Fortaleza bateu o Galo por 2 a 1, mesmo com um homem a menos, mas, em Minas Gerais, a equipe de Jorge Sampaoli levou a melhor. 

Com o resultado, o Atlético ganhou pelo menos uma posição na tabela. O time mineiro chegou aos 60 pontos e passará o domingo na vice-liderança, já que o São Paulo perdeu para o Atlético-GO neste domingo. Porém, o Flamengo pode retomar o 2º lugar se vencer o Sport nesta segunda, 01. E o triunfo atleticano pressionou o dono da liderança do campeonato. O Internacional está jogando com o Red Bull Bragantino – no momento do fechamento da matéria – mas a vitória do time gaúcho mantém o Atlético cinco pontos atrás do líder do Brasileirão. Já o Fortaleza permanece na zona do rebaixamento, em 17º, com 35 pontos e um futebol fraco. 

O jogo e as atuações individuais

Não foi um show atleticano, mas passou longe de ser uma atuação ruim. O time teve muita calma, não se desesperou com a já esperada retranca do Fortaleza e decidiu o jogo no início da 2ª etapa. Além disso, o Atlético teve tranquilidade para dominar do início ao fim e mostrou, novamente, que manda na sua casa. O terreiro atleticano é responsável por 42 dos 60 pontos do Galo no Brasileirão.

Em campo, o time pode ser exaltado pelas trocas de posição – principalmente na 2ª etapa – e pela frieza na saída de bola, quesito com, praticamente, 100% de acerto no Atlético nesta partida. O Fortaleza não exigiu grandes esforços do Galo e o time alvinegro conseguiu rodar a bola com facilidade. O único problema do Atlético foi encontrar espaços no 1º tempo, visto a falta de criatividade de Hyoran e Sasha nos 45 minutos iniciais, mas o time corrigiu e mereceu mais um triunfo em casa.

De ponto positivo, mais uma vez é necessário destacar o jogo de Guilherme Arana. O Atlético não sentiu a falta de Keno porque Arana dominou a parte esquerda e infernizou o lado direito da defesa do Tricolor. Outro jogador que merece destaque é Allan, que estava em uma má fase. O volante ditou o ritmo do Atlético, acertou várias viradas e teve quase 90% de aproveitamento nos passes. Savarino também jogou muito bem, principalmente na 1ª etapa. O ponto negativo do Atlético foi, novamente, a partida decepcionante de Vargas. O chileno marcou um gol – após bater mal o pênalti – mas não conseguiu se movimentar bem e ainda não entregou o futebol esperado. 

O primeiro tempo

O atleticano estava preocupado com duas questões antes mesmo do apito inicial: quem seria o substituto de Keno e se esta partida poderia marcar o retorno de Diego Tardelli no banco de reservas. E a formação divulgada nas redes sociais do Galo confirmou que Vargas ganhou a vaga do lesionado Keno e que Tardelli retornou ao time atleticano. A escalação inicial de Jorge Sampaoli teve Éverson, Guga, Réver, Alonso, Arana; Allan, Jair e Hyoran; Savarino, Sasha e Vargas.

O jogo começou bom e, rapidamente, teve um lance atleticano. Aos 5, Savarino cruzou, a bola passou por Vargas e Sasha dominou na ponta-esquerda. O camisa 18 tocou para Arana e o lateral finalizou forte ao entrar na grande área. O goleiro Felipe Alves espalmou e cedeu o escanteio. Na cobrança houve uma trama ensaiada e acharam Savarino fora da área. O venezuelano driblou e finalizou. A bola foi para fora.

No minuto 10, Hyoran lançou Vargas nas costas da zaga. O chileno estava entrando bem, mas Felipe Alves chegou e defendeu com os pés. No rebote, Jackson ficou pressionado por Jair, mas driblou e fez uma ótima saída de bola. Dois minutos depois, Wellington Paulista acelerou pelo meio e foi derrubado por Réver. Ronald aproveitou a vantagem dada pelo árbitro, trouxe para a extremidade do campo e driblou Réver. Com liberdade, o camisa 14 do Fortaleza arriscou, mas Éverson fez uma boa defesa.

O Atlético chegou novamente e, desta vez, assustou a torcida do Tricolor Cearense. Jair virou e encontrou Vargas na ponta-esquerda. O chileno visualizou uma linda jogada e inverteu para Savarino. O camisa 70 dominou livre e tocou para Hyoran, que estava atrás. O camisa 20, que também estava com muita liberdade, finalizou e a bola passou perto da trave direita de Felipe Alves.

O Galo seguiu com domínio do jogo – 78% de posse de bola no 1º tempo – e seguiu atacando, porém o meio-campo estava tendo problemas para encontrar espaços. Aos 26, Réver lançou Savarino nas costas da marcação. O venezuelano recebeu, dominou mal – mas corrigiu – driblou para um lado, driblou para o outro e finalizou. A bola passou do lado da trave direita, mais uma vez. Porém, o auxiliar havia marcado, corretamente, o impedimento de Savarino.

No final do 1º tempo, o Atlético, mesmo enfrentando um ferrolho, conseguiu chegar mais duas vezes. Aos 42, em escanteio cobrado por Arana, Réver ajeitou na segunda trave – quase na entrada da área – e Vargas bateu bloqueado. Dois minutos depois, o Atlético teve uma grande chance. Guga fez um ótimo lançamento e encontrou Savarino sem marcação. O venezuelano cruzou e Sasha cabeceou muito bem. O goleiro Felipe Alves fez uma grande defesa com os pés e evitou o gol atleticano. Com isso, fim de um 1º tempo sem gols.

O segundo tempo

As equipes retornaram com as mesmas escalações e com as mesmas posturas. O Atlético seguiu com o domínio da partida e chegou com perigo no minuto 11. Chegou e balançou as redes, em um belo gol.

Hyoran recebeu na ponta direita e ficou olhando para a área. O meio-campista enxergou um companheiro livre na 2ª trave e fez um lindo cruzamento. A bola passou pela área até chegar nos pés de Guilherme Arana. O camisa 13 pegou a bola de primeira e chapou com muita qualidade no canto esquerdo do goleiro Felipe Alves. A bola balançou as redes do Fortaleza e o arqueiro nem pulou. Um bonito e importante gol do Atlético. 1 a 0 no placar.

O Atlético seguiu em cima e buscando um placar ainda maior. E conseguiu em um lance polêmico. Em boa jogada pela esquerda, aos 16, Sasha recebeu de Hyoran e bateu. A bola foi interceptada pelo braço de Jackson e o árbitro Leandro Pedro Vuaden não marcou a penalidade máxima. 

Porém, minutos depois, o VAR chamou o árbitro e indicou a revisão da jogada. Com a análise, o juiz da partida corrigiu a sua decisão e assinalou o pênalti, indicando que a mão do zagueiro do Leão foi faltosa. Na cobrança da penalidade máxima, Vargas bateu no canto direito de Felipe Alves, o goleiro acertou o canto e fez a defesa. Porém, no rebote, o camisa 10 do Atlético empurrou para as redes e marcou o seu 2º gol com as cores atleticanas. 2 a 0 no placar. 

E o VAR resolveu ser o protagonista destes minutos da partida. Aos 25, David recebeu nas costas da defesa atleticana e deu um toque na frente. Jair chegou de forma imprudente, tentou fazer o desarme e não acertou a bola. O ponta do Fortaleza caiu e pediu pênalti. O árbitro de campo não marcou, mas o juiz de vídeo chamou, mais uma vez, e indicou que Vuaden fizesse uma revisão da jogada. No VAR, o juiz concluiu que Jair cometeu o pênalti e marcou a infração para o Fortaleza. Na cobrança, Oswaldo finalizou forte no canto direito do goleiro, Éverson acertou o canto e a bola bateu na trave. Com isso, o placar seguiu com o 2 a 0. 

Mesmo com o choque após a penalidade perdida, o Fortaleza chegou mais uma vez. Aos 31, Deivid recebeu nas costas da marcação, driblou e chegou frente a frente com Éverson. O goleiro saiu bem, abafou o adversário e evitou o gol. Porém, o auxiliar havia assinalado o impedimento do camisa 17 do Fortaleza.

E nove minutos depois, aos 40, o Atlético também sofreu com a marcação de um impedimento. Allan fez um ótimo lançamento e encontrou Marrony livre na ponta-esquerda. O camisa 38, que havia acabado de entrar, penetrou a área e fez um lindo cruzamento rasteiro para Savarino. O venezuelano chegou de carrinho e marcou o gol, porém o auxiliar viu o impedimento ajustado de Marrony no início da jogada e anulou o gol atleticano. Com isso, o 2 a 0 no placar permaneceu mesmo com 10 minutos de acréscimos devido às longas pausas para verificar o VAR.

O fim do jogo

Boa parte da torcida foi para esta partida pedindo uma vitória tranquila e o retorno de Diego Tardelli. A vitória foi bem calma e o Galo não sofreu riscos, ou seja, um triunfo ótimo para as pretensões do time no Campeonato Brasileiro. Mas uma parcela da exigente torcida atleticana saiu reclamando de Jorge Sampaoli, visto que Diego Tardelli não entrou na 2ª etapa. 

O torcedor quer ver o seu ídolo em campo e a reclamação faz sentido. Porém, nenhum atleticano sabe exatamente sobre o estado físico do camisa 9 e o importante foi feito: a vitória foi conquistada e o Atlético segue na disputa. O Galo é bom de briga, principalmente no seu terreiro.

O Galo volta a campo na próxima quarta, 03, às 21:30, contra o Goiás, em Goiânia.

Números da partida
Atlético x Fortaleza
71% Posse de bola 29%
12 Finalizações 4
5 Finalizações no gol 1
5 Escanteios 1
3 Impedimentos 2
16 Faltas 15
4 Grandes oportunidades 1
2 Grandes oportunidades perdidas 1
788 Passes 308
726(92%) Passes certos 242(79%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments