Veja detalhes e estatísticas do treinador Felipe Conceição, o principal candidato para comandar o Cruzeiro em 2021

Foto: Thomaz Marostegan/ Guarani FC

O Cruzeiro está, novamente, no mercado atrás de um técnico. Desta vez, o treinador que estava no comando e o clube entraram em um consenso e a saída foi a melhor opção. Luiz Felipe Scolari deixou a equipe na última segunda-feira, 25, e a Raposa irá encerrar a temporada com Célio Lúcio, treinador interino.

Como a Série B termina nesta sexta, 29, e o Campeonato Mineiro tem o início marcado para o dia 28 de fevereiro, o Cruzeiro terá um mês para planejar a sua nova temporada. Porém, é evidente que o Cruzeiro necessita de uma grande reformulação e acertar com um técnico é o primeiro passo para André Mazzuco, diretor de futebol que chegou no início de 2021, conseguir visualizar um futuro para a equipe azul celeste.

Com a consciência da realidade do Cruzeiro, a diretoria, certamente, irá atrás de técnicos acessíveis. A Raposa irá jogar a Série B novamente e a crise financeira irá se acentuar. Por isso, o perfil do treinador contratado deve ser um profissional que receba pouco e tenha talento para explorar jogadores que não são tão renomados.

Logo, tendo noção de tudo que está ao redor do Cruzeiro, a diretoria mira um nome e o jovem técnico pode ser anunciado na próxima semana: Felipe Conceição. O treinador é o nome mais forte em meio à gestão cruzeirense e após o término da Série B, onde o técnico está atuando com o Guarani, o Cruzeiro deve chegar com a proposta para Conceição assumir o comando da Raposa.

Quem é Felipe Conceição?

Nascido em Nova Friburgo-RJ, em 9 de julho de 1979, Felipe de Oliveira Conceição é um ex-atacante do Botafogo, América-MG, Tupi, Tombense e alguns outros times. Felipe jogou entre 1998 e 2011, mas não teve grande destaque. O seu momento mais famoso como atleta profissional foi no início de carreira. Conceição era uma grande promessa e jogou junto com Ronaldinho Gaúcho na seleção brasileira sub-20 em 1999.

Como treinador, Felipe Conceição está no seu quarto trabalho em equipes renomadas. Ele começou a treinar alguns times mais modestos logo após se aposentar, mas apareceu no cenário do futebol brasileiro apenas no início de 2018, quando treinou o Botafogo. Depois disso, o técnico de 41 anos comandou o América-MG, Red Bull Bragantino e agora está treinando o Guarani.

Ele tem contrato com o Bugre até o fim de 2021, porém Felipe Conceição tem multa baixa e, caso tenha interesse, o Cruzeiro poderá bancar com certa tranquilidade. Além disso, a parte financeira também agradeceria, visto que, segundo um levantamento do BR Contracts, confirmado pelo Ge.com, Conceição recebe no Guarani 25 vezes menos que Felipão recebia no Cruzeiro. O treinador pentacampeão mundial era bancado pela Raposa com ajuda de investidores. O salário de Felipe Conceição está, tranquilamente, no teto salarial da equipe e, por causa disso e do seu talento, o jovem treinador é o favorito para assumir o Cruzeiro. Porém, por respeito ao Guarani, Conceição irá conversar apenas depois do fim da Série B.

Botafogo

A primeira equipe renomada que Felipe Conceição treinou foi o Botafogo. O time carioca havia feito uma ótima temporada com Jair Ventura – chegou nas quartas de final da Libertadores – mas o treinador acabou deixando o time carioca no final de 2017 e foi para o Santos. Com isso, Conceição, que havia sido treinador nas categorias de base e, na época, era auxiliar técnico, foi efetivado como treinador para começar a temporada de 2018.

Porém, a passagem foi relâmpago e o treinador não deixou saudades em General Severiano. Felipe Conceição só comandou o time em sete jogos, venceu duas vezes, houve três empates e perdeu duas partidas, aproveitamento de 42,8%. Ele foi demitido em fevereiro de 2018 após ser eliminado na Taça Guanabara e na Copa do Brasil para o Aparecidense, modesto time de Goiás, na 1ª fase da competição.

América

Em junho de 2018, Felipe Conceição foi contratado pelo América e a equipe de Belo Horizonte colocou o ex-atacante como auxiliar técnico. Depois de alguns meses, Conceição se tornou coordenador técnico até a saída de Maurício Barbieri, em julho de 2019. O América era o vice-lanterna da Série B e precisava de uma solução imediata para ficar na 2ª divisão. E o Coelho arrumou uma solução muito melhor que a desejada.

Felipe Conceição assumiu a equipe, demorou cinco rodadas para encaixar o time e permaneceu entre a lanterna e a vice-lanterna até a 15ª rodada. A partir desta rodada, os comandados de Conceição tiveram uma campanha de campeão: foram quinze vitórias, cinco empates e três derrotas, em 23 partidas. Uma ascensão jamais vista na história da Série B, mas, infelizmente para o treinador e todos os americanos, a campanha não foi premiada com o acesso. Na última rodada, o América tropeçou e ficou mais um ano na 2ª divisão.

A campanha foi inesquecível e os números deixam isso claro: no total, Conceição treinou a equipe mineira em 30 jogos, venceu 16 vezes, empatou em nove oportunidades e saiu derrotado de campo apenas cinco vezes, um aproveitamento de 63,3%. Por causa do ótimo desempenho e a linda arrancada, Conceição foi mantido para 2020, mas ele treinou o Coelho apenas uma vez no ano passado. Em janeiro de 2020, o técnico recebeu um convite do Red Bull Bragantino, para substituir Antonio Carlos Zago, e acabou deixando o América para tentar a sorte na Série A.

Red Bull Bragantino

Felipe Conceição assumiu o novo time milionário e o trabalho do treinador e da equipe, aparentemente, iriam combinar. Porém, a passagem de Conceição no Massa Bruta também foi curta. O time dele até conseguiu fazer a melhor campanha geral na 1ª fase do Paulistão, mas foi eliminado para o Corinthians nas quartas de final, após uma falha infeliz do experiente goleiro Júlio César com 40 segundos de jogo.

Após a eliminação, Felipe Conceição conquistou o seu único troféu na carreira como treinador: o Campeonato Paulista do Interior de 2020. Mesmo assim, a eliminação inesperada no Paulistão e um começo ruim no Brasileirão – uma vitória, dois empates e três derrotas – fizeram com que Felipe Conceição fosse demitido. Curiosamente, Conceição foi substituído por Maurício Barbieri, treinador que ele havia substituído em 2019 no América.

Pelo Red Bull Bragantino, foram 18 jogos, nove vitórias, três empates e seis derrotas na conta do treinador, com um aproveitamento de 55,5%.

Guarani

Após a passagem apagada pelo Red Bull Bragantino, Felipe Conceição assumiu o Guarani. O time de Campinas estava na zona do rebaixamento e, mais uma vez, o treinador conseguiu levantar um time que estava em 19º na Série B. Ainda no comando, Felipe Conceição disputou, até esta quinta, 28, 23 jogos pelo Bugre, teve onze vitórias, quatro empates e oito derrotas, um aproveitamento de 50,7%.

Porém, é necessário ressaltar que os números foram excelentes até o início de 2021. Em janeiro, o Guarani disputou seis jogos e sofreu por causa do surto de coronavírus no elenco. Nas seis partidas do 1º mês de 2021, o Guarani perdeu cinco vezes e empatou um jogo.

Ou seja, sem contar este mês tenebroso de janeiro, Felipe Conceição havia jogado 17 partidas, vencido onze jogos, empatado três vezes e perdido somente em três oportunidades. O treinador havia chegado na disputa e estava vivo até os diversos casos de COVID-19 no time. Mais uma ótima arrancada na carreira de Conceição.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.