Mesmo sem grandes objetivos, Cruzeiro enfrenta o Náutico neste domingo com duas metas importantes

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

As duas partidas finais da temporada cruzeirense serão, meramente, protocolares. O time mineiro venceu o Operário na última rodada e afastou o risco matemático de ser rebaixado. Já que a possibilidade de acesso também está impossível, o Cruzeiro não tem grandes objetivos na partida desta tarde. Mas a meta de vencer qualquer partida em casa deve ser sempre estabelecida dentro da Raposa. E há alguns motivos por trás da meta de três pontos. Enquanto isso, o Náutico, adversário deste jogo, precisa de um ponto para conseguir se livrar do rebaixamento.

Neste domingo, 24, às 16 horas, o Cruzeiro enfrenta o Náutico no Independência. A partida é válida pela 37ª rodada da Série B 2020, ou seja, a penúltima rodada. No 1º turno, em 25 de outubro, a Raposa e o Timbu empataram, em Recife, por 1 a 1. Vinicius e Airton marcaram os gols da partida.

As metas

O objetivo de um time é sempre vencer. A Raposa, na atual situação da temporada – sem chances de subir e nem com possibilidade de ser rebaixado – tem dificuldades de encontrar um foco. Porém, a meta de um jogador que veste a camisa do Cruzeiro Esporte Clube deve ser ganhar todos os jogos possíveis. E o Blog citou dois motivos para a Raposa buscar esta vitória nesta tarde de domingo.

O primeiro motivo é recuperar a confiança nas partidas em casa. Jogar em Belo Horizonte sempre foi sinônimo de vitória cruzeirense, mas nesta Série B não foi desta forma. Nas 18 partidas do time azul celeste como mandante, o Cruzeiro venceu seis jogos, empatou outras seis vezes e também foi derrotado em seis oportunidades. Ou seja, uma vitória na última partida em casa nesta edição deixará o retrospecto “positivo”. Além disso, pela 1ª vez nesta Série B, o Cruzeiro pode chegar a duas vitórias consecutivas em casa, um dado que deixa claro o porquê da campanha vexatória da Raposa.

O outro motivo é que o Cruzeiro precisa ficar acima da 12ª posição para conseguir o acesso com mais tranquilidade em 2021. Mas qual é a razão disso? O Blog te explica aqui. O Bola Pra Frente fez um levantamento de todos times que subiram por meio da Série B em formato de pontos corridos (2006-2019) e apenas 20% dos times que conseguiram a promoção haviam terminado a Série B anterior abaixo da 12ª posição. Portanto, se quer dar fim a este drama da divisão de acesso na história do Cruzeiro, é necessário vencer as duas partidas finais.

Os números e o momento

O momento é bom para as duas equipes, visto que os dois times conseguiram vitórias importantes na última rodada. O Cruzeiro venceu o Operário, em casa, por 2 a 1 – gols de Rafael Sobis e William Pottker – e evitou qualquer chance de ser rebaixado para a Série C, enquanto o Náutico goleou o Oeste por 4 a 1 nos Aflitos e conseguiu abrir distância para a zona do rebaixamento.

Os rivais desta tarde estão próximos na tabela, mas o jogo tem importância completamente diferente para as equipes. O Cruzeiro é o 13º, com 47 pontos, e não tem um grande objetivo na rodada. Já o Náutico está em 15º, conquistou 42 tentos e, por causa da derrota do Figueirense na última sexta, 22, o Timbu precisa de pontuar nesta rodada para acabar com qualquer chance matemática de ser rebaixado para a Série C. Portanto, é o jogo da vida do Náutico. Qualquer ponto é bem-vindo para o time pernambucano.

Mas para pontuar, o Timbu terá que melhorar os seus números fora de casa. A equipe é a pior visitante da competição: perdeu 12 dos 18 jogos que disputou longe dos Aflitos e fez apenas 10 pontos como visitante. A última vitória do Timbu fora de casa aconteceu em 20 de outubro, contra o lanterna Oeste. O único ponto positivo para o Náutico é que enfrentará o 3º pior mandante: a Raposa tropeçou doze vezes em casa neste Brasileirão e venceu apenas um jogo desde que está mandando as suas partidas no Independência.

O retrospecto do duelo é favorável ao Cruzeiro e tem um longo tabu: o Náutico nunca venceu a Raposa em Minas Gerais. São 33 jogos entre as equipes, o time mineiro venceu 16 vezes, houve empate em 6 oportunidades e a equipe pernambucana saiu vitoriosa em 11 partidas. Como mandante, o Cruzeiro venceu 13 jogos, empatou dois e não perdeu para o Náutico. Além disso, o Timbu não vence a Raposa desde 2009.

A escalação

Luiz Felipe Scolari será obrigado a fazer pelo menos uma mudança para a partida desta tarde. O treinador pentacampeão está mantendo uma formação-base, porém Machado foi advertido com o cartão amarelo pela 6ª vez neste Brasileirão e pela 2ª vez estará ausente por suspensão. No lugar do volante, Felipão tem apenas a opção de escalar Jadson, visto que Henrique está machucado e Jadsom Silva entrou com um processo judicial contra o clube.

Para a rodada final, dentre os titulares, apenas Airton e Ramon estão pendurados. O ponta soma incríveis oito cartões amarelos, enquanto o defensor, uma das surpresas da temporada cruzeirense, tomou apenas duas advertências. Caso os dois atletas forem advertidos com o cartão amarelo na partida desta tarde, eles iniciarão as suas férias mais precocemente, já que estarão fora do último jogo da temporada – contra o Paraná, em Curitiba.

Como a Raposa não tem objetivos nesta penúltima rodada, Felipão poderia promover alguns testes ou experiências. Mas o treinador deve seguir com a sua base e não testará nenhum jogador que pode ganhar mais espaço no próximo ano.

Provável escalação: Fábio; Raúl Cáceres, Ramon, Manoel, Matheus Pereira; Adriano, Jadson, Giovanni Piccolomo; Airton, Rafael Sobis, William Pottker. Técnico: Felipão.

O adversário

O Náutico esteve perto de ser rebaixado durante esta Série B: o time pernambucano ficou na zona do rebaixamento desde a 18ª rodada até a 32ª rodada, revezando posições na degola. Porém, o Timbu cresceu na hora certa e conseguiu chegar na penúltima rodada da Série B dependendo de apenas um empate em duas partidas, evidenciando a importância da recuperação do Náutico. Agora, o Timbu precisa só pontuar para se garantir na Série B de 2021.

Dentre este time do Náutico, dois nomes merecem destaque. O primeiro é o veterano atacante Kieza, artilheiro da equipe com oito gols na Série B. O centroavante conhece o caminho do gol, entende a importância desta partida para o Timbu e, certamente, irá ajudar a controlar o nervosismo dos companheiros mais inexperientes. Além disso, Kieza atuou pelo Cruzeiro e pode utilizar da famosa “lei do ex”. Outro jogador que merece destaque é o meio-campista Jean Carlos. O atleta marcou sete gols, deu quatro assistências e, possivelmente, receberá propostas para deixar o Timbu após o término desta Série B.

O experiente treinador Hélio dos Anjos deve ter força máxima contra o Cruzeiro neste domingo – a exceção é Matheus Carvalho, mas por causa de uma lesão séria, o atleta está fora há bastante tempo. O técnico não contou com os laterais Kevyn e Igor Miranda e o volante Djavan na última partida. Para este jogo, todos voltarão e Bryan, na ala-esquerda, e o volante Jhonnatan perderão espaço. Certamente, todos estes jogadores do Náutico entrarão em campo com muita vontade de buscar este ponto para se garantirem na Série B.

Provável escalação: Anderson; Hereda, Rafael Ribeiro, Camutanga, Kevyn; Djavan, Rhaldney, Jean Carlos; Erick, Vinícius, Kieza. Técnico: Hélio dos Anjos.

Cruzeiro x Náutico
37ª rodada do Brasileirão Série B
24/01/2021, 16:00 horas, Independência
Transmissão: SporTV e Premiere
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli (SP) e Herman Brumel Vani (SP).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.