O momento de despontar chegou: o Atlético enfrenta o Vasco, no Rio de Janeiro, com o intuito de se aproximar da liderança

Fotos: Pedro Souza / Atlético

Se o Clube Atlético Mineiro deseja ser campeão do Brasileirão 2020, chegou o momento de despontar. É consenso geral que tropeços não são aceitos. É hora de vencer todos os confrontos e se aproximar da liderança. E, para isso acontecer, o Galo deve seguir evoluindo na questão do desempenho e enfrentar um time mais fraco é um bom caminho. Porém, o desespero do Vasco da Gama, equipe que entrou na zona do rebaixamento na última rodada, pode ser um problema para o time de Sampaoli. 

Neste sábado, 23, às 21 horas, Atlético e Vasco se enfrentam em São Januário, casa do time carioca, em partida válida pela 32ª rodada do Brasileirão. No 1º turno, o Galo passou por cima do rival desta noite: a equipe mineira fez 4 a 1 no 1º tempo – após sofrer belo gol de bicicleta de Martín Benítez – e conseguiu massacrar o adversário. O treinador do Vasco na época era Ramon Menezes, o qual já foi substituído por Ricardo Sá Pinto, técnico português que também foi demitido. Atualmente, Vanderlei Luxemburgo comanda o time de São Januário.

O momento

Os rivais desta noite se encontram em momentos bem diferentes. O Atlético é dono do melhor aproveitamento do 2º turno – 66,7% dos pontos – e não é derrotado desde 16 de dezembro, data do trágico revés contra o São Paulo. Desde então, o Galo intercala uma vitória e um empate: venceu o Coritiba, empatou com o Bragantino, ganhou do Atlético-GO e, na última rodada, empatou por 1 a 1 com o Grêmio. Dando continuidade à sequência, a tendência – para os superticiosos – é que o Atlético vença o Vasco nesta noite. 

Na última partida, o time de Sampaoli empatou com o Grêmio, mesmo após fazer um bom jogo. O time se desligou nos minutos finais e sofreu um gol. E o ponto que chama a atenção no Atlético é justamente a parte defensiva: nas últimas dez partidas, o Galo sofreu gol em oito jogos. 

Já o Vasco da Gama está em um momento ruim. O time carioca é dono da 15ª melhor campanha do 2º turno e só fez 10 gols em 12 jogos no returno. A equipe venceu apenas uma partida nos últimos cinco jogos: ganhou o clássico frente ao Botafogo por 3 a 1 , rival que está na lanterna do campeonato. Uma curiosidade das últimas cinco partidas é que o Vasco sofreu mais do que três gols em três oportunidades, evidenciando o mau momento defensivo. 

O time de Vanderlei Luxemburgo vem de duas derrotas consecutivas. Na última partida, o Vasco visitou o Red Bull Bragantino e o time paulista goleou por 4 a 1, em show do meio-campista Claudinho. O Vasco não conseguiu jogar e foi atropelado. Certamente, a equipe vascaína deseja se recuperar.

Os números e a tabela

Após o empate com o Grêmio, o Atlético perdeu uma posição para o Flamengo, já que o time carioca venceu o Palmeiras. Atualmente, o Galo é 4º, com 54 pontos e está cinco atrás do líder Internacional – com um jogo a menos. Se vencer, o Atlético pode chegar até na 2ª posição, com 57 pontos e, em caso de derrota, o time mineiro não perde a 4ª colocação. A importância dos três pontos é se aproximar da liderança, já que vai repor o jogo a menos contra o Santos na próxima terça-feira, 26. Sendo assim, o Galo pode colar na liderança com triunfos nesta noite e na partida atrasada. Já o Vasco da Gama é o 17º, com 32 pontos, e entrou na zona do rebaixamento após a vitória do Bahia. Se vencer, o Vasco irá sair da zona do rebaixamento e pode ganhar até três posições. 

Um ponto curioso é que o duelo desta noite marca o confronto entre o 2º melhor ataque e a 3ª pior defesa da competição. O Galo fez 52 gols em 30 jogos e perdeu o posto de melhor ataque após o Internacional balançar as redes do São Paulo cinco vezes. Já o Vasco é o 3º time que mais sofreu gols: foram 44 bolas na rede da equipe carioca.

Dentro de casa, o Vasco, mandante da partida, perdeu mais jogos do que ganhou: são cinco vitórias, quatro empates e seis derrotas em 15 jogos. Já o Atlético vive uma situação semelhante como visitante. Fora de casa, o Galo também perdeu mais do que ganhou: são cinco vitórias, três empates e sete derrotas longe de Belo Horizonte.

O retrospecto é bem equilibrado, com leve vantagem para o Atlético. Em 74 jogos, o time mineiro venceu 28 vezes, houve empate em 19 partidas e a equipe vascaína saiu de campo vitoriosa em 27 confrontos. Uma curiosidade é que nos últimos quatro jogos em casa contra o Galo, o Vasco venceu uma vez, empatou um jogo e perdeu para o Atlético em duas oportunidades. Inclusive, na última temporada, em 2019, o Atlético venceu por 2 a 1 em São Januário, com gol salvador de Chará, nos minutos finais.

A escalação

O Atlético deve ter apenas uma mudança na partida desta noite. O volante Jair retorna de suspensão e estará à disposição de Jorge Sampaoli. Quem não estará no banco será Bueno, Diego Tardelli e Marquinhos, jogadores que sequer viajaram para o Rio de Janeiro. O ídolo atleticano, Tardelli, segue recuperando a forma física. Marquinhos, cria da base atleticana, está negociando com o Áustria Viena e pode estar deixando o Atlético. Já sobre o zagueiro Bueno, o Atlético não comunicou a razão da ausência. 

Com a volta de Jair, o zagueiro Igor Rabello ou o volante Allan deve perder a sua vaga. Se Sampaoli optar por manter o esquema com três zagueiros – com Alonso atuando como ala – Allan deve perder o lugar para Jair. Mas, como a partida desta noite tende a ser ataque atleticano contra defesa vascaína, levando em consideração a forma de jogo das duas equipes, Jair deve voltar na vaga de Igor Rabello e o Atlético voltará para a tradicional trinca no meio-campo.

O restante da equipe deve ser semelhante às formações que entraram em campo nas últimas partidas. A defesa e o ataque estão padronizados e apenas o meio-campo, como dito anteriormente, deve ter mexidas com o retorno de Jair. Entre os prováveis titulares, somente Hyoran e Guga estão pendurados e devem ficar atentos com um cartão amarelo, além do treinador Jorge Sampaoli que, se tomar outra advertência, chegará ao 9º cartão amarelo e 3ª suspensão neste Brasileirão.

Provável escalação: Éverson; Guga, Réver, Alonso, Arana; Allan (Igor Rabello), Jair, Hyoran; Savarino, Vargas, Keno. Técnico: Jorge Sampaoli.

O adversário

A temporada do Vasco pode ser definida por uma ascensão inesperada e, logo na sequência, uma queda dramática na tabela. O time de São Januário esteve na liderança do campeonato, na 3ª rodada, e seguiu no pelotão de cima por algumas rodadas, mas não conseguiu se manter. Por exemplo, no confronto entre Atlético e Vasco, na 13ª rodada do Brasileirão, a equipe carioca estava em 5º. Agora, um turno depois, o Vasco está em 17º, com grandes chances de ser, novamente, rebaixado.

Quatro dias após ser goleado pelo Galo, no 1º turno, o Vasco demitiu Ramon Menezes. Ricardo Sá Pinto foi contratado, mas o técnico português não entregou o esperado. Vanderlei Luxemburgo assumiu o time no início do mês de janeiro com o intuito de salvar o Vasco. Mas o efeito Luxemburgo não foi visto: são apenas quatro pontos em doze disputados e o time segue na briga pela permanência.

Entretanto, após a derrota vergonhosa para o Red Bull Bragantino, Luxa resolveu mudar o time, a fim de melhorar o desempenho e encarar o Atlético com uma equipe melhor. Como Ricardo Graça é o único desfalque – se recupera de apendicite – o experiente treinador conseguiu fazer cinco substituições no time titular. Luxemburgo deve sacar Werley, Neto Borges, Andrey, Caio Lopes e Juninho e colocar, na partida desta noite, Marcelo Alves, Henrique, Bruno Gomes, Yago Picachu e Martín Benítez, atletas que estavam fora ou no banco no último jogo. 

Provável escalação: Fernando Miguel; Léo Matos, Marcelo Alves, Leandro Castán, Henrique; Leonardo Gil, Bruno Gomes; Yago Pikachu, Martín Benítez, Talles Magno, Germán Cano. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Vasco x Atlético
32ª rodada do Brasileirão Série A
23/01/2021, 21:00 horas, Estádio São Januário
Transmissão: SporTV (menos RJ) e Premiere
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo (SP)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Bruno Raphael Pires (GO).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários