Caça ao líder e busca por um ponto para evitar o Z-4: Atlético e Cruzeiro jogam nesta quarta. Confira o pré-jogo das duas partidas!

Fotos: Bruno Cantini / Atlético e Bruno Haddad/Cruzeiro.

Os rivais mineiros se encontram em momentos distintos. O Atlético vem de uma boa vitória e deseja seguir na caça ao líder da Série A, o São Paulo. Já o Cruzeiro necessita de um ponto para evitar qualquer chance de rebaixamento para a Série C. São circunstâncias diferentes, mas o calendário fez com que Galo e Raposa atuassem no mesmo dia: o time alvinegro joga às 19:15 e a equipe azul celeste entra em campo às 21:30, desta quarta-feira, 20.

Por isso, o Blog uniu o pré-jogo das duas partidas e deixará o torcedor mineiro atualizado de todos os detalhes das duas partidas importantes que envolvem os gigantes mineiros. Compartilhe com os amigos, siga o nosso Twitter e deixe os palpites para os dois jogos nos comentários!

Atlético

Um grande confronto direto. Atlético e Grêmio se enfrentam com o mesmo objetivo: seguir na briga pelo título. E, curiosamente, a 31ª rodada do Brasileirão irá ficar marcada como a rodada dos confrontos diretos: além de Galo e o Tricolor Gaúcho, o líder São Paulo enfrenta o vice-líder Internacional e o 4º e o 5º colocado, Flamengo e Palmeiras, respectivamente, duelam também. Uma rodada cheia de grandes jogos!

Às 19:15 desta quarta-feira, 20, o Atlético visita o Grêmio na Arena Grêmio, no 1º jogo destes confrontos diretos da 31ª rodada – os líderes jogam às 21:30, também nesta noite, e Flamengo e Palmeiras atuarão na quinta-feira, às 19 horas. Se o Galo vencer o Tricolor Gaúcho, a equipe mineira terminará o Brasileirão com dois triunfos sobre a forte equipe de Renato Portaluppi, visto que, no 1º turno, Keno marcou três gols e o Atlético derrotou o Grêmio por 3 a 1, no Mineirão.

Os números e o momento das equipes

O Campeonato Brasileiro entra na sua reta final com um ponto muito curioso: seis times estão na briga pelo título. Como exemplo, o Atlético é o 3º e tem 53 pontos, enquanto o Grêmio está em 6º e conquistou 50 pontos. Ambas as equipes têm 29 jogos, um a menos do que o líder São Paulo, ou seja, a diferença de sete pontos do 1º para o 6º pode ser ainda menor. Se vencer, o Galo pode chegar na vice-liderança e ficar ainda mais perto da ponta. Já o Tricolor Gaúcho, em caso de vitória, ganha uma posição pelo menos. Por causa dos três confrontos diretos, o G-6 poderá ter diversas mudanças nas colocações. O melhor para Atlético e Grêmio é se os rivais empatarem.

Na Arena Grêmio, os amantes do futebol poderão ver um confronto entre boas equipes e que vivem um bom momento. O Atlético é dono do melhor aproveitamento do 2º turno – 70% dos pontos – e vem de uma boa vitória contra o Atlético-GO por 3 a 1, no Mineirão. Já o Grêmio tem o 3º melhor aproveitamento do returno – mesmo vindo de dois empates seguidos, contra Fortaleza e Palmeiras – e é a única equipe que ainda não perdeu na 2ª parte do Brasileirão.

O time de Renato Portaluppi soma uma incrível sequência de 15 partidas consecutivas sem perder no Brasileirão e, por isso, é o time que menos vezes foi derrotado no Brasileirão: três derrotas. A curiosidade é que, tirando as duas derrotas para o Santos – uma pelo Brasileirão, em 11 de outubro, e uma pela Libertadores, em 16 de dezembro – o último revés do Grêmio foi contra o Atlético, no 1º turno da competição. O Grêmio só perdeu para o Sport, ainda no início do Brasileirão, na Arena Grêmio. Os detalhes do Atlético que chamam a atenção são os bons números no 2º turno e que o time de Sampaoli é dono do melhor ataque da competição, com 51 gols – e, curiosamente, o Grêmio é a melhor defesa, com apenas 24 gols sofridos.

O retrospecto é ligeiramente favorável ao Tricolor Gaúcho. Em 72 jogos, o Grêmio venceu 29 vezes, houve empate em 20 jogos e o Atlético saiu vitorioso em 23 jogos. Até a partida do 1º turno, o Galo estava em uma sequência de quatro derrotas seguidas para o time de Porto Alegre, mas o hat-trick de Keno pôs fim a esse mau momento. Em casa, o Grêmio não é derrotado pelo Atlético desde 2013. A única derrota do Tricolor Gaúcho para o Galo na Arena foi graças ao gol de Fernandinho, aos 16 da 2ª etapa, em 15 de setembro de 2013 – Vargas estava atuando pelo Grêmio, na partida.

As escalações

No Atlético, Jorge Sampaoli segue com a defesa e o ataque decididos, enquanto o meio-campo segue sem um trio definido. Hyoran vive um grande momento – três gols nos últimos três jogos – e terá a companhia de Allan. Por causa da suspensão de Jair, que tomou o 3º cartão amarelo contra o Atlético-GO, e visto que Matías Zaracho segue no departamento médico, Alan Franco deve ser a opção pela direita do meio-campo. O equatoriano foi titular do Atlético em boa parte do Brasileirão, mas teve COVID-19 e ainda não está 100% fisicamente. Uma opção é colocar Igor Rabello na vaga de Jair e jogar com três zagueiros, assim como foi na boa vitória frente ao Flamengo.

Já na equipe mandante, o técnico Renato Portaluppi terá mais problemas. Pedro Geromel e Matheus Henrique, dois titulares indiscutíveis do Grêmio, são dúvidas. O zagueiro está se recuperando de uma lesão e o volante levou pancadas na última partida, no empate por 1 a 1 com o Palmeiras, e pode ser poupado. O Tricolor ainda pode optar por poupar alguns jogadores, já que terá Grenal no final de semana. Como notícia positiva, o Grêmio contará com o retorno de Lucas Silva e Paulo Miranda, que cumpriram suspensão contra o Palmeiras e estarão à disposição na partida desta noite.

Provável escalação do Atlético: Éverson; Guga, Réver, Alonso, Arana; Allan, Alan Franco (Igor Rabello), Hyoran; Savarino, Vargas, Keno. Técnico: Jorge Sampaoli.

Provável escalação do Grêmio: Vanderlei; Victor Ferraz, Rodrigues (Geromel), Kannemann, Diogo Barbosa; Lucas Silva, Darlan (Matheus Henrique); Alisson, Jean Pyerre, Pepê; Diego Souza. Técnico: Renato Portaluppi.

Grêmio x Atlético
31ª rodada do Brasileirão Série A
20/01//2021, 19:15 horas, Arena Grêmio
Transmissão: SporTV (menos RS) e Premiere
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Alex Ang Ribeiro (SP).

Cruzeiro

Uma das tarefas mais complicadas para a comissão técnica do Cruzeiro é fazer com que os jogadores tenham foco na partida desta noite. O time vive um momento complicadíssimo extracampo – processos, salários atrasados e possíveis saídas de jogadores e, até mesmo de Felipão – e, por isso, vencer seria um bom caminho para apaziguar. Além disso, a Raposa precisa de pontuar por um motivo: evitar qualquer chance de cair para a Série C.

Nesta quarta, 20, às 21:30, o Cruzeiro recebe o Operário no Independência. A partida é válida pela 36ª rodada e a Raposa, se ganhar mais uma vez, poderá concluir uma dobradinha em cima do Fantasma – mascote do time paranaense – visto que venceu em Ponta Grossa, por 1 a 0, com gol de Arthur Caíke, na estreia de Luiz Felipe Scolari.

Os números e o momento das equipes

Os rivais desta noite entram com objetivos diferentes. O tradicional time mineiro precisa empatar uma das três partidas restantes para encerrar com qualquer possibilidade matemática de cair para a Série C. Atualmente, o Cruzeiro está em 14º, com 44 pontos, e, se pontuar, a equipe mineira assume a 13ª posição, ultrapassando o Confiança, e acaba com o risco de ser rebaixado. Todavia, uma derrota pode fazer a Raposa ficar cinco pontos à frente do 1º time dentro do Z-4, restando dois confrontos diretos com as equipes que brigam pela permanência. Portanto, um jogo importantíssimo para o Cruzeiro. Já o Operário está sonhando com um improvável acesso. O time paranaense é o 9º – perdeu duas posições com início desta rodada – conquistou 51 pontos e está cinco pontos atrás do CSA, dono do 4º lugar. Se ganhar, assume a 6ª posição e fica dois pontos atrás da equipe alagoana. É vencer ou vencer para as duas equipes.

Além dos objetivos na competição, outro ponto que é bem divergente entre as equipes é o momento. O Cruzeiro venceu apenas um jogo dos últimos sete duelos e vem de duas derrotas em sequência – uma em casa para o lanterna Oeste e a última contra o Juventude, em Caxias. Com isso, a Raposa ficou matematicamente fora da briga pelo acesso. Em contrapartida, o Operário arrancou nesta reta final e, neste momento, vê o acesso como uma possibilidade. A equipe de Ponta Grossa não perde há mais de um mês e conquistou 13 dos últimos 15 pontos possíveis. As três vitórias em sequência animam o torcedor do Fantasma, que irá buscar uma importante vitória frente ao Cruzeiro.

O duelo desta noite promete poucos gols. O Cruzeiro é dono da 3ª melhor defesa da competição, com apenas 31 gols sofridos em 35 jogos, enquanto o Operário sofreu um gol a mais e é a 5ª defesa mais sólida. O ponto negativo para a Raposa é o desempenho em casa. O time azul celeste é o 2º pior mandante e tropeçou em 12 das 17 oportunidades em Minas Gerais. O Operário, equipe que quer aproveitar este retrospecto vergonhoso do Cruzeiro em casa, é apenas o 11º melhor visitante e venceu quatro partidas longe de Ponta Grossa.

O retrospecto é equilibrado e o Cruzeiro tem vantagem nos jogos oficiais. O histórico do confronto tem apenas dois jogos: a 1ª partida foi um amistoso em 1990 vencida pelo Operário e o 2º jogo foi o duelo de outubro, no 1º turno da Série B, onde o Cruzeiro venceu. Portanto, são dois jogos disputados e cada equipe venceu uma partida. O duelo desta noite será decisivo para alguma das equipes se tornar dominante no confronto.

As escalações

No Cruzeiro, Luiz Felipe Scolari não terá problemas e conseguirá repetir a escalação que o treinador tem como titular. Na última partida, Matheus Pereira cometeu um pênalti bobo e mesmo sendo uma promessa e um jogador importante, Felipão optou por o substituir. Não seria assustador se o experiente treinador optasse por Rafael Luiz na ala-esquerda, mesmo que o lateral-direito de origem não tenha tido tanta facilidade para jogar invertido no 2º tempo contra o Juventude. O restante da equipe deve ser igual, já que Felipão confia que eles são os melhores atletas a serem escalados.

Já no Operário, o técnico Matheus Costa terá um desfalque na defesa e um retorno importante para o time titular. O zagueiro Bonfim está suspenso por causa do 3º amarelo e será substituído por Reniê. Já na parte ofensiva, Jean Carlo retornará ao time titular depois de alguns jogos fora por lesão. Ele voltou às partidas gradativamente e atuou em todo o 2º tempo na importante vitória contra o CRB, por 3 a 2, no último final de semana. O restante do time deve ser semelhante, visto que Clayton, Douglas Coutinho e Tomas Bastos seguem machucados.

Provável escalação do Cruzeiro: Fábio; Raúl Cáceres, Manoel, Ramon, Matheus Pereira (Rafael Luiz); Adriano, Machado, Giovanni Piccolomo; Airton, Rafael Sobis, William Pottker. Técnico: Felipão.

Provável escalação do Operário: Martín Rodríguez; Alex Silva, Reniê, Ricardo Silva, Fabiano; Leandro Vilela , Pedro Ken, Marcelo; Jean Carlo, Ricardo Bueno, Rafael Oller. Técnico: Matheus Costa.

Cruzeiro x Operário
36ª rodada do Brasileirão Série B
20/01//2021, 21:30 horas, Independência
Transmissão: Globo Minas, SporTV e Premiere
Árbitro: Marcelo Aparecido RIbeiro de Sousa (PB)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Thiago Gomes Magalhães (RJ).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.