Uma vitória importante para subir (na tabela)! Atlético vence o Atlético-GO por 3 a 1 e segue na briga

Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

O time mineiro fez a sua parte e subiu. Neste domingo, o Atlético enfrentou o seu xará goianiense e conquistou três pontos importantes em casa. O resultado deixa o Galo como melhor equipe do 2º turno – são seis vitórias, três empates e apenas uma derrota em dez jogos – e a clara sensação que o time de Sampaoli está na briga. E a atuação deste início de noite, principalmente no 1º tempo, deu ânimo ao torcedor. Com os três pontos, o Atlético subiu (na tabela) e está mais próximo do seu objetivo.

Neste domingo, 17, o Atlético venceu o Atlético-GO por 3 a 1 no Mineirão. Os gols da partida foram marcados por Hyoran, Alonso e Jair pelo lado mineiro e Janderson pela parte goianiense. Com isso, o Galo terminará a competição com dois triunfos e sete gols feitos contra o Dragão, visto que no 1º turno, em 19 de setembro, o Atlético bateu o Atlético-GO por 4 a 3.

Com o resultado, o Atlético ganhou uma posição, pelo menos temporariamente. O Internacional irá jogar contra o Fortaleza nesta noite de domingo e pode retomar a vice-liderança, mas no momento, o Galo está em 2º com 53 pontos. O São Paulo empatou com o Athletico-PR e está na liderança com 57 pontos, ou seja, quatro tentos à frente do Galo. O ponto a ser ressaltado é que o Atlético tem um jogo a menos em relação ao Internacional e ao Tricolor Paulista, por isso, o time mineiro pode ficar apenas um ponto atrás do líder da competição quando repor esta partida – em 26 de janeiro, contra o Santos. Já o Atlético-GO segue na 12ª posição, com 36 pontos, mas pode ver a distância para o Z-4 diminuir.

O jogo e as atuações individuais

Um desempenho animador. O Atlético atuou bem e teve, principalmente no 1º tempo, a imposição física e o ímpeto ofensivo tão pedido por Jorge Sampaoli. Em vários momentos, o Galo desta partida relembrou o Atlético de meados de setembro, onde o time chegou na liderança. Obviamente, o adversário não é um grande time, mas atuar bem contra equipes inferiores é o primeiro passo para recuperar a confiança, ainda mais que o próximo duelo é importantíssimo: contra o Grêmio, em Porto Alegre.

Em resumo, o Atlético atuou bem, pressionou e teve o comando da partida. Depois do 3º gol, que aconteceu aos 15 da 2ª etapa, o time atleticano relaxou e cedeu mais espaços para o Dragão, que conseguiu equilibrar o jogo e, consequentemente, diminuir a vantagem. No entanto, é importante destacar que o Galo não correu riscos de perder a partida e conseguiu jogar o futebol que o torcedor está esperando. Ajustes devem ser feitos e, inclusive, Sampaoli deve pensar na sua demora para promover modificações – fez apenas uma substituição antes dos 35 do 2º tempo – porém o time merece elogios pela convicção no triunfo deste domingo.

Como ponto positivo da partida, é necessário ressaltar o envolvimento coletivo. Várias tabelas, aproximações e triangulações aconteceram e isso resultou no bom jogo feito pelo Galo. Os destaques individuais foram vários jogadores, mas os autores dos golaços – Hyoran, Alonso e Jair – merecem destaque. Arana, Allan e Savarino também foram bem. Já de ponto negativo, é possível destacar a lentidão de Réver na recomposição e a falta de segurança de Éverson em algumas jogadas. Vargas também perdeu uma grande chance, mas, felizmente para o torcedor atleticano, o tento perdido não fez falta.

O primeiro tempo

Na escalação, Jorge Sampaoli não fez grandes mudanças e só promoveu a volta de Jair ao time titular. A defesa e o ataque foram mantidos em relação à última partida – o empate entre o Galo e o Red Bull Bragantino. A formação inicial do Atlético teve Éverson, Guga, Réver, Alonso e Arana; Allan, Jair e Hyoran; Savarino, Vargas e Keno.

A partida começou eletrizante. Logo no primeiro minuto, o Atlético-GO chegou em cruzamento na área atleticana. A bola estava chegando em Wellington Rato, o ponta-esquerda da equipe goiana, mas a defesa tirou a bola para escanteio, evitando qualquer chance de um gol tão cedo do Dragão. Na cobrança do tiro de canto, o volante Marlon Freitas cabeceou e a bola foi para fora.

Aos 6, o Atlético chegou com Vargas. Allan tocou para Vargas e o camisa 10 fez um belo giro. Após a jogada individual de pivô, Vargas chutou forte, a bola desviou em Éder e passou muito perto da meta de Jean. No minuto 12, Vargas fez um bom lançamento para Savarino. O venezuelano entrou na área e bateu forte, no canto direito de Jean. O goleiro do Dragão fez a defesa e salvou a sua equipe.

No minuto seguinte, o Atlético balançou as redes do adversário. Alonso tocou para Keno e o ponta-esquerda da equipe driblou o marcador com facilidade. Após boa jogada, Keno cruzou e a defesa do Atlético-GO tirou a bola. No rebote, dentro da meia-lua, Hyoran dominou no peito e, sem deixar a bola cair no chão, acertou um lindo chute no ângulo de Jean. Um golaço de Hyoran. O gol que abriu o placar no Mineirão. 1 a 0 para o Atlético.

E mesmo com a vantagem no placar, o Atlético seguiu em cima. Aos 17, Hyoran recebeu de Arana e bateu, novamente, de fora da área. A bola passou perto da trave esquerda de Jean. Cinco minutos depois, no minuto 22, Jair encontrou Savarino e o camisa 70 lançou Vargas. O atacante chileno entrou na área, livre, e bateu em cima do goleiro Jean, que havia saído abafando. A melhor chance perdida pelo Atlético. Aos 33, Hyoran puxou um contragolpe e tocou para Jair. O volante, que jogou mais adiantado, entrou na área e cruzou forte na 2ª trave. Vargas entrou de carrinho, mas chegou atrasado e a bola não foi na direção do gol. Três boas jogadas atleticanas.

Após várias chances, o Dragão conseguiu escapar uma vez. Aos 39, Wellington Rato foi lançado no lado direito da defesa do Galo e estava livre. O ponta cruzou e Éverson tirou a bola como uma manchete. A intervenção do goleiro atleticano foi ruim, a bola bateu em Junior Alonso e saiu para escanteio. A bola passou perto do gol alvinegro. Quase um gol contra bizarro.

E no lance seguinte o Atlético reagiu. Aos 40, Arana fez uma boa trama na esquerda e tentou cruzar para Vargas. A defesa do Atlético-GO tirou, porém o Galo ficou com a bola. Após uma inversão para a ala-direita, Guga sofreu uma falta dura. Na cobrança da falta, Savarino colocou a bola na cabeça de Alonso e o zagueiro paraguaio cabeceou no mesmo ângulo que Hyoran marcou. Um belo cruzamento e uma linda cabeçada. O 2º gol atleticano na partida e o 1º de Alonso com a camisa alvinegra. 2 a 0 no placar do Mineirão.

O Atlético ainda chegou ao fim da 1ª etapa. Aos 44, Hyoran inverteu, da esquerda para a direita, e encontrou Savarino. O ponta atleticano fez um belo cruzamento, a bola passou por Vargas e Hyoran entrou cabeceando. A bola subiu muito e foi para fora. Com isso, fim de um primeiro tempo movimentadíssimo.

O segundo tempo

Os 45 minutos finais iniciaram sem modificações nas duas equipes. O Dragão voltou para a 2ª parte pressionando mais o Atlético, enquanto o time atleticano estava tentando manter o ímpeto do 1º tempo. Aos 7, Allan assustou o goleiro Jean ao finalizar de longa distância. A bola passou perto do travessão. Três minutos depois, Zé Roberto foi lançado no lado direito da defesa do Galo. O camisa 9 do Dragão acelerou, entrou na área e bateu. O chute saiu rasteiro, no canto do goleiro atleticano, e Éverson defendeu.

Mesmo com o início mais equilibrado, o Atlético conseguiu se impor novamente. Aos 15, após jogada ofensiva, Junior Alonso estava no ataque e recebeu a bola na ponta direita. O zagueiro cruzou e Keno pegou a bola de primeira. O chute do camisa 11 foi forte, no canto direito de Jean, e o arqueiro fez a defesa. A bola saiu para escanteio e o Galo aproveitou.

No lance seguinte, Guilherme Arana bateu o tiro de canto pela esquerda e Jair cabeceou com muita facilidade. Uma testada firme e no canto de Jean. Mais um lindo gol de cabeça do Atlético. O 3º gol atleticano na partida e um tento importante para Jair, que retornou de lesão recentemente. 3 a 0 no marcador.

Com a grande desvantagem no placar, o treinador Marcelo Cabo promoveu três mudanças no minuto 18 e as substituições surtiram efeito. A equipe goiana voltou para o jogo e conseguiu assustar o time mineiro. Aos 26, Wellington Rato bateu falta, a bola bateu em Arana e sobrou para Marlon Freitas. O volante estava dentro da pequena área, mas acabou errando a direção da finalização.

Três minutos depois, o Dragão diminuiu a vantagem do Galo. Wellington Rato foi lançado e ganhou, com tranquilidade, na velocidade do zagueiro Réver. O camisa 7 do Dragão teve liberdade e cruzou para Janderson, que entrava livre na direita. Janderson só empurrou para as redes e descontou para o Atlético-GO: 3 a 1 no placar do Mineirão.

O Atlético chegou em alguns lances e continuou com domínio das ações ofensivas. Aos 28, Vargas fez mais uma jogada de pivô, mas acabou finalizando travado. No minuto 43, o Galo quase balançou as redes do adversário na bola aérea, mais uma vez. Guilherme Arana cobrou escanteio da esquerda e Alonso, mesmo na 2ª trave, cabeceou muito bem. Arnaldo, defensor do Dragão que havia entrado na 2ª parte, tirou a bola em cima da linha e salvou o 4º gol atleticano. Após isso, o jogo foi sem sustos até o apito final.

O fim do jogo

Uma vitória importante para subir. Obviamente, na tabela. O Atlético conseguiu se impor e mostrou que está sim na briga pelo título. Em vários momentos foi possível visualizar em campo os diversos pontos da tática de Sampaoli e o time relembrou o Galo que conquistou o coração dos atleticanos. Ainda faltam nove batalhas e o Atlético deve manter a pegada que marcou três gols nesta partida. Jogos complicados virão e o time alvinegro deve se portar da mesma forma, visto que o sonho é levantar a taça em fevereiro. A palavra do momento é regularidade, Atlético!

O Atlético volta a campo na próxima quarta-feira, 20, às 19:15, contra o Grêmio, na Arena Grêmio.

Números da partida
Atlético x Atlético-GO
60% Posse de bola 40%
22 Finalizações 13
6 Finalizações no gol 3
10 Escanteios 9
0 Impedimentos 2
13 Faltas 14
3 Grandes oportunidades 2
3 Grandes oportunidades perdidas 1
544 Passes 357
474 (87%) Passes certos 291(82%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.