Já pensando na próxima temporada, o Cruzeiro enfrenta o Juventude, equipe que sonha com o acesso à Série A

Foto: Igor Sales/Cruzeiro

As quatro últimas rodadas serão deprimentes para o torcedor cruzeirense. Acostumado com as disputas por título, o Cruzeiro terminará a 2ª divisão sem nenhum objetivo: existem chances matemáticas de acesso à Série A e rebaixamento para a Série C, mas, na prática, o time não tem mais chance de subir e nem de cair. O melhor é pensar na próxima temporada. E neste sábado irá enfrentar um adversário com um objetivo claro: o Juventude quer voltar para a Série A e o triunfo na partida desta noite é importantíssimo. 

O Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, receberá o Juventude e o Cruzeiro neste sábado, 16. Às 19 horas, a equipe gaúcha e o time mineiro duelarão pela 35ª rodada da Série B. No 1º turno, Cruzeiro e Juventude empataram sem gols no Mineirão, em jogo que Renato Cajá perdeu um pênalti nos minutos iniciais. Fábio fez grande defesa. Desta vez, o duelo terá ganhador?

O mau momento das equipes

Ambas as equipes estão decepcionando nas últimas rodadas. O Cruzeiro chegou a sonhar com o acesso, se distanciou da zona do rebaixamento e viveu um bom momento, mas chegou na 35ª rodada sem nenhuma grande pretensão. Já o Juventude poderia ter conseguido o acesso com mais facilidade, mas os tropeços levaram a equipe alviverde à primeira posição fora do G-4.

Detalhando os momentos das equipes, é possível analisar que o momento do Juventude é ruim e curioso, mesmo o time gaúcho estando na briga pelo acesso. O time de Pintado perdeu três das últimas quatro partidas e está sem confiança. Na última rodada, o Juventude perdeu o clássico gaúcho para o Brasil de Pelotas por 2 a 1. A partida aconteceu fora de casa e pode ser a desculpa perfeita para o Juventude, já que quatro das últimas cinco vitórias do time alviverde foram em casa, no estádio Alfredo Jaconi. Outra curiosidade é que o Juventude só não está melhor na competição pela irregularidade: não vence duas partidas seguidas desde 03 de outubro de 2020. 

Já o Cruzeiro conseguiu a façanha de perder para o Oeste, em casa, e, para piorar a situação, a equipe vive um pesadelo extracampo, com várias polêmicas, salários atrasados e processos de jogadores. A derrota de 1 a 0 para o lanterna da competição foi apenas um agravante da crise cruzeirense. Para elucidar, é possível destacar as últimas partidas: nos oito últimos jogos, a Raposa venceu duas vezes, empatou quatro e perdeu dois duelos, fazendo 10 pontos em 24 disputados. Um dado favorável aos torcedores mineiros é que as duas únicas vitórias desta sequência foram longe de casa e a partida desta noite será em Caxias do Sul. 

A tabela e os números

O Cruzeiro é 13º, com 44 pontos e está 6 pontos à frente do Z-4 e 8 atrás do G-4. Atualmente a equipe de Luiz Felipe Scolari está estabilizada e sem pretensões na competição. Já o mandante da partida, o Juventude, está  em 5º, com 52 pontos e tem a mesma pontuação que o 4º colocado CSA – que também joga neste sábado. 

Para os matemáticos, a partida pode ser decisiva. Se o Cruzeiro perder, a equipe encerra qualquer possibilidade de subir de divisão. Em caso de vitória, a Raposa coloca ponto final no risco matemático da Série C. Com três pontos, o Cruzeiro ganha duas posições e se assume o 11º lugar. Mas se for derrotado, a equipe mineira poderá terminar a rodada em 14º. 

Já o Juventude depende do próprio resultado e da partida entre CSA e Avaí, que acontecerá às 16:30, neste sábado, em Alagoas. Se ganhar e o CSA tropeçar, o Juventude entra no G-4 e fica mais próximo do Cuiabá, que já venceu na rodada e chegou aos 58 pontos. Se perder pode ficar pressionado, já que além da disputa com o CSA, o Operário também chegou na briga e está em 6º, com 51 pontos.

A partida marca o encontro entre o melhor ataque e a 4ª melhor defesa, além da questão que o time gaúcho é um bom mandante e a Raposa uma boa visitante. Mesmo em mau momento, o Cruzeiro continua sendo a 3ª melhor defesa – sofreu só 30 gols – e o 3º melhor visitante da competição. Longe de Minas Gerais, a equipe azul celeste venceu oito jogos e empatou cinco das 17 partidas disputadas – o grande problema é em casa. Já o Juventude é o melhor ataque da Série B com 46 tentos marcados em 34 partidas e é o 5º melhor mandante.

O retrospecto do duelo é favorável ao Cruzeiro, mesmo que o histórico recente seja divergente. São 24 partidas disputadas, onde o Cruzeiro venceu 12 jogos, empatou seis vezes e foi derrotado pelo Juventude em seis oportunidades. Na casa do Juventude, a Raposa venceu só duas vezes, empatou quatro jogos e perdeu três vezes para o mandante. Um ponto que preocupa o Cruzeiro é o retrospecto recente, visto que nas últimas quatro partidas, o Juventude venceu três e empatou o último, no Mineirão.

A escalação

Depois do vexame frente ao Oeste, pouco foi falado sobre futebol e treinamentos no Cruzeiro. Com diversas polêmicas extracampo, a Raposa tentou apaziguar a crise e poucas novidades sobre a prática do futebol foram noticiadas. O ponto positivo para Felipão é o retorno de Giovanni Piccolomo e William Pottker, atletas que foram expulsos contra o Sampaio Corrêa. Eles merecem retomar a titularidade?

Os suspensos da última partida foram substituídos nas suas funções por Rafael Sobis e Welinton, com Marcelo Moreno atuando mais à frente. O boliviano não fez uma boa partida, foi substituído no intervalo e deve perder o lugar para Pottker. Já Welinton jogou os 90 minutos, diferentemente de Airton, que saiu logo no intervalo. Com isso, Giovanni pode retornar no lugar de Airton e Felipão poderá manter o jovem Welinton no time titular.

O restante da equipe deve ser a mesma base que atuou nas últimas partidas. A defesa se consolidou e não há dúvidas na escalação. Adriano está em ascensão e foi a exceção da última partida, já que foi um dos poucos jogadores que atuaram bem na derrota vergonhosa para o Oeste. Como Jadsom Silva segue sem treinar e o processo será julgado apenas em fevereiro, Machado segue com a posição sem discussões.

Provável escalação: Fábio; Raúl Cáceres, Manoel, Ramon, Matheus Pereira; Adriano, Machado, Giovanni Piccolomo; Welinton (Airton), Rafael Sobis e William Pottker. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

O adversário

Com muitos altos e baixos, o Juventude chegou na 35ª rodada fora do G-4, mas com chances reais de acesso. A equipe gaúcha está com a mesma pontuação do CSA, 4º colocado, e manter o foco é o melhor caminho para o Juventude retornar à elite do futebol brasileiro depois de um longo tempo. A última participação do tradicional time de Caxias do Sul no Brasileirão foi em 2007. 

A irregularidade da equipe pode ser justificada pelas baixas que a equipe teve durante a competição. O Palmeiras tirou o ponta velocista Breno Lopes do Juventude, quando o atleta era o artilheiro da Série B – com 9 gols – e grande destaque da equipe de Pintado. O jovem ponta está bem no Palmeiras e até atuou na semifinal da Libertadores contra o River Plate. Na mesma época, o Sport buscou o centroavante Dalberto e o Juventude ficou sem dois atacantes titulares em meio à Série B. 

Na escalação, Pintado deve utilizar a mesma equipe que perdeu para o Brasil de Pelotas na última terça, 12, por 2 a 1, com exceção do volante João Paulo. Ele está suspenso pelo 3º cartão amarelo e será substituído por Gabriel Bispo. Wagner, ex-meia do Cruzeiro, fez cirurgia no joelho e segue fora de combate. O meio-campo é comandado por Renato Cajá e o camisa 10, certamente, deseja redimir da penalidade máxima errada no 1º turno.

Provável escalação: Marcelo Carné; Igor, Wellington, Emerson, Eltinho; Gabriel Bispo, Bochecha; Capixaba (Matheuzinho), Renato Cajá, Rogério; Rafael Grampola. Técnico: Pintado.

Juventude x Cruzeiro
35ª rodada do Brasileirão Série B
16/01/2021, 19:00 horas, Estádio Alfredo Jaconi
Transmissão: SporTV e Premiere
Árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior (PR)
Assistentes: Rafael Trombeta (PR) e Luciano Roggenbaum (PR).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários