Desfalcado do seu artilheiro, Cruzeiro duela com o Sampaio Corrêa com o desejo de quebrar um tabu

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Com 0,36% de chances de ser rebaixado e 0,32% de voltar à Série A – segundo cálculos da UFMG – o Cruzeiro entra nesta reta final de Série B com poucos objetivos. Chegar aos 45 pontos, garantir a permanência e projetar uma temporada melhor neste 2021 é o melhor caminho. Porém, vencer é importante para a equipe e, na partida desta noite, a Raposa terá um desfalque importante: Manoel, artilheiro da temporada, está suspenso e não poderá ajudar o Cruzeiro a quebrar o tabu de nunca ter vencido o Sampaio Corrêa em jogos oficiais.

Cruzeiro e Sampaio Corrêa se enfrentam nesta sexta, 08, às 21:30, no estádio Castelão, casa do time maranhense, em partida válida pela 33ª rodada da Série B. No 1º turno, a Bolívia Querida surpreendeu a Raposa e venceu por 2 a 1 no Mineirão, com gols de Roney e Caio Dantas. Manoel fez o único gol do Cruzeiro.

E um ponto importante da partida é que, certamente, a Raposa irá fazer uma justa homenagem a Alex Apolinário, jogador ex-Cruzeiro que faleceu nesta quinta, 07, após sofrer uma parada cardiorrespiratória durante um jogo de futebol. Ele estava atuando pelo Alverca, time da 3ª divisão de Portugal, no último domingo, 03, e foi socorrido, mas não resistiu e acabou falecendo. Nossas condolências à família de Alex.

Os números e o momento

O Cruzeiro está na 13ª posição e tem 41 pontos, onze atrás do G-4 e apenas seis à frente do Náutico, primeiro time dentro do Z-4. Se vencer, a equipe mineira irá, praticamente, afastar qualquer “fantasma do rebaixamento” para a Série C e pode chegar até na 10ª posição, sonhando com tropeços dos times próximos ao G-4. Porém, em caso de tropeço, a Raposa pode terminar a rodada apenas três pontos à frente da zona do rebaixamento e na 14ª posição.

Já o Sampaio Corrêa é o 8º com 45 pontos, sete atrás do Juventude, primeira equipe dentro do G-4. Se vencer, assumirá a 6ª posição, ultrapassando Guarani e Ponte Preta, que já jogaram na rodada, e se aproximará do G-4. Uma partida importante para o Cruzeiro encerrar com este assunto de rebaixamento e, ao mesmo tempo, crucial para o Sampaio se aproximar do grupo de acesso.

A curiosidade é que esta partida marca o encontro da 4ª melhor defesa da competição com o 3º melhor ataque da Série B. O Cruzeiro sofreu apenas 29 gols e o Sampaio fez 42 gols, ou seja, será um duelo interessante. Outro dado curioso é que a Bolívia Querida não empatou em casa – são oito vitórias e oito derrotas – e é o 7º pior mandante do torneio. Já a Raposa é o 3º melhor visitante e deseja arrancar pontos em São Luís, capital do Maranhão.

Por coincidência, as duas equipes estão em um momento ruim: ambos os times vivem má fase, principalmente nas últimas seis rodadas. O Cruzeiro venceu somente um dos últimos seis jogos e, praticamente, pôs fim no sonho do acesso. No último jogo, o Cruzeiro empatou por 0 a 0 com o Cuiabá. Enquanto isso, o Sampaio Corrêa conseguiu a façanha de fazer um ponto nos últimos 18 disputados e vem em uma sequência de quatro derrotas seguidas, sendo a última já em 2021, em um revés de 2 a 1 para o CSA.

O tabu e o baixo aproveitamento

O Cruzeiro entrará em campo com o intuito de quebrar um tabu: nunca venceu o Sampaio Corrêa em jogos oficiais – o único triunfo da Raposa sobre a Bolívia Querida aconteceu em 1971, com o placar de 2 a 0, em um amistoso. Em jogos oficiais, as equipes se enfrentaram duas vezes: a 1ª vez foi em 1981, em um empate de 1 a 1, e a 2ª oportunidade foi em outubro de 2020, no 1º turno da Série B, na vitória de 2 a 1 do Sampaio Corrêa.

Portanto, o Cruzeiro busca a 1ª vitória em jogos importantes, enquanto o Sampaio deseja manter o retrospecto: uma vitória e um empate. A curiosidade é que estes dois bons resultados do time maranhense aconteceram no Mineirão e o Castelão, casa da Bolívia Querida, será o palco da partida desta noite.

Outra questão preocupante para o cruzeirense é que o jogo desta sexta será o 12º encontro com equipes nordestinas nesta temporada e a Raposa tem um desempenho muito ruim. Nas onze oportunidades anteriores, o Cruzeiro conquistou apenas onze pontos: foram quatro derrotas, cinco empates e apenas duas vitórias na temporada 2020/21 contra equipes da linda região Nordeste.

  • Confiança: 2 jogos, 1 empate e 1 derrota;
  • CRB: 4 partidas, 3 empates e 1 derrota;
  • CSA: 2 jogos, 1 empate e 1 derrota;
  • Sampaio Corrêa: 1 jogo, 1 derrota;
  • Vitória: 2 jogos, 2 vitórias;

A escalação

O Cruzeiro estará desfalcado do seu melhor jogador na temporada: Manoel. O zagueiro retornou de empréstimo em agosto, tomou conta da defesa e salvou a equipe mineira em várias oportunidades. São cinco gols marcados – artilheiro cruzeirense juntamente com Rafael Sobis – e diversas jogadas salvas pelo defensor, incluindo o lance da última partida, frente ao Cuiabá, onde Manoel tirou o possível gol do Cuiabá em cima da linha, já que Fábio estava batido.

Com isso, Cacá retorna ao time titular após dez jogos no banco de reserva e apenas sete minutos em campo nos últimos 50 dias. Outro que pode retomar a titularidade é Airton, visto que Arthur Caíke não esteve bem na última partida e está em fim de contrato – entenda a situação aqui.

O restante da equipe deve ser semelhante à formação da última partida. Giovanni Piccolomo seguirá como titular e Jadsom Silva deve amargar mais um jogo como suplente. No banco de reserva, o volante terá a companhia de Stênio, promessa da base cruzeirense que esteve machucado nos últimos cinco meses. O ponta se lesionou em agosto de 2020, quando ele estava sendo titular com Enderson Moreira.

Provável escalação: Fábio; Raúl Cáceres, Cacá, Ramon, Matheus Pereira; Adriano, Filipe Machado, Giovanni Piccolomo; Airton (Arthur Caíke), Rafael Sobis, William Pottker. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

O adversário

O Sampaio vive uma temporada bem irregular na Série B. O time iniciou bem mal – sofreu com surto de COVID-19 – mas se recuperou no meio do 1º turno. A vitória sobre o Cruzeiro deu muito ânimo à Bolívia Querida que seguiu no sonho de conseguir o acesso à elite do futebol brasileiro. Porém, a equipe maranhense “perdeu o gás” e tropeçou muito nas últimas rodadas: são cinco derrotas nos últimos seis jogos e uma distância indesejada para o G-4. Um triunfo sobre a tradicional equipe azul celeste é preponderante para voltar a sonhar.

O grande destaque do Sampaio Corrêa é Caio Dantas. O centroavante, que marcou um belo gol contra o Cruzeiro no 1º turno, é o artilheiro da Série B com 17 gols. Além disso, Caio é o jogador que mais deu assistências na equipe maranhense, com quatro passes para gol, e é o grande nome da equipe, mesmo estando há mais de um mês sem balançar as redes. Já Pimentinha, ponta velocista que “deitou e rolou” na marcação de Giovanni Palmieri – lateral que está afastado no Cruzeiro – foi reserva do Sampaio em boa parte do campeonato – fez apenas 13 partidas – e foi expulso no último jogo, ou seja, não poderá repetir a atuação do 1º turno.

O treinador mineiro Léo Condé, que está no Sampaio desde março de 2020, contará com Diego Tavares no lugar de Pimentinha. Além disso, o técnico terá algumas dores de cabeça positivas para escalar a equipe. André Luiz retornou de lesão e disputa a vaga de volante à frente da zaga com Léo Costa. Ao lado deles, Eloir e Vinicius Kiss travam outro duelo pela vaga de 2º volante. O restante da equipe deve ser semelhante ao time que perdeu para o CSA no dia 02 de janeiro.

Provável escalação: Gustavo; Joazi, Joécio, Daniel Felipe, João Victor; André Luiz (Léo Costa), Vinícius Kiss (Eloir), Marcinho; Diego Tavares, Caio Dantas, Roney. Técnico: Léo Condé.

Sampaio Corrêa x Cruzeiro
33ª rodada do Brasileirão Série B
08/01/2021, 21:30 horas, Estádio Castelão (MA)
Transmissão: Premiere
Árbitro: Paulo Henrique Schleich Vollkopf (MS)
Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Cícero Alessandro de Souza (MS).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários