Mesmo de barriga cheia do Natal, Atlético de Tardelli enfrenta o Coritiba com fome de três pontos

Foto: Bruno Cantini / Atlético

A ceia do Natal passou e chegou o momento que o Atlético deseja queimar a “gordura” que o São Paulo criou na liderança. Para isso, o Galo enfrenta o Coritiba neste sábado e o único resultado aceitável é a vitória. O time mineiro ainda poderá contar com um reforço: Diego Tardelli treinou normalmente nos últimos 10 dias e poderá ganhar uma chance, pelo menos no banco de reservas. Será que o ídolo atleticano irá balançar as redes pela primeira vez nesta terceira passagem?

Neste sábado, 26, o Atlético duela com o Coritiba, no Mineirão. O jogo, que será realizado às 17 horas, é válido pela 27ª rodada do Brasileirão. No primeiro turno, o Galo venceu o Coxa por 1 a 0, em Curitiba. O gol foi marcado por Eduardo Sasha, atleta que deve ser reserva nesta partida.

O momento e os números

O duelo deste sábado marca o encontro entre o 3º colocado e o 19º, ou seja, extremos da tabela do Brasileirão se enfrentarão nesta tarde em Belo Horizonte. O Galo perdeu a vice-liderança para o Flamengo e está com 46 pontos, dois atrás do rival carioca e dois à frente do Internacional, 4º colocado. Se vencer, o Atlético pode reassumir a 2ª posição, mas, em caso de tropeço, a posição no G-4 fica mais ameaçada. Já o Coritiba está em 19º e sete pontos atrás do Bahia, primeira equipe fora do Z-4. Com uma vitória, o Coxa poderia ultrapassar o Botafogo, enquanto uma derrota pode fazer o time paranaense terminar a rodada como “lanterna”. 

Os adversários desta noite estão em posições distintas e possuem objetivos diferentes, porém ambos vêm de resultados desastrosos. O Atlético perdeu de 3 a 0 para o São Paulo e viu o líder abrir sete pontos na liderança. A partida foi ainda pior visto que o time de Sampaoli não conseguiu sequer agredir o adversário. Pelo lado do Coritiba, a equipe foi derrotada, dentro de casa, pelo Botafogo – apenas a 2ª equipe, juntamente com o Sport, a conseguir a façanha de perder para o time carioca como mandante. 

Mesmo com as lembranças ruins da última partida, o atleticano tem confiança em mais uma vitória como mandante. O time tem a 2ª melhor campanha dentro de casa e venceu nove das treze partidas no Mineirão, palco do duelo desta tarde. Além disso, o Galo é o 2º maior pontuador no 2º turno e ainda vê possibilidade de título, mesmo que analistas da UFMG apontam somente 7,6% de chance de gritar campeão nesta edição.

Para dar mais confiança aos torcedores do Atlético, o momento do Coxa é horrível. O time paranaense perdeu cinco das últimas seis partidas, é a equipe que foi derrotada mais vezes no Brasileirão, tem o pior ataque e venceu uma partida pela última vez em outubro. Outro ponto que chama a atenção é que o Coritiba pontuou em só 5 jogos fora de casa, das 13 oportunidades longe do Couto Pereira. Além deste fato, o Coxa sofreu 23 gols fora de casa, média de quase dois gols sofridos por jogo como visitante.  

As curiosidades da partida

A partida desta tarde reserva particularidades. A data – um dia após o Natal – é um dos pontos mais curiosos. Segundo o Galopedia, o Atlético jogou duas vezes na história no dia 26 de dezembro e ambos os jogos foram contra o América. O Galo venceu o Coelho em 1937 por 4 a 0 e empatou por 1 a 1 em 1943, ou seja, o Atlético não joga nesta partida há 77 anos e o time alvinegro está invicto nesta data.

O retrospecto positivo para o Atlético no confronto é outro quesito chamativo. São 44 duelos entre Galo e Coxa, onde o time mineiro venceu 27 vezes, houve empate em 5 oportunidades e o Coritiba saiu de campo vitorioso em 12 partidas. Nos últimos sete jogos, foram seis vitórias do Galo, dando confiança aos torcedores mineiros.

Já como mandante, a superioridade atleticana é ainda mais curiosa. O Atlético venceu 20 das 24 partidas contra o Coxa em Minas. O último confronto no Mineirão foi em 2 de agosto de 2009, onde o Atlético venceu por 3 a 2. Jonílson, Diego Tardelli e Renan Oliveira marcaram para o Galo. Seria a partida ideal para Tardelli voltar?

A escalação

Sampaoli terá um grande problema na formação: a falta de um primeiro volante, já que as duas únicas opções estão fora. Allan foi expulso no jogo contra o São Paulo e Jair está machucado – deve retornar no início de janeiro. Por isso, o Galo tem esta grande dúvida e o meio-campo deve ter mexidas, visto que foi o alvo da crítica a Sampaoli na última partida. 

Nathan, Zaracho e Alan Franco despontam como os favoritos para ocupar as posições de organização do Atlético. O volante da base Wesley Hudson treinou com a equipe e pode ser uma surpresa. Hyoran, Eduardo Sasha – que começou a atuar como meio-campista após a chegada de Vargas – e Calebe correm por fora. Já Dylan Borrero poderia ser utilizado como volante, assim como atuou contra o Ceará, porém o limite de cinco estrangeiros por partida deve restringir a sua utilização. Para o relacionar, Sampaoli teria que deixar Alonso, Franco, Zaracho, Savarino ou Vargas de fora, ou seja, é pequena a chance. 

Na defesa existe uma dúvida sobre o companheiro de Alonso. Réver deve retomar a titularidade, visto que o Atlético deve atacar durante toda a partida e contar com os bons passes do capitão é importante. O ataque deve ser o mesmo das últimas partidas, mas com uma grande novidade: a presença de Diego Tardelli no banco. Desde o dia 15 de dezembro, Tardelli está treinando normalmente e, se tiver recuperado a forma física, poderá ganhar alguns minutos no 2º tempo. Veja a análise do blog sobre Tardelli. 

Provável escalação: Éverson; Guga, Réver (Gabriel), Alonso, Arana; Alan Franco (Wesley Hudson), Zaracho (Hyoran), Nathan (Eduardo Sasha); Savarino, Vargas, Keno. Técnico: Jorge Sampaoli.

O adversário

O Coritiba está vendo o rebaixamento cada dia mais próximo e necessita de se recuperar. Qualquer ponto conquistado contra o Atlético, em Minas Gerais, seria importante nesta batalha pela permanência. Após perder para o Sport, em 13 de dezembro, Rodrigo Santana, ex-técnico do Galo, foi demitido e Pachequinho assumiu. O treinador reestreou no Coxa com uma derrota vergonhosa de virada frente ao Botafogo.

O grande problema que o Atlético poderá encontrar nesta partida é a possibilidade de lei do ex. Giovanni Augusto, cria da base atleticana e jogador que teve um ótimo 2015 com a camisa atleticana, é um dos grandes nomes do Coritiba. O meio-campista tem a melhor nota da equipe no SofaScore.com e é o atleta que mais participou em gols no Coritiba: são quatro gols e cinco assistências neste Brasileirão. Além de Giovanni, Matheus Galdezani, volante que esteve no Galo em 2018, e Ricardo Oliveira, atacante que deixou o Atlético neste ano – o único gol dele em 2020 foi pelo Galo – podem usar a famosa lei do ex. 

O número de jogadores que já usaram a camisa atleticana só não será maior por causa de força contratual e suspensão. Os emprestados Maílton e Ramon Martínez estão fora por causa do contrato e Nathan Silva, cria da base que ainda pertence ao Galo, está suspenso. Além destes três desfalques, Pachequinho não contará com William Matheus, lateral-esquerdo que deixou a equipe. Para a ala, o treinador poderia utilizar Mattheus Oliveira, porém o “filho do Bebeto” machucou e está fora. Para a lateral-esquerda, o Coritiba deve optar pelo ala-direito Natanael improvisado.

Provável escalação: Wilson; Jonathan, Rhodolfo, Sabino e Natanael (Luiz Henrique); Matheus Sales, Matheus Galdezani e Giovanni Augusto; Rafinha, Neílton e Pablo Thomaz (Robson). Técnico: Pachequinho.

Atlético x Coritiba
27ª rodada do Brasileirão Série A
26/12/2020, 17:00 horas, Mineirão
Transmissão: Premiere
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Vanderson Antonio Zanotti (ES).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários