Com gol de Vargas, o Atlético vence o Athletico-PR e faz a sua parte fora de casa. Veja os melhores momentos!

Reprodução Instagram

Uma partida importantíssima para a luta pelo Brasileirão. O Atlético enfrentou o Athletico-PR, em Curitiba, e venceu por 1 a 0, encurtando a distância para a liderança. Com uma boa atuação, o Atlético pressiona o seu rival direto, São Paulo, que enfrenta o Corinthians neste domingo, 13. O Galo de Vargas e Éverson fez a sua parte fora de casa e deu continuidade no excelente segundo turno atleticano: são 6 rodadas e 14 pontos conquistados – 4 vitórias e 2 empates.

O Atlético venceu o Athletico-PR por 1 a 0 na Arena da Baixada. A partida aconteceu neste sábado, 12, e o único gol da partida foi marcado por Eduardo Vargas, o camisa 10 atleticano. Com isso, o Galo devolveu a vitória do primeiro turno – onde o Furacão bateu a equipe mineira por 2 a 0 no Mineirão – e venceu o rival após três derrotas consecutivas no confronto.

Os melhores momentos da vitória atleticana. Fonte: YouTube do GE.com

Com o resultado, o Atlético se aproximou do São Paulo. Com 46 pontos, o Galo terminará a rodada como vice-líder, visto que o Flamengo pode chegar no máximo aos 45 tentos. A questão para os atleticanos é ficar atento com a partida do São Paulo, próximo adversário do Galo e rival direto na busca pelo título. Pelo lado do Athletico-PR, a situação se complicou. O time já perdeu uma posição – atualmente está em 13º – e pode ficar em 15º no fim da rodada, bem mais próximo do Z-4.

O jogo e as atuações individuais

Um bom desempenho do Atlético coroou três pontos importantes para a campanha. Mesmo com uma escalação surpreendente, Sampaoli acertou em deixar Vargas – autor do gol – como titular e colocar Gabriel, que fez grande partida. O time foi bem na questão coletiva e mereceu a vitória. Em resumo, o primeiro tempo foi muito movimentado e o segundo tempo mais morno, visto que o Atlético conseguiu neutralizar e não correu perigos.

Uma atuação segura para recuperar a confiança fora de casa. O segundo turno atleticano está com um ótimo desempenho – invicto e com apenas dois tropeços – e o desempenho fora de casa será preponderante para o Galo seguir firme na disputa. Nesta partida, vários atletas tiveram boas atuações, porém o coletivo deve ser ressaltado, já que, diferentemente da partida do primeiro turno, o Athletico-PR não teve espaço.

Os pontos positivos da vitória atleticana passam por dois nomes contestados e pelo camisa 10. Éverson e Gabriel não são unanimidade em meio aos torcedores, porém foram importantíssimos para a vitória atleticana. O goleiro fez três boas defesas e o zagueiro cumpriu muito bem a sua função, além de evitar um lance perigoso no final da partida, em recuo mal feito pelo meio-campo atleticano. Já o atacante chileno foi preciso e marcou três gols. Por centímetros, dois tentos foram anulados. De ponto negativo desta partida fica o pênalti perdido por Keno, que fez boa partida, mas pecou na chance mais clara.

O primeiro tempo

Como de costume, Jorge Sampaoli surpreendeu bastante na escalação. Na defesa, Gabriel foi titular pela segunda rodada consecutiva, porém, desta vez, ao lado de Junior Alonso. Igor Rabello e Réver ficaram no banco juntos pela primeira vez neste Brasileirão. No meio-campo, Hyoran e Zaracho foram os escolhidos, deixando Eduardo Sasha, Nathan e Alan Franco no banco.

O Athletico-PR iniciou pressionando e quase marcou nos minutos iniciais. Aos 5, Nikão, cria da base do Galo, fez a sua jogada característica – da direita para o meio – e arriscou do “meio da rua”. O excelente chute de Nikão obrigou o goleiro Éverson a fazer uma grande defesa. A bola ainda bateu no travessão e quase sobrou para Carlos Eduardo, ponta do Furacão, porém Éverson recuperou e salvou a tempo. Dois minutos depois, Savarino errou o passe e entregou para Nikão na meia-lua. Ele tocou para Kayzer, que tentou e Éverson abafou.

Após este bom início da equipe paranaense, o Galo iniciou o seu domínio característico. Aos 17, Keno recebeu um belo lançamento, dominou no peito e trouxe para dentro. Em um belo cruzamento do camisa 11, Vargas cabeceou e marcou o gol. No entanto, o auxiliar marcou impedimento do ataque atleticano e o gol foi anulado corretamente.

O Atlético estava em cima. Aos 22, Keno cruzou, Savarino finalizou muito mal e a bola sobrou para Guilherme Arana. O lateral fez outro cruzamento, encontrou Vargas, mas o chileno não conseguiu finalizar. No rebote, já fora da área, Allan arriscou de longa distância, mas errou a direção.

No minuto 29, uma penalidade máxima foi marcada para o Atlético. Zaracho tocou para Savarino e o venezuelano tentou cruzar. A bola foi interceptada pela mão de Abner. Pênalti indiscutível para o Galo. Keno pegou a bola e bateu no canto esquerdo de Santos. O goleiro pulou e fez grande defesa, evitando o gol atleticano. 2º pênalti desperdiçado pelo artilheiro atleticano em sequência.

O Furacão tentou aproveitar o momento pós-erro do Atlético e chegou ao ataque. Após bobeada de Hyoran, Nikão tocou para Carlos Eduardo livre. O camisa 96 finalizou e Éverson fez uma bela defesa. No lance seguinte, Keno tentou se redimir. O camisa 11 fez a sua tradicional jogada – da esquerda para o meio – e chutou. A bola passou muito perto do ângulo de Santos.

O primeiro tempo movimentado encerrou com um gol do Atlético. Em contra-ataque do Galo, Keno acelerou pelo meio e tocou para Eduardo Vargas pela direita. O camisa 10 entrou na área e bateu firme, no canto do goleiro Santos. O arqueiro foi surpreendido e não conseguiu fazer a defesa. Mérito do chileno, que marcou o seu primeiro gol com a camisa alvinegra. 1 a 0 no placar e fim de 45 minutos acima da média na Arena da Baixada.

O segundo tempo

A segunda parte começou da forma que terminou a primeira: eletrizante. Em boa jogada de Savarino pela direita, Vargas foi encontrado nas costas da defesa. O chileno, em noite inspirada, entrou na área, driblou o zagueiro e bateu com a perna esquerda. Vargas fez o seu terceiro gol na partida na sua terceira finalização, porém, novamente, ele estava impedido. Os auxiliares acertaram nos dois impedimentos de Eduardo Vargas.

Depois disso, o segundo tempo foi se desenhando bem morno: até a metade da segunda parte, o Athletico-PR havia finalizado duas vezes – sem perigos para Éverson – e o Galo só tinha chegado no lance em que Vargas estava adiantado.

Após a entrada de Nathan, o Atlético até tentou chegar na bola aérea, buscando Vargas e o próprio Nathan. Em um cruzamento da direita, Vargas e Nathan dividiram a bola de cabeça e não colocaram perigo na finalização compartilhada. Pelo outro lado, o Athletico-PR apresentou uma grande dificuldade na saída de bola. O Furacão chegou aos 27, em cabeceio para fora de Renato Kayzer.

O jogo foi chegando ao fim e vantagem magra atleticana começou a deixar os torcedores apreensivos. Aos 82, o lateral-direito Erick chegou na linha de fundo e cruzou. Mesmo com três zagueiros – Réver entrou no segundo tempo – o Atlético deu liberdade e Abner chegou testando com facilidade. A sorte atleticana foi que o cabeceio não foi forte e Éverson encaixou com segurança.

O fim de jogo

O apito final marcou um alívio para os atleticanos que buscavam esta vitória para seguirem vivos na competição. O primeiro tempo foi maluco, com boas chances para as duas equipes, e o segundo tempo foi mais calmo. Mérito do Atlético de Sampaoli que soube a hora certa de neutralizar e estará mais descansado para a partida contra o líder São Paulo na próxima quarta-feira, 16.

A luta irá persistir até meados de fevereiro e o Atlético mostrou que estará presente na batalha. Faltam 13 partidas para o fim do Brasileirão e as boas atuações e a regularidade devem ser os principais pontos de cobrança do torcedor. Sampaoli acertou e escalou uma equipe ligada na partida desta tarde. Mérito também do elenco que foi bem e mereceu se aproximar do líder. Foco, Atlético!

O Atlético volta a campo na próxima quarta-feira, 16, às 21:30, contra o São Paulo, no Morumbi.

Números da partida
Athlético-PR x Atlético
42% Posse de bola 58%
16 Finalizações 10
5 Finalizações no gol 3
5 Escanteios 3
4 Impedimentos 4
20 Faltas 13
1 Grandes oportunidades 1
1 Grandes oportunidades perdidas 1
353 Passes 484
281(80%) Passes certos 417(86%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.