Em jogo morno, Cruzeiro bate o Vitória e se aproxima do grupo de acesso

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Não foi a melhor partida do Cruzeiro. Talvez a atuação deste noite não merecesse os três pontos, porém a Raposa encontrou um adversário que também não fez por merecer. Portanto, os três pontos foram, com justiça, para a equipe que balançou as redes. Mérito da bola parada do Cruzeiro, que definiu mais uma partida e colocou o time mineiro mais próxima do G-4. 

O Cruzeiro bateu o Vitória por 1 a 0 nesta sexta,11, no Estádio do Barradão, casa da equipe baiana. Com este triunfo, a Raposa terminará a Série B com seis pontos conquistados sobre a equipe rubro-negra, já que venceu no Mineirão, em setembro, pelo mesmo resultado.

Com o placar positivo, o Cruzeiro continuou na 11ª posição, porém se aproximou mais do objetivo: a 4ª colocação. Com mais uma vitória fora de casa, a Raposa chegou aos 38 pontos e está apenas a 6 pontos do G-4. Porém, é importante ressaltar que alguns concorrentes jogarão neste sábado, podendo fazer com que a diferença fique no máximo em 8 pontos, ou seja, a distância diminuiu. Já o Vitória tem que olhar para a parte debaixo da tabela, visto que está somente 5 pontos à frente do FIgueirense, 17º colocado. 

O jogo e as atuações individuais

A partida ficou bem dividida pelo intervalo, já que cada tempo foi de uma equipe. O Vitória dominou a primeira etapa e a Raposa chegou no campo de ataque apenas uma vez. Felizmente, marcou. Já os 45 minutos finais foram do Cruzeiro, com amplo domínio das ações e uma neutralização das pobres tentativas do Vitória. Resultado: três pontos para o Cruzeiro e uma partida muito ruim. 

Em resumo, o Cruzeiro novamente teve um desempenho abaixo do esperado e só conseguiu desempenhar um bom futebol no início da segunda etapa. O primeiro tempo foi decepcionante e Ramon, em boa assistência de Machado, salvou a atuação. O restante da partida foi marcado por toques inofensivos. O triunfo aconteceu, a vantagem diminuiu e a chance do acesso aumentou, porém o futebol deve melhorar para ter regularidade. 

De ponto positivo ficam as jogadas aéreas, que salvaram mais uma vez o Cruzeiro. A equipe mineira contou com uma boa testada de Ramon, que faz uma excelente dupla de zaga com Manoel. Rafael Sobis e Machado seguem sendo bons nomes de criação e batem bem na bola, ou seja, são importantes para a principal arma cruzeirense. De ponto negativo fica a atuação ruim e a transição lenta exercida pela equipe. 

O primeiro tempo

Mais uma vez, Luiz Felipe Scolari não fez grandes invenções na formação inicial. Com Jadsom Silva suspenso, Felipão optou pelo volante que leva o mesmo nome: Jadson foi a opção para jogar ao lado de Adriano. Com a volta de Airton, Welinton perdeu o espaço. O restante da escalação foi mantida.

O primeiro tempo iniciou com pressão do Vitória. Em uma falta cometida por Ramon, aos 13, Vico bateu de longa distância e obrigou o goleiro Fábio a fazer boa defesa. 

Até o minuto 43 da primeira etapa, o Cruzeiro não havia finalizado e não conseguia fazer a transição. Neste minuto aconteceu um lance inusitado e infeliz para a equipe baiana. O goleiro Ronaldo saiu para antecipar um lançamento de Machado e tirou a bola para lateral, mas acabou se lesionando. Com isso, Mazola Júnior, técnico estreante da noite, colocou em campo Yuri, goleiro que não havia jogado como profissional. 

O jovem arqueiro entrou, no entanto não estreou com sorte. No lance seguinte, o Cruzeiro descolou um escanteio. Aos 44, Machado cruzou e Ramon testou firme para o fundo das redes da sua ex-equipe. A lei do ex vigorou no Barradão. Sorte da Raposa, que na sua primeira tentativa, abriu o marcador. 1 a 0 no placar para o Cruzeiro.

O Vitória até tentou reagir nos minutos seguintes, porém não deu certo. Aos 47, em uma boa jogada, Vico acelerou pela direita, tocou para Fernando Neto e o meio-campista encontrou Léo Ceará. O vice-artilheiro da Série B arriscou pela primeira vez e Fábio fez uma boa intervenção, no último lance da primeira etapa.

O segundo tempo

O Cruzeiro voltou mais tranquilo para a segunda etapa, visto a vantagem adquirida nos minutos finais na cabeçada de Ramon. Por isso, a equipe de Felipão conseguiu sair mais para o ataque. Aos 4, Rafael Sobis ajeitou para Arthur Caíke, que entrou na área e bateu forte no gol de Yuri. O jovem goleiro fez uma boa defesa e evitou o segundo gol cruzeirense. 

No minuto 9, uma excelente chance criada por Rafael Sobis. O camisa 23 bateu um escanteio pela esquerda e a defesa do Vitória tirou. No rebote, o atacante tentou aproveitar a inexperiência do goleiro e quase balançou as redes. Sobis bateu cruzado, encobriu o goleiro e acertou a trave da meta do time baiano.

Diferentemente da primeira etapa, o Cruzeiro estava dominando as ações da segunda parte. Felipão modificou a equipe – promoveu a estreia de Giovanni Piccolomo – e viu o seu time ficar com um jogador a mais aos 25, em uma falta boba do já amarelado Lucas Cândido.

O jogo morno foi se desenhando e o resultado positivo tranquilizava o Cruzeiro. No final da partida, aos 46, a Raposa teve grande chance com Welinton. O ponta veloz acelerou, driblou o goleiro e perdeu um gol incrível. Welinton finalizou sem goleiro e errou a direção. Sorte dos cruzeirenses e do próprio atacante é que o tento não faria diferença para a pontuação do Cruzeiro.

O fim de jogo

Apito final e alívio para os torcedores, já que os cruzeirenses estavam ansiosos pelos três pontos e todos que acompanhavam a partida pediam pelo fim de uma partida muito ruim. Bom para o Cruzeiro que triunfou fora de casa novamente e viu a diferença para o G-4 diminuir. São 25 pontos – sete vitórias, quatro empates e uma derrota – sob comando de Felipão e uma possível arrancada pode ganhar mais força.

Ainda existem muitos problemas que dificultam a existência de um bom futebol por parte do Cruzeiro. Melhorar a forma de jogo é o caminho ideal para a regularidade. Porém, neste momento da temporada, o resultado é mais importante. Para pontuar o suficiente para buscar o acesso, o Cruzeiro tem que melhorar, batalhar e deixar o sangue em campo. Nesta noite, os três pontos foram para BH por causa da vontade e da cabeçada de Ramon. Bom resultado, apenas. Foco no trabalho para sonhar com o acesso, Cruzeiro!

O Cruzeiro volta a campo na próxima terça-feira, 11, às 21:30, contra o CSA, no Independência.

Números da partida
Vitória x Cruzeiro
53% Posse de bola 47%
9 Finalizações 7
2 Finalizações no gol 3
2 Escanteios 3
3 Impedimentos 4
26 Faltas 17
0 Grande chances 1
0 Grandes chances perdidas 1
459 Passes 390
408(89%) Passes certos 321(82%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.