As promessas e os desafios de Sérgio Coelho: ele será eleito presidente do Atlético nesta sexta

Sérgio Coelho à esquerda e José Murilo Procópio à direita. Foto: Geraldo Goulart Neto

O Atlético confirmará nesta sexta, 11, Sérgio Coelho como o próximo presidente da instituição. A eleição terá chapa única e será meramente protocolar, visto que o candidato necessita apenas de uma maioria simples para ser eleito. José Murilo Procópio é o vice-presidente da chapa “Galo Sempre Forte”.

A eleição acontecerá nesta sexta no Labareda e o Sérgio assumirá em 1º de janeiro de 2021, dia seguinte ao fim do mandato de Sérgio Sette Câmara e Lásaro Cândido, que não quiseram disputar a reeleição. Sérgio Coelho será eleito para um triênio (2021-2023) e será o presidente na inauguração da casa do atleticano: a Arena MRV.

O processo eleitoral

A eleição presidencial do Atlético acontecerá no clube Labareda nesta sexta, 11. Os conselheiros poderão votar desde às 8 da manhã até às 17 horas. Após o encerramento, irá acontecer a apuração. A curiosidade é que na última oportunidade em que a eleição atleticana teve chapa única – quando Daniel Nepomuceno foi eleito, em 2014 – o Conselho do Galo nem apurou os votos, já que estava certo a vitória do candidato.

Como Sérgio Coelho é o único candidato, o futuro presidente necessita apenas de maioria simples, ou seja, 50% dos votos mais um, número que facilmente será alcançado. Por isso, a eleição é protocolar. Os conselheiros poderão votar branco ou anular o seu voto, porém estas escolhas não devem ser predominantes.

O futuro atleticano passa pela mão de 378 conselheiros que votam representando a massa atleticana. Destes 378 conselheiros, 369 estão aptos para votar nesta sexta. Devido ao atual momento pandêmico em que estamos inseridos, mais alguns devem se ausentar.

A chapa “Galo Sempre Forte”

Sérgio Coelho e José Murilo Procópio inscreveram a sua chapa com um nome que indica uma promessa de gestão: Galo Sempre Forte. A torcida espera que isso seja cumprida e que os três anos sejam de muitas felicidades.

Sérgio Batista Coelho, candidato à presidência, tem 60 anos, é administrador e trabalha como gestor há 34 anos. Ele trabalhou no Atlético como dirigente não remunerado por 8 anos: foi vice-presidente no mandato de Nélio Brant (1998-2001) e na gestão de Ricardo Guimarães (2001-2006). Segundo o próprio, ele aprendeu muito sobre futebol nesta época, além de inaugurar a Cidade do Galo.

José Murilo Procópio de Carvalho, vice-presidente da chapa, é advogado e foi vice do jurídico do Galo na gestão de Ricardo Guimarães. Atualmente, ele é conselheiro da Comissão de Ética e Disciplina. José Murilo Procópio teve seu escritório de advocacia ligado ao Atlético sobre diversas questões da FIFA.

Apoio dos investidores

O ponto principal da candidatura de Sérgio Coelho e José Murilo Procópio é o apoio dos principais investidores atleticanos: Rafael e Rubens Menin, Ricardo Guimarães e Renato Salvador. Os 4 r ‘s, como são carinhosamente chamados pelos torcedores, escolheram a chapa como forma de representação e estarão gerindo o Atlético juntamente com eles.

A importância de ter os patrocinadores é enorme, visto o grande investimento feito em 2020. Se não fosse o dinheiro desembolsado por estes magnatas, o Atlético estaria em uma situação bem mais complicada. Como a Arena deve estar pronta em menos de dois anos, os investidores desejam ter uma equipe forte e confiam que Sérgio Coelho irá administrar bem a equipe alvinegra.

Em uma carta enviada para os conselheiros, Sérgio e José Murilo pedem que os conselheiros compareçam na eleição desta sexta e afirmam que, certamente, a chapa foi bem aceita, já que não houve oposição. Com certeza, o nome de Sérgio Coelho e José Murilo Procópio foi aceito com facilidade por causa do apoio dos investidores. Se os 4 r ‘s desejam algo, o atleticano também.

Principais promessas

Como toda campanha política, os candidatos fizeram promessas. Sérgio Coelho e José Murilo Procópio basearam as suas promessas em quatro tópicos: sanear as finanças, alavancar as divisões de base, inaugurar a Arena MRV e montar um time competitivo.

Na parte financeira, a nova chapa terá dificuldade pelo atual momento que estamos vivendo, o qual atingiu todos os times. Porém, o Atlético irá receber dinheiro referente à televisão no início de 2021 e poderá organizar as finanças. No orçamento aprovado para o próximo ano, 30 milhões foram separados para pagamento de débitos internacionais.

A categoria de base deve seguirá melhorando com a continuação no trabalho de Júnior Chávare com o consenso de Jorge Sampaoli. Já a Arena MRV deve ser inaugurada no meio de 2022 e as obras seguem a pleno vapor.

A manutenção de uma equipe competitiva passa pelo apoio dos investidores, que auxilirão o Atlético a continuar na caça aos títulos. Além disso, Sérgio Coelho tem um objetivo claro: renovar com Jorge Sampaoli e Alexandre Mattos, visto que ambos têm contrato até dezembro de 2021. A nova diretoria já declarou que pretende manter as duas peças.

O primeiro ato prometido por Sérgio é pedir para Castellar Guimarães FIlho, presidente do Conselho Deliberativo, para contratar uma auditoria permanente, a fim de acompanhar e investigar qualquer irregularidade do passado e do presente atleticano. Uma medida positiva para uma equipe que visa um futuro saudável.

Os desafios

O principal desafio é, sem nenhuma dúvida, administrar o Atlético e manter a instituição sem crises. Além disso, cumprir as promessas descritas acima é o caminho ideal para tudo. Já que o Atlético está em ascensão, muito em razão do forte investimento dos 4 r ‘s, Sérgio Coelho terá força para enfrentar todos estes desafios.

Porém, como descrito por Fred Ribeiro, no portal Ge.com, Sérgio Coelho e José Murilo Procópio terão um desafio logo no início de mandato, em janeiro. Atualmente, o Atlético está com uma folha salarial atrasada – referente a novembro, que venceu no último dia 7 – e a primeira parcela do 13º, que deveria ter sido pago mês passado. Os débitos de outubro já foram quitados. 

Além disso, os direitos de imagens e a 2ª parcela do 13º vencem no dia 20 deste mês de dezembro e aumentarão as dívidas atleticanas com o próprio plantel. A remuneração sobre as férias também vence neste mês. Segundo Sérgio Sette Câmara, ele irá entregar o seu posto com tudo em dia, porém com as várias dívidas, há a possibilidade de Sérgio Coelho herdar esses problemas e iniciar o seu mandato com uma certa dor de cabeça.

Sérgio Coelho será o presidente do Atlético pelos próximos três anos. Ele será o gestor na inauguração da Arena MRV e montará, juntamente com os investidores, uma equipe forte para competir “nas cabeças”. Boa sorte, Sérgio Coelho e José Murilo Procópio!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários