Atlético erra defensivamente, empata com o Internacional e vê a liderança mais distante

Reprodução Twitter

O Atlético não teve a atuação esperada, enquanto o Internacional se superou e conseguiu arrancar um importante ponto em Minas Gerais. A razão do tropeço atleticano são os erros individuais, os quais culminaram nos dois gols colorados. Além disso, o Atlético não criou chances após virar a partida e agora vê a liderança mais distante. 

Neste domingo, 06, Atlético e Internacional empataram por 2 a 2 no Mineirão. Com este resultado, o Galo encerra o campeonato sem vencer o Colorado, visto que a equipe gaúcha triunfou em casa e empatou esta partida, longe do Rio Grande do Sul. 

Com o resultado, o Atlético se distanciou da liderança. O time de Sampaoli alcançou os 43 pontos, com 24 jogos, e está 4 pontos atrás do líder São Paulo, que irá chegar à 24ª partida na próxima quarta, contra o Botafogo, ou seja, a equipe de Fernando Diniz tem grandes chances de abrir 7 pontos para o rival mineiro. Ao olhar para baixo, o Atlético vê o Flamengo, um ponto atrás e com uma partida a menos, e vários rivais com a pontuação entre 40 e 38 pontos, inclusive o Internacional, que está em 6º, com 38 pontos. 

O jogo e as atuações individuais

A partida atleticana foi fraca, ainda mais comparando com algumas exibições dentro do Mineirão. A defesa do Atlético errou bisonhamente nos dois tentos do Colorado e foram cruciais para o tropeço do Galo. Já a parte ofensiva pouco criou e foram apenas duas finalizações certeiras. Pela segunda vez, como mandante, o Atlético chutou menos que o adversário. 

Sampaoli tentou utilizar uma formação diferente e não funcionou, principalmente no meio-campo. A defesa contou com erros individuais e não com erros do próprio sistema e, com a volta de Junior Alonso na próxima rodada, este problema deve ser resolvido. O erro do treinador foi não povoar tão bem o meio-campo, que em muitos momentos ficou sem criação. As únicas boas jogadas que partiram da “meiuca” saíram dos pés de Hyoran – na ótima enfiada para Vargas no primeiro tempo – e com Guilherme Arana, que encontrou Keno livre várias vezes.

De ponto positivo fica o bom desempenho da dobradinha Arana-Keno. A dupla, mais uma vez, se destacou e resultou em gol. Hyoran, além do gol, foi peça importante taticamente e ainda contribuiu com bons passes. De ponto negativo fica a atuação defensiva de Allan, Réver e Igor Rabello, que falharam nos gols colorados. Além disso, Sampaoli terá a missão até a próxima partida de tentar entender como encaixar as suas peças, ainda mais com a volta de Savarino. 

O primeiro tempo

Logo na escalação, Sampaoli surpreendeu os atleticanos. O treinador colocou Gabriel na linha de zagueiros, ao lado de Réver e Igor Rabello. No meio-campo, ele optou por Allan e Hyoran. Por isso, desde o início da primeira etapa, o Atlético foi visto em um 3-1-4-2, com Sasha trabalhando na linha de meio-campistas e Vargas e Keno mais adiantados. 

E os 45 minutos iniciais começaram animados. No minuto 8, Réver saiu para dar combate na ala esquerda e deixou o “miolo” de zaga desfalcado. O Internacional aproveitou. Marcos Guilherme tabelou com Leandro Fernández e cruzou na cabeça de Yuri Alberto. O camisa 11 entrou e testou para o chão, como manda o manual. Gol em uma bobeira grande de Réver, que havia saído para dar combate e não voltou, e, principalmente, Igor Rabello, que não acompanhou a entrada do atacante. 1 a 0 para o Internacional.

Porém a vantagem colorada não durou dois minutos. Em escanteio cobrado pela esquerda, Sasha dominou e tocou para Réver, que recuou para Guga. O lateral tentou devolver para os companheiros e Cuesta cortou. A questão é que o zagueiro do Internacional encontrou Réver, que cruzou rasteiro e a bola chocou com o pé de Musto. Gol contra. Gol importante do Galo. 1 a 1 no marcador do Mineirão.

O restante do primeiro tempo foi mais morno, esquentando apenas nos minutos finais, com boas chances de Vargas. Vale ressaltar que Arana finalizou no minuto 2, quando o jogo estava 0 a 0. A bola tirou tinta da meta de Marcelo Lomba.

As boas jogadas do chileno aconteceram a partir dos 34 da primeira etapa. Keno fez boa jogada, finalizou e a bola desviou na zaga do Internacional. Com isso, Vargas fez o gol, porém estava bem impedido.

 Aos 40, Hyoran fez um belo lançamento para o camisa 10 e ele quase fez. Vargas entrou na área, bateu cruzado e a bola passou raspando a trave direita de Lomba. No último lance, Réver lançou, Sasha escorou de cabeça e Vargas finalizou, mas desta vez a bola passou por cima da meta colorada. 

O segundo tempo

Ambas as equipes voltaram para os 45 minutos finais sem mudança, porém o Galo voltou mais ligado. Aos 7, Arana lançou Keno, que tocou para trás e encontrou Allan. O volante atleticano cruzou, Guga dominou e tentou tocar para Hyoran. O meio-campista e o lateral idealizaram jogadas diferentes e por pouco o Atlético não teve uma grande chance.

No minuto 11, Keno fez um belo cruzamento para Hyoran e o meio-campista cabeceou para o meio, encontrando Eduardo Sasha. O camisa 18 testou, tentando pegar Lomba no contrapé, mas tirou demais do gol e errou o alvo. Mas essa dobradinha Keno-Hyoran estava esquentando.

E deu certo aos 15. Keno fez a sua jogada característica pela esquerda – trazer da ponta para o centro – e cruzou na cabeça de Hyoran. O camisa 20 cabeceou firme, no canto e decretou a virada atleticana. 3º gol de Hyoran na competição e o 2º gol do Galo na partida. 2 a 1 para o Atlético.

O Internacional tentou chegar, arriscando de fora da área com Rodrigo Lindoso e com uma boa chance com Thiago Galhardo, dois jogadores que entraram no 2º tempo. Aos 24, o volante chutou forte de longa distância, a bola desviou em Réver e assustou o goleiro Éverson. Cinco minutos depois, Galhardo recebeu no meio da zaga atleticana e bateu. O arqueiro atleticano fez uma boa defesa e espalmou para a linha de fundo. 

O Atlético foi fazendo substituições e perdendo o ímpeto ofensivo. Com isso, o Inter aproveitou. Em erro infantil de Allan e Réver, o Colorado empatou aos 42. O volante atleticano errou o domínio e tentou recuar para o goleiro Éverson. Réver tentou interceptar e tirar a bola dali, só que o “balão” do capitão atleticano bateu em Maurício e acabou dando a assistência para Peglow. O atacante do Internacional entrou na área com muita liberdade, bateu cruzado e marcou o gol decisivo. 2 a 2 no placar. 

O fim do jogo

O Atlético até tentou reagir nos minutos finais, mas foi tarde. O Galo esteve apático em diversos momentos da partida e não conseguiu imprimir a sua pressão característica contra um time que vivia uma má fase. Mérito do Internacional, que conseguiu arrancar um ponto fora de casa do melhor mandante da competição. 

Como recado para os próximos treinamentos: treinar lances defensivos e organizar a criação. No entanto, é necessário repetir aos atleticanos após cada tropeço: não é terra arrasada. A atuação não foi boa e Sampaoli terá trabalho e oportunidades para corrigir os erros. Faltam 14 rodadas e ainda há tempo para diversas supresas e arrancadas. Treinamento e encaixe são as palavras do momento!

O Atlético volta a campo no próximo sábado, às 17:00, contra o Athletico-PR, na Arena da Baixada.

Números da partida
Atlético x Internacional
63% Posse de bola 37%
9 Finalizações 10
2 Finalizações no gol 3
3 Escanteios 4
4 Impedimentos 5
18 Faltas 14
1 Grandes oportunidades 2
1 Grandes oportunidades perdidas 0
584Passes 316
502(86%)
Passes certos 241 (76%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários