Um ano da partida mais trágica da história do Cruzeiro. Por onde andam os atletas envolvidos?

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

28/11/2019. Uma data trágica, marcante e, infelizmente, inesquecível para os torcedores cruzeirenses. Um ano atrás, Cruzeiro enfrentava CSA no Mineirão, em um jogo importantíssimo para a tentativa de se salvar, visto que o time alagoano já estava com 99% de chance de se rebaixar. O placar, ao final do jogo, marcou 1 a 0 para o CSA, com um erro displicente de Thiago Neves.

O CSA abriu o placar aos 42 do 1º tempo e teve outras boas chances na partida. No minuto 15 da 2ª etapa, mais de 34 mil cruzeirenses presentes no Mineirão vibraram com o pênalti sofrido por Pedro Rocha. Poderia ser o gol de empate. Thiago Neves na bola e um erro grotesco. Um lance inesquecível que apagou todo o carinho que a torcida celeste tinha com o bicampeão da Copa do Brasil. Os 34 mil torcedores presentes mostraram isso por meio de uma vaia.

Fim de jogo e 1 a 0 no placar naquela trágica partida. Para muitos, este foi o jogo que realmente “caiu a ficha” que o Cruzeiro disputaria pela primeira vez na sua história a Série B. Foram três pontos cruciais deixados contra uma equipe fraca, que também foi rebaixada. Após este fato, o Cruzeiro perdeu as três últimas partidas – contra Vasco, Grêmio e Palmeiras – e não conseguiu ultrapassar o Ceará, que também foi derrotado nos três derradeiros jogos.

Uma data marcante na rica história cruzeirense. Um fato triste, porém é necessário lembrar para refletir a reconstrução que está sendo feita. O blog Bola Pra Frente trouxe detalhes de cada um dos 14 jogadores envolvidos naquela tragédia contra o CSA. Analisando o 2020 destes atletas é possível concluir, com mais certeza ainda, os erros na montagem do elenco da Raposa em 2019.

Fábio

O ídolo seguiu na equipe. Mesmo com toda esta crise, adequação de salários e mudanças de treinadores, Fábio segue firme. Ele completou 40 anos em 30 de setembro e também chegou a marca de 900 jogos com a camisa azul celeste. Na Série B, Fábio participou de todos os 24 jogos da equipe, resultando nos 2160 minutos da Raposa na divisão de acesso. Ele fez várias defesas, inclusive um pênalti contra o Juventude, e está segurando a barra para o Cruzeiro.

Orejuela

Um lateral muito talentoso e um dos únicos destaques de 2019. Tanto que ele foi para um ótimo time e está disputando a Libertadores. O Cruzeiro comprou Orejuela em definitivo, com ajuda de Pedrinho, e emprestou ao Grêmio no início do ano, visto que o atleta desejava seguir na Série A. No início do mês, houve até um novo capítulo da negociação em definitivo com o tricolor gaúcho, que deve acontecer em breve. Pelo Grêmio, Orejuela fez 28 jogos e um gol.

Cacá

A promessa da base continuou. Cacá é um dos poucos ativos que podem render grana para o Cruzeiro, equipe que precisa tanto de vendas. Cacá foi sondado por vários times durante o ano: o Athletico-PR até fez proposta, o Palmeiras sondou, porém ele segue como titular da Raposa. Neste ano, Cacá fez 30 jogos e marcou dois gols. 

Léo

O zagueiro também seguiu no Cruzeiro. São mais de 10 anos como defensor da Raposa e um respeito enorme pela instituição. Léo segue sendo criticado pela torcida, no entanto continua tentando dar o seu melhor. Ele esteve machucado nos últimos meses e foi (muito bem) substituído por Manoel. Ele retornou aos treinos nesta semana e em breve estará à disposição de Felipão. Nesta temporada, Léo fez 21 jogos e marcou apenas um gol. 

Egídio

Um lateral-esquerdo que a torcida não se esquecerá tão cedo. A passagem de Egídio ficou marcada pelo seu enorme carisma fora de campo e os diversos erros dentro das quatro linhas. Ele rescindiu o contrato no início do ano e foi para o Fluminense, onde ele estava mal e se tornou reserva de Danilo Barcelos – ex-América e Atlético. No tricolor carioca, Egídio fez 30 jogos e não balançou as redes.

Henrique

Uma das histórias mais curiosas. Henrique deixou o Cruzeiro em janeiro e voltou seis meses depois. Ele foi emprestado ao Fluminense, fez 7 jogos e se tornou reserva. Após a pausa do futebol, Henrique retornou e esteve em campo 8 vezes neste ano pelo Cruzeiro. Mesmo com muita história, o volante estava sendo muito criticado quando estava em campo. No atual momento, Henrique está machucado e deve voltar nas próximas semanas.

Éderson

A cria da base tinha tudo para se desenvolver neste ano e ser negociado com outra equipe, assim como Maurício. Mas Éderson preferiu entrar na justiça e conseguiu rescindir o contrato com o Cruzeiro. Ele foi para o Corinthians, viveu um bom momento na reta final do campeonato paulista – três gols em três jogos consecutivos – porém vive um mau momento e é reserva da fraca equipe paulista. São 24 jogos no Corinthians e apenas estes três gols.

Robinho

Um ícone das conquistas da Copa do Brasil, mas que deixou o Cruzeiro marcado pela campanha ridícula de 2019. Robinho até atuou pela Raposa neste ano, fez uma partida, porém conseguiu a rescisão do contrato em agosto e foi para o Grêmio. No tricolor gaúcho, o meio-campista fez 15 partidas e ainda não marcou gol.

Thiago Neves

O personagem principal do rebaixamento e, principalmente, desta partida contra o CSA. TN10 ou TN30, como era chamado nos tempos pacíficos entre o jogador e a torcida, deixou o Cruzeiro em janeiro e foi para o Grêmio. No tricolor gaúcho, Thiago fez 14 jogos e só marcou um gol. Após rescindir com o time de Renato Gaúcho, Thiago Neves quase voltou para BH. O Atlético fez um acordo com o meio-campista, porém a torcida reagiu e o Galo recuou, em uma das histórias mais inusitadas de 2020. Após este caso, Thiago foi para o Sport, onde é titular, esteve em campo em 11 oportunidades e fez dois gols.

Ezequiel

O ponta teve uma passagem rápida e aleatória pelo Cruzeiro. Em 2019, ele estava no Sport, cedido pelo Botafogo, e o Cruzeiro o contratou por empréstimo. Em 14 jogos, Ezequiel não fez gols e voltou ao Botafogo. Atualmente, o extremo está no Sanfrecce Hiroshima, do Japão. No mundo oriental, Ezequiel fez 2 gols em 16 partidas.

Sassá

O atacante, que tem um longo histórico com problemas extracampo, foi emprestado ao Coritiba no início do ano. Sassá fez quatro gols em 18 jogos, porém foi devolvido ao Cruzeiro após um caso de indisciplina do jogador, logo depois de um clássico perdido para o Athletico-PR. Sassá retornou ao Cruzeiro e ainda não marcou gols. Em oito jogos, o atacante foi bem contestado pela torcida.

Pedro Rocha

O ponta e Orejuela foram os únicos casos de jogadores que se deram bem na carreira após saírem do Cruzeiro de 2019. Pedro Rocha chegou emprestado e fez quatro gols em 33 jogos pela Raposa. Após isso, o Spartak Moscou, dono do passe do jovem atleta, emprestou Pedro ao Flamengo, dono do melhor elenco do Brasil. Só que na equipe carioca, Pedro está decepcionando. Com muitas lesões, Pedro Rocha fez apenas 10 jogos e marcou só um gol.

Fred

Um grande jogador que deixou um grande rombo financeiro. Fred saiu do Cruzeiro no início do ano e logo depois entrou na justiça, alegando que deveria receber 77 milhões referentes aos salários atrasados e por causa da multa rescisória. Nos últimos dias, o atleta e o Cruzeiro fizeram um acordo, que foi detalhado pelo blog. Dentro de campo, Fred deixou a Raposa e voltou para o Fluminense, onde ele é ídolo. Mas com a concorrência de jovens, Fred é reserva em várias ocasiões e fez apenas dois gols em 16 jogos. 

Joel

O camaronês fez apenas quatro partidas pelo Cruzeiro em 2019, porém, infelizmente para o atleta, ele entrou na trágica partida contra o CSA. No início do ano, Joel foi emprestado ao Marítimo, de Portugal. No meio do ano, o vínculo com o Cruzeiro se encerrou e Joel agradeceu pela oportunidade de vestir a camisa azul celeste. Ele segue no time português, onde ele fez três gols em 23 jogos neste ano.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários