Para seguir sonhando com o acesso, Cruzeiro duela com o Confiança nesta sexta

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

O melhor momento do Cruzeiro no ano. Sem nenhuma dúvida a chegada de Luiz Felipe Scolari mudou o ambiente da Raposa. Foram 7 jogos e 15 pontos sob o comando do experiente treinador, que motivou a equipe. O acesso parece ser uma ambição distante, porém é possível sonhar. A distância é de nove pontos e a missão mais importante é vencer todas em casa. 

O Cruzeiro recebe o Confiança nesta sexta, 27, às 21:30, no Estádio Mineirão. A partida é válida pela 24ª rodada do Brasileirão Série B. No primeiro turno, o time sergipano e a equipe mineira empataram por 1 a 1. O Cruzeiro abriu o placar com Raúl Cáceres e o Confiança empatou graças ao gol de Reis.

Momento e números

As duas equipes têm desempenho semelhante na Série B. O Confiança está em 10º, com 32 pontos, enquanto o Cruzeiro está cinco posições abaixo, em 15º, todavia há apenas quatro pontos de distância entre os times. Se a Raposa vencer, além de se aproximar do G-4, o time azul celeste se distanciará mais do Z-4 e poderá alcançar até a 11ª colocação. Já o Confiança, com os três pontos, pode chegar na 8ª posição. 

Os rivais desta noite vêm de boas vitórias, contra os times que lideraram a Série B 2020. O Confiança bateu o Cuiabá, ex-líder e atual 5º colocado, por 2 a 0, em Sergipe. Uma vitória incontestável da equipe sergipana. Enquanto isso, a Raposa bateu a Chapecoense, líder e sensação da divisão de acesso. O gol de Rafael Sóbis, em uma bela cobrança de falta, foi um momento marcante desta campanha irregular do Cruzeiro na Série B.

As semelhanças entre os times são ainda mais chamativas. As campanhas parecidas de Confiança e Cruzeiro têm uma igualdade no quesito de gols marcados: cada uma das equipes marcou 25 gols na competição, uma média baixa e ligeiramente acima de um gol por jogo. Futebol semelhante, números coincidentes e um empate, mais uma vez, não seria nenhuma surpresa. 

O retrospecto é bem curto, mas favorável ao Cruzeiro, visto que a equipe mineira nunca perdeu para o Confiança. Foram dois jogos em 1976 – ano da primeira conquista da Libertadores pelo Cruzeiro – onde a Raposa venceu as duas partidas, sem sofrer gols: 2 a 0 e depois 3 a 0. Neste ano houve empate, nos únicos três embates entre os times. 

O problema caseiro

A grande dor de cabeça de Felipão, dos jogadores e dos torcedores é o desempenho em casa. O Cruzeiro é o 5º pior mandante, tendo desempenho melhor que os quatro times da zona do rebaixamento, um número vergonhoso para um clube como o Cruzeiro e um estádio histórico como o Mineirão.

No Gigante da Pampulha, a Raposa fez doze jogos e tropeçou oito vezes. São quatro vitórias, quatro empates e quatro derrotas, em um aproveitamento de somente 44,4%. Nas últimas duas oportunidades, como mandante, o Cruzeiro enfrentou Guarani e Figueirense, duas equipes da parte debaixo da tabela, e a torcida viu um empate, onde a Raposa jogou pior.

Por outro lado, os números do Confiança fora de casa também deixam a desejar. O time sergipano fez apenas dez dos seus 32 pontos longe do Sergipe, o 8º pior desempenho como visitante. São apenas duas vitórias fora de casa. Dá para surpreender o Cruzeiro?

A escalação

Para continuar em um ótimo momento que, além da grande vitória sobre a Chapecoense na última rodada, conta com uma sequência de nove jogos sem derrotas – desde o dia 08 de outubro, os torcedores cruzeirenses não sabem o que é perder – o Cruzeiro só pensa na vitória. Para colocar a equipe em campo, Felipão terá quase todos os jogadores à disposição – as únicas baixas são Henrique e Stênio. 

Na defesa, Felipão terá novidades. Léo retornou após longo tempo parado e treinou normalmente. Com a volta de Cacá, que havia sido liberado para acompanhar o nascimento da filha, Ramon poderá perder espaço, mesmo após a boa partida contra a líder Chapecoense. Na lateral-esquerda, Matheus Pereira cumpriu suspensão e estará disponível para colocar Patrick Brey no banco.

Adriano foi um dos destaques da última partida e seguirá como titular no meio-campo, ao lado de Jadsom Silva. Régis seguirá sendo o armador, visto que não tem concorrência para a posição. Airton e Pottker devem continuar tendo a companhia de Rafael Sóbis, que foi decisivo na última partida e merece a titularidade. 

Provável escalação: Fábio; Raúl Cáceres, Manoel, Cacá (Ramon), Matheus Pereira; Jadsom Silva, Adriano (Ramon); Airton, Régis, William Pottker; Rafael Sóbis. Técnico: Felipão.

Sobre o adversário

O objetivo para a modesta equipe sergipana é claro: seguir na Série B. Porém, em meio a uma irregular, contudo, boa campanha, o Confiança já vê a possibilidade de alçar voos maiores. Com 32 pontos em 23 jogos, o “Trovão Azul” está cinco pontos atrás do 4º colocado, ou seja, uma arrancada poderia colocar o Confiança na disputa da vaga do acesso. Disputar já seria um fato marcante, visto que o time de Aracaju nunca chegou na elite do futebol brasileiro. 

Como citado anteriormente, os números fora de casa deixam a desejar. O Confiança não faz boa campanha quando sai do pequeno estado brasileiro e necessita de pontuar como visitante. Contra o tradicional Cruzeiro, um triunfo dos comandados de Daniel Paulista seria uma grande injeção de ânimo para a sequência da competição.

O destaque do Confiança é Guilherme Castilho, meio-campista emprestado pelo Atlético. O jovem jogador tem a nota mais alta do time no SofaScore.com e tem quatro assistências na Série B. Além de Casitlho, as atenções da defesa cruzeirense devem passar pelo talento de Reis, autor do gol no primeiro turno. O treinador Daniel Paulista terá vários desfalques, mas contará com os retornos de Madison e Silva. Um outro atleta bem conhecido da torcida mineira é o volante Serginho, campeão da Libertadores com o Galo. 

Provável escalação: Rafael Santos, Thiago Ennes, Nirley, Matheus Mancini, Silva; Serginho (Madison), Rafael Vila, Guilherme Castilho, Ítalo; Reis e Renan Gorne. Técnico: Daniel Paulista.

Cruzeiro x Confiança
24ª rodada do Brasileirão Série B
27/11/2020, 21:30 horas, Mineirão
Transmissão: SporTV (menos MG), Premiere.
Árbitro: Andrey da Silva e Silva (PA)
Assistentes: Bárbara Roberta da Costa Loiola (PA) e Luis Diego Nascimento Lopes (PA).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.