Brasileirão 2020: o campeonato de pontos perdidos

Foto: Miguel Schincariol

Por Pedro Bueno

Desde 2003 o Campeonato Brasileiro é disputado em formato de pontos corridos, uma forma aclamada por muitos, criticada por outros, mas utilizada em praticamente todos os campeonatos nacionais do mundo. Porém, o Brasileirão 2020 apresentou uma leve mudança. Ao invés de pontos corridos, a disputa é em formato de pontos perdidos.

A ironia é muitas vezes vista na internet com a frase: ninguém quer ganhar o título. Obviamente, todos os concorrentes querem levar a taça de campeão da Série A para casa, no entanto a atual edição se destaca com o volume de pontos desperdiçados pelas equipes.

O Atlético é o líder, o São Paulo tem o melhor aproveitamento – tem duas partidas adiadas a cumprir ainda – e o Flamengo tem o melhor elenco. Além disso, o Internacional foi o campeão simbólico do primeiro turno e o Palmeiras, com um belo plantel, mostra que está na briga com Abel Ferreira no comando. Grêmio, Santos e Fluminense também estão nesta corrida maluca, mas correm por fora, visto o elenco mais modesto da equipe santista e do tricolor carioca e as ambições copeiras do time gaúcho.

São oito times na disputa e vários tropeços em um campeonato que não tem uma unanimidade. Nenhum time despontou como o Flamengo de 2019. Este campeonato lembra um título da equipe carioca, mas o de 2009, onde havia várias equipes estavam na disputa e a taça acabou caindo no colo do Flamengo. Por exemplo, no término da 22ª rodada de 2009, o líder Palmeiras tinha 41 pontos e aproveitamento de 62,1% e o futuro campeão estava em 10º, com 30 pontos nessa altura. Neste ano, o Galo fechou a 22ª rodada com 39 pontos e 59,1%.

Todas as equipes perderam pontos. Na maioria das vezes, pontos bobos e que poderiam ser evitados. Porém já foi. Não adianta olhar para trás e ficar refletindo ” e se aquela bola tivesse entrado” e “se o juiz tivesse dado amarelo ao invés do vermelho”. Já foi. O torcedor deve olhar para o futuro.

O recado para todas as equipes é que os tropeços já aconteceram e a regularidade deve ser a palavra do momento. Todos os favoritos perderam mais de 10 pontos bobos. O segredo é perder o mínimo possível no restante do campeonato.

Para mostrar que não é apenas a sua equipe que vive perdendo pontos em jogos, teoricamente, fáceis, destacamos pontos infantilmente deixados pelo caminho das cinco equipes que têm melhor aproveitamento e são favoritas ao título.

São Paulo

O tricolor paulista tem o melhor aproveitamento do campeonato, 63,3%, e a expectativa da sua torcida é que, quando o time jogar todas as partidas adiadas, o São Paulo assuma a liderança. Um título é a obsessão da equipe de Fernando Diniz, visto que a última taça do “Soberano” foi em 2012, com a conquista da Copa Sul-Americana. O São Paulo perdeu apenas duas partidas na competição, porém deixou pontos importantes em empates evitáveis.

Foram 5 pontos desperdiçados fora de casa contra duas equipes que estão na zona do rebaixamento e tem elencos muito inferiores ao São Paulo:

  • contra o Coritiba: empate em 1 a 1, mesmo finalizando seis vezes mais que o adversário;
  • frente ao Vasco: derrota por 2 a 1, diminuindo apenas no último minuto;

Foram 6 pontos bobos perdidos no Morumbi contra equipes que estão brigando pela sobrevivência:

  • contra o Bahia: empatou em 1 a 1 nos minutos finais;
  • frente ao Red Bull Bragantino: empatou por 1 a 1 e contou com dois pênaltis perdidos pelo rival;
  • contra o Vasco: empate da última rodada, também por 1 a 1.

Atlético

O torcedor atleticano, muitas vezes bem pessimista, diz que estes vários pontos perdidos só acontecem com o Atlético. Corrigindo a fala dos apaixonados pelo Galo, este desperdício de pontos acontece com todos, mas também com a equipe de BH, que deixou vários pontos para os times da parte debaixo da tabela. O Brasileirão é a ambição do Atlético, já que não vence desde 1971, e de Sampaoli, que busca um grande título no Brasil. Foram várias derrotas fora de casa e dois tropeços como mandante que fizeram o Atlético quase perder a liderança.

Foram 9 pontos desperdiçados fora de casa contra equipes que estão na parte debaixo da tabela:

  • contra o Botafogo: derrota por 2 a 1, finalizando 31 vezes;
  • frente ao Fortaleza: derrota por 2 a 1, com um homem a mais;
  • contra o Bahia: derrota por 3 a 1, com vários erros individuais;

Foram 5 pontos bobos perdidos no Mineirão contra equipes que brigam pela sobrevivência:

  • contra o Athletico-PR: derrota por 2 a 0 na última semana. O Atlético estava desfalcado, mas não justifica a dura derrota em casa;
  • frente ao Sport: empate sem gols com uma equipe que não agrediu o Atlético.

Flamengo

Dono do melhor elenco do Brasil e com a responsabilidade de levantar as taças deste final de temporada, o Flamengo tem a obrigação de bater todos os adversários mais fracos. As goleadas impostas pelo Atlético e pelo São Paulo não entraram na conta, visto que foram contra equipes fortes. O problema foram os tropeços contra equipes inexpressivas durante todo o Brasileirão.

Foram 6 pontos desperdiçados fora de casa contra equipes que lutarão até na última rodada para ficar na Série A:

  • contra o Atlético-GO: um atropelo sem piedade do Dragão, que fez 3 a 0;
  • frente ao Ceará: derrota por 2 a 0, com domínio e merecimento do Vozão;

Foram 6 pontos bobos perdidos no Maracanã contra times modestos. Além disso, Pedro salvou, no último lance, um tropeço contra o lanterna Goiás:

  • contra o Botafogo: um empate por 1 a 1 com o rival, que está muito mal; vale destacar que o gol de empate do Flamengo aconteceu no último minuto;
  • frente ao Red Bull Bragantino: um empate por 1 a 1, com gol decisivo de Lincoln;
  • contra o Atlético-GO: um empate por 1 a 1, com gol inacreditável perdido pelo mesmo Lincoln.

Internacional

O Internacional de Coudet era uma das sensações do futebol brasileiro, visto que liderou o Brasileirão com um elenco inferior aos adversários e fechou o primeiro turno na liderança. Porém, a saída do técnico argentino abalou as estruturas da equipe gaúcha, que, ao contratar Abel Braga, vive o pior momento na temporada. Mas, alguns tropeços aconteceram sob comando do bom treinador estrangeiro. Os colorados esperam que isso não aconteça mais, visto a proximidade do rival Grêmio.

Foram 9 pontos desperdiçados fora de casa contra equipes que estão lutando para permanecer na Série A:

  • contra o Goiás: foi derrotado por 1 a 0 pelo lanterna do campeonato, que venceu apenas três partidas no campeonato e tinha um jogador a menos desde o minuto 4;
  • frente ao Corinthians: derrota por 1 a 0, em uma partida que o Colorado não acertou a meta de Cássio;
  • contra o Fortaleza: revés também por 1 a 0 , onde o time cearense jogou melhor;

Foram 7 pontos bobos no Beira-Rio, em partidas que o Colorado sofreu o gol nos minutos finais:

  • contra o Bahia: empate por 2 a 2, com gol de pênalti no último lance;
  • frente ao Coritiba: outro empate por 2 a 2, dessa vez com uma equipe que está na zona do rebaixamento;
  • contra o Fluminense: derrota por 2 a 1, onde o Colorado sofreu um gol olímpico.

Palmeiras

O Verdão de Luxemburgo contra o Verdão de Abel Ferreira e Andrei Lopes é uma crueldade para o torcedor. Sob comando do histórico, contudo, ultrapassado técnico brasileiro, o Palmeiras perdeu pontos preciosos, o distanciando da conquista do Brasileirão. Após a saída de Luxemburgo, Andrei Lopes assumiu e passou o bastão para Abel Ferreira. Com eles, o Palmeiras teve uma ótima sequência e figura entre os favoritos, posto que todos haviam o colocado antes do início do Brasileirão.

Foram 9 pontos desperdiçados fora de casa contra times com elencos bem inferiores:

  • contra o Botafogo: derrota de 2 a 1 para a equipe que venceu apenas três partidas no campeonato;
  • frente ao Fortaleza: derrota por 2 a 0, com amplo domínio do tricolor;
  • contra o Goiás: derrota por 1 a 0 para o lanterna do Brasileirão;

Foram 7 pontos bobos no Allianz Parque para equipes que são favoritos ao rebaixamento:

  • contra o Goiás: empate por 1 a 1; o curioso que no tropeço em casa, o Palmeiras estava completo e o Goiás com desfalques por causa da COVID-19; no segundo turno, fora de casa, a situação se inverteu; mérito do Goiás, que pontuou nas duas partidas;
  • frente ao Sport: empate por 2 a 2 com a modesta equipe pernambucana, que teve um jogador a menos em campo por quase 20 minutos;
  • contra o Coritiba: derrota impiedosa do time paranaense por 3 a 1.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.