Vencer, vencer, vencer, este é o único objetivo do Atlético nesta quarta, contra o Botafogo

Foto: Bruno Cantini / Atlético

Mesmo com todos os problemas – eram 31 casos ativos de coronavírus – e com a expulsão de Dylan Borrero, o Galo conseguiu um importante empate contra o Ceará fora de casa e, consequentemente, continuou na liderança do campeonato. Para se manter na ponta, o Atlético tem um único objetivo, o qual está presente no seu hino: vencer, vencer, vencer é o ideal atleticano para a partida desta quarta.

O Atlético recebe o Botafogo nesta quarta, 25, às 21:30, no Mineirão, em jogo válido pela 23ª rodada do Brasileirão. A partida do primeiro turno, que aconteceu também em uma quarta à noite, aconteceu no Estádio Nilton Santos e o Fogão venceu por 2 a 1, jogo em que o Atlético finalizou 31 vezes e marcou o gol de honra apenas no minuto final.

Momento e números

O jogo desta quarta marca o encontro entre extremos: o líder contra o vice-lanterna. Com expectativas e elencos completamente diferentes, Atlético e Botafogo protagonizarão uma partida interessante nesta noite. O Atlético é o melhor mandante – mesmo com a derrota para o Athletico na última quarta – com oito vitórias, dois empates e uma derrota apenas no Mineirão. Já o Botafogo carrega números curiosos como visitante: perdeu somente duas partidas longe do Rio de Janeiro. No entanto, venceu uma vez, ou seja, empate fora de casa é com o Fogão.

Vale ressaltar que as equipes vêm de tropeços. Após vencer Flamengo e Corinthians, o Atlético perdeu para o Athletico-PR, em casa, e empatou com o Ceará, desta vez como visitante. Já o Botafogo perdeu as três últimas partidas, sendo as duas mais recentes como mandante. O time carioca ainda ostenta um terrível fato que a última vitória aconteceu no dia 11/10, contra o Sport, ou seja, são mais de 40 dias sem sair de campo vitorioso.

Até por este mau momento, o Botafogo é a equipe que mais empatou. São onze placares iguais na competição, deixando a Estrela Solitária na 19ª posição. Em caso de vitória ou empate, o Botafogo ganhará a posição do Coritiba. Enquanto isso, o Atlético é o time que mais venceu e por isso é líder, visto que o Flamengo tem os mesmos 39 pontos do Galo. Se vencer, se mantém na liderança. Em caso de empate ou derrota, o Atlético pode perder até duas posições.

Um velho algoz

Atlético e Botafogo, em qualquer que seja a situação, não é um jogo tranquilo para a equipe mineira. O clássico entre alvinegros carrega várias histórias e o Botafogo sempre foi uma pedra no sapato do Galo. Como exemplo, a derrota do 1º turno foi muito dolorida aos torcedores, visto que o Atlético estava com 100% de aproveitamento, finalizou 31 vezes e perdeu por 2 a 1.

No geral do histórico, já aconteceram 77 jogos e o Botafogo venceu 33 vezes. Em 20 oportunidades houve empate e o Galo saiu com a vitória em 24 partidas. O lado positivo para o torcedor atleticano são os números em casa: de 38 jogos, a equipe de BH venceu 18 vezes, empatou 11 e só foi derrotado como mandante em 9 oportunidades.

Como exemplo de quão incômodo são as partidas contra o Botafogo, na década passada, precisamente entre 2002 e 2011, um número chama a atenção. Em 22 jogos neste intervalo, o Galo saiu de campo com a vitória uma vez. Sim, foram 21 tropeços em 22 jogos para a equipe atleticana.

São números, fatos e os atleticanos desejam que estes dados nunca mais se repitam. E não está se repetindo, já que nas últimas 8 partidas, o Atlético venceu 5. Estes são os números que a torcida deseja que sejam mantidos contra esse velho algoz.

A escalação

O Atlético, felizmente, não teve novos casos positivos da COVID-19. Dentre os 31 casos ativos, o elenco contou com a volta de Savinho, que treinou normalmente desde a segunda, 23, dia que ele testou negativo e foi reintegrado. A maioria destes 30 casos restantes devem estar aptos para a próxima partida atleticana, que ocorrerá apenas no dia 06 de dezembro, contra o Internacional.

Borrero e Guilherme Arana são os outros desfalques, visto que ambos estão suspensos. Savarino, que sofreu uma falta dura na partida contra o Ceará, treinou normalmente na terça-feira, mas é dúvida. A presença dele no time titular é muito importante, visto os números levantados pelo blog. Confira!

Na defesa, Talison fez mais uma partida regular e deve seguir como titular. Na lateral esquerda, o Galo deve optar por Samuel Toscas. Alonso pode ser opção, mas neste caso Bueno voltaria para a zaga e o camisa 40 não vive um bom momento.

Com a suspensão de Dylan, Leandro Zago pode colocar Wesley Hudson como primeiro volante. Calebe e Zaracho devem ser mantidos no meio-campo. Uma possibilidade para Zago é dar uma chance para Marrony e recuar Sasha, que tem inteligência tática para jogar na criação. No papel seria um 4-2-4, sem volantes. A saída de um marcador para a entrada de Marrony, que vive um bom momento, seria uma boa solução ofensiva para uma partida que o Atlético irá atacar o tempo todo.

Provável escalação: Rafael; Talison, Igor Rabello, Alonso, Samuel Toscas (Bueno); Wesley Hudson (Marrony), Zaracho, Calebe (Nathan); Savarino (Sávio), Sasha, Keno. Técnico: Leandro Zago.

Sobre o adversário

Uma equipe de muitas glórias, mas que vive uma grave crise financeira. O Botafogo está em um dos momentos mais delicados da sua história e usando a frase do ex-presidente e atual membro do comitê executivo da equipe, Carlos Augusto Montenegro, “o clube está falido”. A bagunça administrativa leva a problemas esportivos. São 25 contratações, 4 técnicos e uma 19ª posição no Brasileirão – são 20 pontos feitos: 3 vitórias, 11 empates e 7 derrotas.

Para se salvar, o Fogão precisa de oito vitórias em 17 jogos. Porém, para prejudicar as esperanças botafoguenses, a equipe da estrela solitária terá Atlético, Flamengo, São Paulo e Internacional em sequência, sendo apenas o rival carioca em casa. Vencer não será uma tarefa fácil, mas o torcedor otimista pode se apegar ao fato que das três vitórias neste Brasileirão, duas foram contra equipes do G-6: Palmeiras e Atlético.

Ramón Díaz, experiente treinador argentino, ex-Libertad e Seleção Paraguaia, foi contratado no início do mês, mas passou por um processo cirúrgico e ainda não estreou na área técnica. Seu filho, Emiliano Díaz, está tentando resolver o quebra-cabeça na escalação do Botafogo, visto que nenhum titular está vivendo um bom momento, nem mesmo os badalados Kalou e Honda.

Provável escalação: Cavalieri; Kevin (Marcinho), Marcelo Benevenuto, Kanu e Victor Luis; Rafael Forster, Caio Alexandre, Honda, Bruno Nazário e Kalou; Matheus Babi (Pedro Raul).Técnico: Emiliano Díaz.

Atlético x Botafogo
23ª rodada do Brasileirão Série A
25/11/2020, 21:30 horas, Mineirão
Transmissão: Globo (MG e RJ), SporTV e Premiere
Árbitro: Sávio Pereira Sampaio (DF)
Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade (DF) e José Reinaldo Nascimento Junior (DF).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários