O duelo mais difícil da competição: Cruzeiro enfrenta a líder Chapecoense fora de casa

Foto: Igor Sales/Cruzeiro

Para qualquer equipe, a partida mais difícil de um torneio de pontos corridos é enfrentar o líder fora de casa. O problema é ainda maior quando o time, mesmo invicto, vive um momento cheio de dúvidas com o novo técnico. O Cruzeiro, pressionado para retornar a vencer, vai até Chapecó enfrentar a sensação da Série B. A Chapecoense e sua defesa sólida vivem um grande momento. Uma vitória daria muito gás à equipe mineira. 

O Cruzeiro enfrenta a Chapecoense nesta terça, 24, às 21:30, na Arena Condá. No primeiro turno, as equipes se enfrentaram no Mineirão e a Chape bateu a Raposa por 1 a 0, em um gol de Anselmo Ramon, ex-atacante cruzeirense.

Momentos e números

A missão desta noite não será fácil para o Cruzeiro. O duelo marca o encontro entre o 1º colocado e o dono da 15ª posição, equipes que vem de resultados diferentes na última rodada. O Cruzeiro empatou, dentro de casa, com o Figueirense, rival estadual da Chape, enquanto o Verdão do Oeste bateu o Sampaio Corrêa, que estava em 2º, por 3 a 1, fora de casa.

Em caso de vitória, além da moral por vencer o líder, o Cruzeiro pode alcançar a 13ª posição. O ponto mais importante e almejado pela Raposa no atual momento é se distanciar do Z-4 e ir torcendo por tropeços na parte de cima da tabela, visando, obviamente, o acesso à Série A.

O problema de levar os três pontos para casa é o forte adversário. A Chapecoense é a única equipe invicta em casa – venceu seis e empatou quatro das dez partidas na Arena Condá – e tem a melhor defesa do campeonato, com apenas seis gols sofridos em 22 jogos, um número incrível. Além disso, dentro de casa, a Chape sofreu somente um gol. A vida do Cruzeiro não será fácil, mesmo a equipe mineira tendo maior facilidade fora de casa: o time azul celeste é o 6º melhor visitante. 

O retrospecto é bem equilibrado. Já foram disputadas 18 partidas, onde o Cruzeiro venceu 7, empatou 5 e foi derrotado 6 vezes. Com mando de campo da Chapecoense, a Raposa venceu duas partidas, perdeu outras duas e empatou quatro vezes. Nos últimos três encontros – dois pela Série A em 2019 e um neste ano – a Chape não perdeu: são duas vitórias e um empate.

Os desafios do Cruzeiro

Pelas estatísticas citadas acima, a partida será complicada. Porém os desafios são ainda mais difíceis. No 1º turno, o Cruzeiro enfrentou os seis primeiros colocados – Chapecoense, América, Sampaio Corrêa, Juventude, Cuiabá e Avaí – e perdeu cinco partidas, pontuando apenas no empate com o Juventude, partida na qual Fábio defendeu um pênalti, evitando o triunfo da equipe gaúcha. O desempenho contra as melhores equipes está muito ruim.

Mesmo com os dois tropeços recentes, contra Guarani e Figueirense, o Cruzeiro não perde há mais de 45 dias. Entretanto, para manter a boa sequência, a missão será árdua. A defesa mineira encontrará três dos seis melhores jogadores da competição, segundo as notas do SofaScore.com e estará frente a frente com Anselmo Ramon, cria da base cruzeirense. No primeiro turno, a lei do ex atacou. O centroavante balançará as redes novamente?

A escalação

Nesta terça, Felipão contará com a volta de três atletas, porém terá desfalques importantes. William Pottker e Machado cumpriram suspensão e voltam à equipe. Já Sassá foi liberado da última partida para acompanhar o nascimento da filha e voltará a ser opção no banco.

Por outro lado, a suspensão pelo terceiro amarelo de Matheus Pereira deve dar mais uma oportunidade para o contestado Patrick Brey. Assim como Matheus Pereira, Jadson entrou no segundo tempo da partida contra o Figueirense e também deve ficar fora do jogo desta noite. Ele sentiu um trauma no calcanhar esquerdo. Além destes dois casos, Cacá foi liberado para acompanhar o nascimento do filho. Por isso, Ramon deve ir para a zaga e Jadsom Silva terá a companhia de Adriano ou Machado. 

No ataque, a dúvida fica por conta da vaga de Rafael Sóbis. Arthur Caíke e William Pottker também concorrem por esta oportunidade no time titular e Felipão terá que optar por um dos jogadores renomados. O restante do time deve ser semelhante à equipe que empatou com o Figueirense.

Provável escalação: Fábio; Raúl Cáceres, Manoel, Ramon, Patrick Brey; Machado (Adriano), Jadsom Silva; Airton, Régis, Rafael Sóbis (William Pottker ou Arthur Caike); Marcelo Moreno. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Sobre o adversário

A melhor equipe da Série B e favoritíssima para subir de divisão. A Chapecoense vive um momento muito bom e deseja bater o Cruzeiro para seguir abrindo vantagem. Atualmente, o Verdão do Oeste está com 47 pontos, sete à frente do vice-líder América. Além disso, a última e única derrota da Chape na Série B foi no dia 28 de agosto, contra o Cuiabá. Após este tropeço, a equipe catarinense está em uma sequência de 19 jogos sem perder por todas as competições. 

Porém, as duas últimas partidas em casa foram decepcionantes. A Chapecoense empatou sem gols com o CSA e o com o Oeste, que é o 20º e venceu apenas uma partida na competição. Para voltar a vencer em casa, a Chape deve bater um adversário tão tradicional.

O jogo será marcante para Umberto Louzer, jovem técnico da Chapecoense que rejeitou um convite do Cruzeiro para treinar a equipe azul celeste, antes da contratação de Felipão. Umberto deve colocar em campo uma equipe semelhante às formações das últimas partidas. Felipe Santana, ex-zagueiro do Atlético, estreou na última partida e deve ser titular.

Provável escalação: João Ricardo; Ezequiel, Felipe Santana, Luiz Otávio, Busanello; Alan Santos, Willian Oliveira; Matheus Ribeiro, Alan Ruschel; Paulinho Moccelin, Anselmo Ramon. Técnico: Umberto Louzer.

Chapecoense x Cruzeiro
23ª rodada do Brasileirão Série B
24/11/2020, 21:30 horas, Arena Condá
Transmissão: SporTV e Premiere.
Árbitro: Zandick Gondim Alves Junior (RN)
Assistentes: Francisco de Assis da Hora (RN) e Reinaldo de Souza Moura (RN).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários