Em jogo de um time só, Cruzeiro vence com merecimento a líder Chapecoense por 1 a 0

Foto: Igor Sales /Cruzeiro

Um resultado para dar moral. O Cruzeiro foi até Chapecó e bateu o time que está na ponta da Série B. Além de vencer, a Raposa convenceu, pois teve domínio das ações ofensivas desde o minuto inicial e encontrou uma Chapecoense inoperante. Mesmo com o resultado, o Cruzeiro permaneceu na 15ª posição. O ponto positivo, além do importante triunfo, foi a distância para o G-4, que diminuiu para 9 pontos faltando 15 jogos.

O Cruzeiro venceu a Chapecoense por 1 a 0 nesta terça, 24, na Arena Condá, em jogo válido pela 23ª rodada do Brasileirão Série B. A Raposa devolveu o 1 a 0 sofrido no primeiro turno, quando Anselmo Ramon deu a vitória para a Chape no Mineirão.

Com o resultado, nenhuma das equipes muda de posição, mas as distâncias diminuem. Pelo lado cruzeirense, a Raposa segue em 15º, mas chega aos 28 pontos, ficando apenas 9 tentos atrás do Juventude, o 4º colocado. Para o Z-4, a diferença chegou a 8 pontos, mostrando que o Cruzeiro está praticamente na mesma distância do G-4 e do Z-4 pela primeira vez no campeonato. Já a Chape, segue como líder, mas vê a sua “gordura” dimuinuir para 4 pontos.

O jogo e as atuações individuais

Uma partida segura da equipe cruzeirense. Uma vitória importante demais para o restante do campeonato, além de dar continuação à sequência de nove partidas sem perder. O torcedor cruzeirense imaginou que enfrentaria um forte líder, porém acabou confrontando uma equipe que não conseguiu agredir a defesa cruzeirense. Uma atuação muito fraca dos comandados de Umberto Louzer, técnico que rejeitou o convite do Cruzeiro antes da Raposa contratar Felipão.

Contra um adversário inoperante, o Cruzeiro conseguiu ir tramando algumas jogadas, mesmo com problemas de criação que seguem atormentando o time de Felipão. As melhores oportunidades, assim como o gol, se originaram de bola parada, principal característica da Raposa. Existem erros, porém com a confiança de bater o líder, fora de casa, o Cruzeiro terá tranquilidade para os enxergar e seguir melhorando.

Os pontos positivos da partida foram a atuação segura defensiva, com destaque ao desempenho de Raúl Cáceres, e o jogo de Rafael Sóbis, que movimentou bastante e fez o seu primeiro gol após a sua volta ao Cruzeiro. Como ponto negativo é impossível ignorar mais uma atuação ruim de Patrick Brey, que errou diversos domínios. O Cruzeiro não teve mais problemas pelo lado esquerdo da defesa porque a Chape não foi agressiva.

O primeiro tempo

Com os desfalques de Matheus Pereira e Cacá, Felipão foi obrigado a remanejar Ramon para a defesa e a manter Patrick Brey na ala esquerda, visto que no banco não havia nenhuma opção para estas posições. Na vaga de Ramon, como volante, Adriano foi escolhido. Já no ataque, o técnico pentacampeão surpreendeu. Ele optou por Rafael Sóbis como a referência, deixando Marcelo Moreno no banco e retornando com William Pottker.

O primeiro tempo foi sem graça e sem gols, porém com domínio cruzeirense. A Raposa, mesmo sem a posse de bola, teve mais ações ofensivas contra uma Chapecoense segura, no entanto sem ambição no campo ofensivo.

Aos 13, Régis bateu falta na área e Adriano raspou de cabeça. A bola do jovem volante não pegou a força desejada e saiu pela linha de fundo. No minuto 17, Rafael Sóbis girou e chutou de fora da área. João Ricardo, ex-goleiro do América, espalmou e cedeu o escanteio. Na cobrança, Ramon cabeceou e o arqueiro encaixou.

A única boa oportunidade da primeira etapa aconteceu aos 33. Jadsom Silva fez um bom cruzamento e encontrou a cabeça de Airton, que estava pela esquerda. O camisa 77 testou para dentro da área, Sóbis não alcançou e Régis chegou batendo forte. A bola explodiu em João Ricardo, que havia saído abafando. Desta forma, o goleiro evitou o gol do camisa 10 cruzeirense.

O restante dos 45 minutos iniciais foi de toques de lado da Chapecoense. A líder da Série B teve 54% de posse de bola, mas finalizou apenas duas vezes – nenhuma no gol. Na tentativa de mudar a postura da sua equipe, Umberto Louzer tirou, logo no intervalo, Matheus Ribeiro e colocou Denner.

O segundo tempo

No minuto 12 da 2ª etapa, Patrick Brey errou (não é nenhuma novidade) e Paulinho Moccelin aproveitou. O ponta deu um drible simples e cruzou para Anselmo Ramon, que chegou de forma artística na bola. O centroavante, ex-Cruzeiro, deu uma puxeta – também conhecida como meia-bicicleta – mas acertou o meio do gol. Fábio encaixou a única finalização certa da Chapecoense na partida.

Aos 17, um lance confuso, porém nada polêmico. William Pottker encontrou Rafael Sóbis na área, que adiantou e foi desarmado por Luiz Otávio. O experiente atacante do Cruzeiro nem reclamou e levantou do tranco de jogo, todavia o árbitro marcou pênalti para a Raposa. Com a marcação errada do juiz, os jogadores da Chape se indignaram e apontaram a ação do bandeirinha, que havia assinalado só o escanteio. O árbitro corrigiu o erro e não favoreceu o Cruzeiro.

Sem o ímpeto da líder Chapecoense, o Cruzeiro tentava se aproximar do gol. Como só o Cruzeiro jogava, o gol era questão de tempo. E o importante tento sairia em uma cobrança de falta. No minuto 27, Rafael Sóbis arriscou do “meio da rua” e fez o travessão de João Ricardo balançar, em um belo chute do camisa 23.

Cinco minutos depois, aos 32, Sóbis marcou o seu primeiro gol nesta segunda passagem pela equipe mineira. Em falta na meia-lua, Rafael Sóbis bateu forte, no canto do goleiro João Ricardo e balançou as redes. Uma cobrança bonita e um gol merecido. 1 a 0 no placar da Arena Condá.

O restante do jogo foi bem morno, como toda a partida. Mérito do Cruzeiro, que conseguiu atacar mais e fez o goleiro adversário trabalhar. Após quase três meses sem ser derrotada, a Chapecoense tropeçou e mereceu perder.

Uma vitória que vai além dos três pontos. A importância dela será esportiva e, principalmente, psicológica, visto que o Cruzeiro poderá encarar de igual para igual todas as próximas 15 batalhas. Erros foram vistos. Acertos, para a felicidade da torcida, também. Um triunfo para mudar os rumos e para colocar a Raposa nos trilhos. Foco, Cruzeiro!

O Cruzeiro volta a campo na próxima sexta, 27, às 21:30, contra o Confiança, no Mineirão.

Números da partida
Chapecoense x Cruzeiro

56% Posse de bola 44%
7 Finalizações 17
1 Finalizações no gol 6
3 Escanteios 8
1 Impedimentos 0
19 Faltas 14
1 Grandes chances 1
1 Grandes chances perdidas 1
449 Passes 334
368(82%) Passes certos 268(76%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.