Mais um tropeço em casa! Cruzeiro empata com o Figueirense por 1 a 1

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Foram dois jogos em sequência no Mineirão. Foram dois encontros contra equipes da parte debaixo da tabela. E foram dois empates, prejudicando a situação da Raposa na Série B. Agora, faltam dezesseis partidas e tropeços em Minas Gerais não são mais aceitos. A diferença para o 5º colocado já é de 12 pontos, evidenciando a arrancada heroica que a Raposa tem que protagonizar para subir. 

O Cruzeiro apenas empatou com o Figueirense por 1 a 1 nesta sexta, 20, no Mineirão. Os belos gols foram marcados no 1º tempo por Léo Arthur e Airton. Com o resultado, o Cruzeiro permaneceu na 15ª posição enquanto o Figueirense continuou na 18ª colocação.

Na questão da pontuação, o empate foi ruim para as duas equipes. O Figueira poderia ter se aproximado do próprio Cruzeiro, que tem os mesmos 25 pontos do Vitória, primeira equipe fora da zona do rebaixamento. No entanto, com apenas um ponto nesta partida, o Figueirense chega aos 20 tentos e fica cinco pontos atrás de deixar o Z-4. 

Já o Cruzeiro perde a oportunidade de se aproximar do G-4. A Raposa está 12 tentos atrás de um grupo de quatro equipes. Do 2º ao 5º colocado, a pontuação é a mesma: 37 pontos. América e Cuiabá ainda jogam na rodada, porém é possível concluir: já existe uma briga na parte de cima para o acesso e o Cruzeiro está muito distante dela. 

Com a bola rolando, o empate saiu melhor para o Cruzeiro. A equipe mineira teve menos posse, trocou uma menor quantidade de passes, finalizou menos e viu o Figueirense criar duas boas chances enquanto não teve esta mesma estatística – segundo o SofaScore. Assim como na partida contra o Guarani, no último dia 09, o Cruzeiro poderia ter saído com a derrota para uma equipe muito inferior.

A Raposa não conseguiu criar porque novamente seus volantes estavam distantes da parte ofensiva. O buraco na transição foi perceptível durante toda a partida e acarretou diversas ligações diretas do Cruzeiro. Por exemplo, a jogada do gol cruzeirense nasce de uma cobrança de lateral e da boa individualidade de Airton. Mais uma vez, o Cruzeiro não triangulou e nem construiu. Trabalho para Felipão. 

O ponto positivo da partida foram as atuações de Fábio, que fez duas grandes defesas, e de Airton, que novamente balançou as redes e se tornou o artilheiro da Raposa na competição. Em contrapartida, as atuações de Ramon e Patrick Brey foram vergonhosas, causando até as substituições de Scolari no intervalo. 

O jogo

Logo na escalação, Felipão deixou claro que está formando uma base na equipe cruzeirense. A única mudança foi Rafael Sóbis na vaga do suspenso William Pottker. Matheus Pereira, que ainda não está 100%, foi deixado no banco e utilizado na 2ª parte. 

O jogo começou bom para o Cruzeiro. Aos 2, Patrick Brey puxou contra-ataque pelo meio e encontrou Régis. O camisa 10 recebeu e tocou para Raúl Cáceres, que chegou batendo forte na meta do Figueirense. A boa finalização do lateral-direito não balançou as redes por causa de Sidão, goleiro que fez uma ótima defesa com os pés.

Depois disso, o Figueirense dominou a 1ª parte. No minuto 11, Rafael Sóbis bateu muito mal um escanteio e cedeu um contragolpe fatal para o time catarinense. Léo Barcelos acelerou e tocou para Bruno Maciel. O camisa 90 fez um lançamento primoroso, com a sua boa perna esquerda, e encontrou Léo Arthur. O camisa 21 do Figueira, que aproveitou a recomposição lenta da defesa após o escanteio, dominou bem com o peito e viu Fábio adiantado. Com um toque sutil por cima do goleiro cruzeirense, Léo Arthur marcou um lindo gol. 1 a 0 no placar.

O Figueira esteve mais próximo de balançar as redes do que o Cruzeiro. Aos 25, Patrick tabelou com Lucas Barcelos e recebeu com muita liberdade na frente da área. Mesmo livre, ele bateu mal e não acertou o gol de Fábio. Aos 40, Bruno Michel balançou e passou com facilidade por Patrick Brey. O garçom do 1º gol cruzou e a zaga do Cruzeiro tirou. No rebote, Thiaguinho jogou na área novamente e Diego Gonçalves deu uma bela bicicleta. Fábio fez uma grande defesa.

No entanto, em meio a essas duas boas chances do Figueirense, quem fez o gol foi o Cruzeiro. Aos 35 da 1ª etapa, Airton bateu lateral rápido, recebeu de Cacá que estava se aventurando no ataque e trouxe para o meio. Em jogada característica de um ponta esquerdo destro, Airton driblou para o centro e “chapou” uma linda bola na meta de Sidão, que não conseguiu fazer nada. A bola foi alta, beijou a trave e morreu no fundo das redes. 1 a 1 no placar.

No intervalo, Felipão corrigiu os dois problemas dos 45 minutos iniciais da Raposa. Patrick Brey errou tanto defensivamente quanto ofensivamente. Já Ramon não participou da transição das jogadas de ataque e esteve perdido na marcação, deixando muito espaço à frente da área. Matheus Pereira, que foi reserva por não estar 100% ainda, e Jadson entraram na partida. 

O segundo tempo começou bem equilibrado. Aos 5, Léo Arthur saiu muito bem na marcação no meio e tocou para Diego Gonçalves. O camisa 16 foi desarmado pela defesa do Cruzeiro, mas a bola sobrou para Bruno Michel, que tentou bater colocado e errou o alvo. No lance seguinte, a Raposa chegou e quase fez. Régis tabelou com Marcelo Moreno, que fez um ótimo pivô. O armador cruzeirense bateu firme e Sidão fez uma bela defesa. No rebote, Moreno tentou cruzar e Sidão pegou novamente. 

Em meio a um segundo tempo morno, a equipe catarinense conseguiu criar uma boa chance aos 29. Patrick lançou o nome do jogo, Léo Arthur. O camisa 21, autor do 1º gol, trouxe para dentro e bateu no canto de Fábio. O ídolo cruzeirense fez mais uma grande defesa, desta vez no canto esquerdo do goleiro, e salvou a Raposa.

Com domínio das ações ofensivas, o Figueirense foi pressionando o tradicional time adversário. Aos 46, Léo Arthur assustou, novamente, a torcida do Cruzeiro que sofreu em casa. O camisa 21 fez boa jogada pelo meio e arriscou. A bola passou bem perto da meta de Fábio. 

No apagar das luzes, uma marcação de pênalti para o Cruzeiro. Arthur Caíke foi lançado, entrou na área e foi claramente derrubado por Sidão. Porém, após marcar a penalidade máxima, o árbitro voltou atrás, pois o auxiliar havia marcado impedimento. O camisa 11 do Cruzeiro estava impedido e o lance foi bem anulado.

Fim de jogo e 1 a 1 no marcador do Mineirão. Um tropeço com cara de derrota, já que o time não saiu do lugar na tabela e nem no quesito desempenho. Uma partida ruim do Cruzeiro contra um rival que estava em uma sequência de três derrotas seguidas. A folga foi importante para a recuperação de alguns jogadores, no entanto os erros persistiram. Felipão tem urgência para corrigir estes problemas e retomar o caminho dos três pontos.

O Cruzeiro volta a campo na próxima terça, 24, às 21:30, contra a líder Chapecoense, na Arena Condá. 

Números da partida
Cruzeiro x Figueirense

49% Posse de bola 51%
8 Finalizações 12
4 Finalizações no gol 3
9 Escanteios 2
2 Impedimentos 2
19 Faltas 16
0 Grandes chances 2
0 Grandes chances perdidas 1
371 Passes 399
282(76%) Passes certos 317(79%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários