A linda história do América na Copa do Brasil 2020 teve mais um capítulo. E, desta vez, com muita emoção!

Reprodução Twitter

Por Pedro Bueno

Segundo o dicionário Aurélio, história pode ser definida como uma narração metódica dos fatos notáveis ocorridos na vida dos povos (sic). É necessário pedir licença, porém o autor desta matéria precisa corrigir o tradicional dicionário. A história está feita, o América chegou pela primeira vez entre os oito melhores times da Copa do Brasil, mas a história não ocorreu apenas no passado. Ela ainda está ocorrendo no presente e sendo vivenciada por todos. A história está passando nos olhos de cada torcedor e isso irá se eternizar. Viva cada momento americano, pois a história da Copa do Brasil 2020 ficará na memória!

O América foi derrotado nesta quarta,18, no último minuto, por 1 a 0 para o Internacional, mas venceu nos pênaltis e se classificou para as semifinais da Copa do Brasil graças ao bom resultado no Rio Grande do Sul na semana passada. Foram sete pênaltis para cada lado, o América converteu seis e o Internacional apenas cinco. Por isso, o Coelho está classificado.

A dose de emoção foi além da esperada. O América estava segurando o resultado de 0 a 0 até o minuto 49 da 2ª etapa, quando Yuri Alberto fez o gol da vitória Colorada. Uma sensação de decepção, certamente, bateu em todos os americanos, no entanto, a disputa de pênalti fez com que a história do Coelho nesta Copa do Brasil se prolongasse ainda mais.

Por isso, o blog Bola Pra Frente fez questão de citar oito motivos para provar quão especial foi a noite passada. Confira!

Os 94 minutos da partida no Horto

O América recebeu o Internacional no Independência e sabia do resultado que precisava: qualquer empate ou vitória garantiria a equipe mineira na próxima fase. Não havia necessidade de se expor e assim o Coelho encarou o Colorado. Aguardando o Internacional, o América não criou boas chances, entretanto não deixou o time gaúcho jogar. Resultado: um jogo ruim, sem grandes oportunidades.

No total, a partida teve 19 finalizações e só 5 certas: o gol do Internacional e a batida de falta de Geovane, aos 17 da segunda etapa, foram as melhores chances de um jogo pobre na criação. O Internacional, com o elenco que tem e carregando o favoritismo, deveria ter criado mais. Os 77% de posse de bola não adiantaram e o time só fez gol na última bola, em uma jogada aérea. E ainda saiu derrotado nos pênaltis, para o América de Messias e Juninho, que, mais uma vez, foram muito bem na marcação.

Os melhores momentos e os dois pênaltis decisivos.

O último minuto

A reação dos jogadores em campo foi igual a de vários torcedores. O minuto final. O minuto 95. Falta no meio do campo para o Internacional. A equipe gaúcha não jogou nada em casa e muito menos no Horto, ou seja, não merecia a classificação. Mas o futebol, com toda a sua imprevisibilidade, gosta de “pregar peças”. A bola foi alçada na área, Galhardo escorou e sobrou para Yuri Alberto. O atacante de 19 anos chegou batendo e marcou o gol da vitória do Internacional. Foi o gol que levou a partida para os pênaltis. Um tento importantíssimo.

Os jogadores americanos buscavam o porquê para aquele castigo. Certamente, o torcedor também estava se perguntando. Messias até sentou ao lado da trave. O árbitro apitou o fim de jogo e a decisão foi para a marca da cal. De um lado uma equipe que atuou muito bem fora de casa, venceu e conseguiu administrar até o fim da partida em casa. Do outro lado estava um time que jogou mal as duas partidas, não se encontrou em campo e conseguiu um gol em uma bola aérea no apagar das luzes.

A penalidade máxima é o momento que o psicológico mais precisa estar em dia no futebol. Confiança e qualidade devem estar atreladas para marcar o gol. Como Lisca e o capitão Juninho lidaram com um grupo abatido pelo gol no último lance? Com palavras de ordem e fazendo com que a confiança retornasse ao time americano. E deu certo.

A fala de Lisca antes da decisão e, bem no final do vídeo, a fala após a classificação.

Pênalti do Sabino

Aos 87 minutos do 2º tempo, Sabino entrou no lugar de Flávio. Uma substituição para ganhar força física e tempo, obviamente. Porém a partida foi para os pênaltis e cinco jogadores deveriam bater. Curiosamente, o zagueiro de 21 anos foi escolhido por Lisca.

A cria da base do América, que jogou apenas duas partidas na Série B, foi o quarto jogador a bater, logo após o erro de Daniel Borges. Uma grande responsabilidade para o jovem. Sabino pegou a bola e a colocou na marca da cal. Com uma frieza impressionante, Sabino foi vagarosamente, fez uma paradinha em cima da bola ( também fez o coração de todos os torcedores parar por alguns segundos) e bateu no ângulo de Marcelo Lomba.

Uma cobrança diferenciada. Veja no minuto 2:07 deste vídeo. Sabino pode ter proporcionado grandes emoções, porém merece o destaque pelo pênalti exemplar.

Os melhores momentos e depois todos os pênaltis, inclusive o perdido por Galhardo e a bela cobrança de Sabino.

O grito de semifinalista

18/11/20. O dia em que o capitão Juninho foi para a bola e marcou o 6º gol americano na disputa de pênaltis, que já estava nas famosas cobranças alternadas, ou seja, se o Internacional errasse, o América estaria classificado. Uendel, ex-lateral do Corinthians, equipe também eliminada pelo Coelho, foi o escolhido da vez. Ele colocou a bola na marca da cal e isolou. Uma cobrança ruim para os Colorados. Uma cobrança histórica para os americanos.

Cada torcedor tem sua forma de comemorar um feito tão grande como este. Porém, certamente o grito saiu da garganta como nunca havia saído. Um grito único: o América está na semifinal da Copa do Brasil. Lisca fez questão de ir nas câmeras e lembrar que o Coelho é um dos quatro melhores times da tradicional competição de mata-mata. Um feito histórico. Comemore e grite, torcedor americano!

Caso queira, faça como o Lisca: dance e comemore!

A briga desnecessária

A história seria perfeita se não fosse a briga desnecessária no apito final. As câmeras da transmissão não flagraram ao vivo o início da briga, porém o setorista do GE.com, Guilherme Macedo, divulgou imagens. Segundo ele, Alê e Toscano, no ápice da adrenalina, comemoraram a classificação na direção dos Colorados, em forma de provocação. Os jogadores do Internacional, principalmente Rodrigo Lindoso, não entenderam bem e partiram para a agressão, tentando até ir no vestiário do Coelho.

Segundo Guilherme Macedo, jornalista que filmou estas imagens, Rodinei havia comemorado de forma semelhante no gol do Internacional, no minuto final. As provocações não justificam a agressão. Uma pena!

Lisca Doido sim

Um dos treinadores mais respeitados do mundo é o “El Loco Bielsa”. Por que Lisca não pode ser respeitado mesmo sendo chamado de Doido? O Lisca é doido e muito competente ao mesmo tempo. Um treinador maluco com as suas reações e super competente com as suas ações. Um exemplo de determinação e de trabalho bem feito. O símbolo do América nesta Copa do Brasil.

Lisca é um técnico inteligente, carismático e que é amado por todos os torcedores por onde passa. Se não fosse por causa da pandemia do coronavírus, o vídeo abaixo de Lisca abraçando os seus torcedores ficaria ainda mais emblemático, mas a paixão dos torcedores e o carinho de Lisca merecem a atenção. “Saiu do hospício para ser campeão, Lisca Doido é do Coelhão”

Mais gravações de Guilherme Macedo, jornalista do GE.com.

Faz a TED

Para aqueles que não sabem, TED significa Transferência Eletrônica Disponível. A frase “Faz a TED” se popularizou com a ideia de cobrar o pagamento de alguém. E, em meio a uma briga entre as duas equipes, Lisca estava cobrando a CBF por “somente” 7 milhões de reais.

Com a classificação para a semifinal da Copa do Brasil 2020, o América arrecadou mais 7 milhões de premiação e chegou ao alto valor de 17,6 milhões arrecadados na competição de mata-mata. Este valor é mais do que os 5,7 milhões previstos no orçamento do Coelho para 2020, ou seja, mesmo estando em uma pandemia, com portões fechados, o América terminará o ano com as finanças em dia.

Lisca fez bem em pedir. A TED é mais do que merecida para os guerreiros do América!

Natal americano

O mês de dezembro está chegando. Com isso, chegam as festividades de final de ano. E o torcedor do América, com certeza, já definiu seu presente de Natal: uma classificação sobre o forte time do Palmeiras.

As partidas acontecerão nos dias 23 e 30 de dezembro. Sim, na semana do Natal e do Réveillon o América entrará em campo nas duas partidas mais importantes da sua história. O adversário será o Palmeiras de Abel Ferreira, treinador português que iniciou muito bem o seu trabalho. Na outra semifinal, São Paulo e Grêmio disputarão a outra vaga para a final.

Se o pedido para o “Papai Noel” der certo, o americano terá um novo compromisso nos dias 03 e 10 de fevereiro, datas da final da Copa do Brasil. Já imaginou, dias após o término da Série B – que será no dia 30 de janeiro- o América poderia entrar em campo na final da competição de mata-mata?

Comemore, grite, sonhe e aproveite, torcedor do América! O momento merece e a história seguirá sendo escrita!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários