Com 10 novos casos da COVID-19, mas com reforço da Seleção, Atlético duela com o Athletico-PR “no escuro”. Veja as prováveis escalações!

Foto: Bruno Cantini / Atlético

O atleticano está feliz com o momento dentro de campo e com a liderança. Porém terá dois grandes problemas nesta partida entre o Galo e o Furacão. Primeiramente, o jogo não terá transmissão na TV, ou seja, será “no escuro”. Além disso, o surto de COVID-19 dentro da equipe alvinegra é outro agravante. O Galo não contará com Jorge Sampaoli e oito atletas do time profissional. Por outro lado, a notícia boa é o retorno de Guilherme Arana, que estava com a Seleção Brasileira na terça e já está em BH.

O Atlético duela com o Athletico-PR nesta quarta, 18, às 19 horas, no Mineirão. A partida é válida pela 6ª rodada do Brasileirão, já que este jogo havia sido adiado. Com isso, o Galo irá concluir o seu 1º turno do Campeonato Brasileiro. O jogo não terá transmissão e o Blog explicou o porquê. Veja!

O atleticano esteve ansioso por esta partida desde 29/08, quando o encontro entre o Galo e o Furacão deveria ter acontecido, mas foi adiado por causa do 2º jogo da final do Campeonato Mineiro. Durante dois meses e meio, o Atlético teve um jogo a menos que alguns dos seus adversários. Com a eliminação do Furacão da Copa do Brasil, a CBF marcou este duelo para esta quarta, 18. Os Atléticos também se enfrentarão no dia 12/12, em partida válida pela 25ª rodada.

Os adversários desta noite estão em situações bem diferentes na competição. O Galo é líder, com dois pontos de diferença para o 2º colocado, e almeja abrir distância nesta quarta. Com a vitória, o Atlético alcança 65% de aproveitamento, se aproximando do rendimento do São Paulo, rival que tem 66,7%, mas está em 3º, com 36 pontos e três jogos a menos. Já o Athletico-PR está em 17º, com 22 pontos, e deseja deixar a zona do rebaixamento nesta rodada. Com uma vitória ou um empate, o Furacão respira.

Mesmo com muito equilíbrio, o retrospecto é favorável ao Atlético. Segundo o próprio time mineiro, já aconteceram 56 jogos, onde o Galo venceu 24 vezes e perdeu 20 partidas. Em 12 oportunidades houve empate.

Outra estatística positiva para os torcedores do Galo é o bom momento no Mineirão e o mau desempenho do Athletico fora de casa. O time mineiro é o melhor mandante do Brasileirão, com oito vitórias e dois empates em dez jogos, enquanto o Furacão é o 3º pior visitante, com apenas duas vitórias e um empate em nove partidas.

O Atlético vem de duas boas vitórias: um massacre por 4 a 0 sobre o Flamengo, no dia 08 de novembro, e um importante triunfo por 2 a 1 contra o Corinthians, no último sábado, 14. A vitória sobre a equipe paulista ficou marcada por uma bela virada atleticana e, principalmente, pelo erro da arbitragem, ao não marcar um pênalti claro em Vargas. O Atlético emitiu uma nota, reclamando da arbitragem de Rodrigo Dalonso (SC) e pedindo explicações, porém ainda não teve retorno.

No entanto, um fato chamou a atenção. Na véspera da partida, na terça, 17, a CBF mudou o árbitro de vídeo da partida desta quarta, 18. Assim como no jogo contra o Corinthians, o comando do VAR seria a cargo de um carioca. O Galo não protestou o fato de novamente ser um árbitro do Rio de Janeiro, mas a torcida pressionou nas redes sociais e a CBF optou por mudar para Cláudio Rocha Filho, árbitro de São Paulo. Segundo o Ge.com, a cúpula atleticana até estranhou a mudança.

Além da arbitragem, os dias seguintes ao triunfo sobre o Corinthians, mesmo com a liderança atleticana, foram turbulentos por causa de casos de COVID-19 que foram divulgados. Além de Alan Franco e Sávio, que haviam testado positivos defendendo as suas seleções, houve nove positivos na Cidade do Galo nesta segunda – confira os nomes aqui – e mais dez casos nesta quarta. Além de Sampaoli, os atletas Victor, Guga, Réver, Gabriel, Allan e Vargas são os principais nomes com coronavírus. Por causa dos vários desfalques na Comissão Técnica, o Galo será comandado pelo treinador do time de transição Leandro Zago.

Os outros desfalques atleticanos estão nas suas seleções. Nesta terça, 17, Savarino atuou por 70 minutos e Alonso por 62 nas suas respectivas pátrias. Já Guilherme Arana não entrou em campo e voltou de Montevidéu por meio de um “jatinho particular” atleticano para a partida desta quarta, 18, frente ao Athletico-PR. Ele já está em BH.

Por causa deste grande número de baixas, o Atlético deve ter um time bem diferente e um banco com vários jogadores da equipe de transição. Com Mariano machucado, Bueno deve jogar como lateral-direito, deixando a vaga de zagueiro livre para algum atleta da base. No meio-campo, Jair volta a ser o 1º volante, enquanto no ataque Marrony deve ganhar a chance de ser titular.

Provável escalação: Éverson; Bueno, Igor Rabello, Gustavo Henrique (Micael), Guilherme Arana; Jair, Nathan, Zaracho; Eduardo Sasha, Marrony, Keno. Técnico: Leandro Zago.

Sobre o adversário

Após conquistar a Sul-Americana em 2018 e a Copa do Brasil em 2019, era esperado um desempenho melhor do Athletico-PR nesta temporada. No entanto, o Furacão está desapontando seus torcedores. O time viveu uma fase muito ruim – foram onze jogos seguidos sem vencer entre os dias 26 de setembro e 04 de novembro – e, por isso, está na zona do rebaixamento. O campeão paranaense deseja pontuar em Minas Gerais para deixar o Z-4.

Com o polêmico Mario Celso Petraglia no comando, o Athletico-PR deveria ter investido melhor. Após negociar Léo Pereira, Renan Lodi, Bruno Guimarães e Rony, todos por um bom valor, e pela alta premiação da Copa do Brasil, o Furacão teve bastante dinheiro em caixa. Porém, o elenco montado é modesto e disputará a permanência na Série A. Para exemplificar quão confuso é o plantel athleticano, já foram utilizados 38 jogadores diferentes neste Brasileirão.

Em crise, o Athletico-PR buscou Paulo Autuori para ser Dirigente da equipe e, no último sábado, 14, ele estreou como treinador na vitória por 1 a 0 sobre o Goiás. Após a amarga sequência de onze jogos sem triunfar, o Furacão venceu as duas últimas e espera seguir no bom momento. Por coincidência ou não, Renato Kayzer marcou nestas duas partidas e o centroavante é a grande esperança athleticana. Carlos Eduardo, ponta emprestado pelo Palmeiras, está com um edema na coxa e nem viajou para Belo Horizonte.

Provável escalação: Santos; Erick, Thiago Heleno, Pedro Henrique, Abner; Wellington, Christian, Léo Cittadini; Nikão, Reinaldo, Kayzer. Técnico: Paulo Autuori.

Atlético x Athletico-PR
6ª rodada do Brasileirão Série A
18/11/2020, 19:00 horas, Mineirão
Transmissão: não terá transmissão na TV
Árbitro: Dyorgines José Padovani de Andrade (ES)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Katiuscia Mayer Berger Mendonça (ES).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.