Por que o Atlético terá dois jogos nos próximos dias sem transmissão da TV?

Até o Sampaoli, que está afastado por causa da COVID-19, está sem saber como irá ver o seu time. Foto: Bruno Cantini / Atlético

O atleticano está empolgado com a liderança e com o atual momento. O Atlético vem de duas vitórias consecutivas, contra Flamengo e Corinthians, e as boas atuações também voltaram a acontecer. Com os estádios fechados, por causa da pandemia do coronavírus, o torcedor acompanha as partidas com muito amor pela televisão. Porém, nos próximos dias, o rádio retornará a ser o amigo do atleticano.

O Atlético terá duas partidas sem transmissão da TV. Trata-se dos dois encontros contra o Athletico-PR. O primeiro confronto acontece nesta quarta, 18, às 19 horas, no Mineirão, em jogo válido pela 6ª rodada, já que este jogo havia sido adiado. Já o segundo duelo acontecerá no dia 12 de dezembro, às 17 horas, na Arena da Baixada, casa da equipe paranaense, em partida válida pela 25ª rodada.

Mas não irá passar no Premiere? Nem no SporTV? E no TNT? É culpa da Globo? O blog te explica detalhadamente o porquê da torcida atleticana ter que encarar duas partidas “no escuro” nos próximos dias.

Premiere

O Grupo Globo fechou contrato de pay-per-view com 19 equipes na Série A, inclusive o Galo. A única equipe que não assinou o vínculo com o Premiere foi o Athletico-PR. O time paranaense reivindicou melhores valores e bateu de frente com a emissora detentora de boa parte do futebol brasileiro.

Com isso, o atleticano poderá acompanhar 36 jogos deste Brasileirão pelo Premiere, já que as outras 18 equipes têm contrato com o pay-per-view da Rede Globo. Todavia, as partidas contra o Athletico não terá transmissão no Premiere.

SporTV e TNT

Os direitos de transmissão na TV paga ficaram bem divididos: doze equipes assinaram com o SporTV, incluindo o Atlético, e outras oito, inclusive o Athletico-PR, têm vínculo com o TNT. Estes canais de TV paga só transmitem partidas em que ambas as equipes têm contrato com o canal, como manda a Lei Pelé.

Quando uma equipe tem contrato com a Rede Globo e o adversário tem o Grupo Turner, dono da TNT, o jogo não pode ser transmitido nos canais pagos, sobrando somente o pay-per-view e a transmissão em rede aberta. A partida entre Galo e Sport, por exemplo, teve transmissão do SporTV, já que os dois times têm contrato com o canal. Já o confronto entre Athletico Paranaense e Fortaleza foi transmitido na TNT.

Por isso, os dois canais pagos que transmitem o Brasileirão, SporTV e TNT, não poderão transmitir os jogos entre os Atléticos.

Rede Globo

A única opção para a partida ser transmitida na TV seria por meio da Rede Globo, já que tanto o Atlético quanto o Athletico-PR têm contrato com a Globo para transmissão das suas partidas em rede aberta. Porém, dois fatores fizeram com que a emissora não se interessasse com a transmissão e deixasse as partidas fora do horário nobre.

O primeiro é que a partida desta quarta, 18, é no mesmo dia que as quartas de finais da Copa do Brasil e a competição de mata-mata é o carro-chefe do meio de semana esportivo da Globo. Os jogos de volta terão bastante audiência até mesmo de pessoas que não são torcedores dos times envolvidos, visto os possíveis vexames, emoções e até mesmo decisões de pênaltis.

O segundo fator é que com essa “rebeldia” do Furacão, de ser o único time da Série A que não assinou o contrato com o Premiere, a Rede Globo está promovendo um boicote silencioso ao Furacão. Foram apenas três jogos transmitidos na rede aberta durante este Brasileirão, ou seja, a Globo não está se esforçando para passar os jogos da equipe paranaense.

A lei do mandante

Muitas pessoas falam da MP 984, feita pelo governo de Jair Bolsonaro, como a solução desses problemas. Porém, em 2020, a Lei do Mandante trouxe problemas como este. O Athletico-PR foi contra a Globo por causa da medida provisória, alegando que, desta forma, poderia negociar individualmente os seus direitos de transmissão.

E isso aconteceu, mesmo com a MP não se tornando uma lei – ela caducou no mês de outubro, após não ser votada no Congresso. O Furacão briga judicialmente com a TV Globo e conseguiu criar o seu próprio pay-per-view. Mesmo com o fim da medida provisória, o Athletico alega que pode transmitir no “Furacão Play” as suas partidas como mandante, já que fechou acordo quando a MP 984 estava em vigor. O caso está na justiça.

Por isso, a partida do dia 12/12, na Arena Baixada, tem a chance de ter transmissão neste pay-per-view. Todavia, o atleticano que desejar ver a partida deve pagar a mensalidade de 25,00 reais para o time paranaense. Já que trata-se de apenas uma partida, o valor fica muito alto e, dificilmente, os torcedores mineiros irão assistir.

Este é o grande problema da Lei do Mandante. A ideia de alguns times brasileiros acaba individualizando os direitos de transmissão e dificulta o acesso dos torcedores que desejam assistir todas as partidas. Com a MP, o torcedor teria garantido os 19 jogos do seu time como mandante e sofreria para assistir as partidas como visitante.

Como dito por Lásaro Cândido, atual vice-presidente do Galo, a melhor forma para o torcedor, para as equipes e para o próprio Brasileirão é a negociação em conjunto destes direitos de transmissão, pois evitaria estes jogos “no escuro”.

Por isso, o atleticano terá que passar duas rodadas nos próximos dias sem acompanhar o seu time. O rádio voltará a ser a companhia. Mesmo com esse problema para assistir os jogos, o torcedor deseja mesmo são os seis pontos nestas partidas contra o xará paranaense.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários