Mesmo com erro claro da arbitragem, Atlético vence o Corinthians, quebra tabu e reassume a liderança

Foto: Pedro Souza / Atlético

Tabu quebrado, erro de arbitragem para cobrar a CBF e três pontos fora de casa. Além disso, com a vitória de virada sobre o Corinthians, o Atlético reassumiu a liderança e quebrou um tabu que perdurava há 7 anos. O Galo não vencia o Timão em solo paulista desde 2013 e na Neo Química Arena, o time mineiro não havia saído de campo com a vitória. Vários ingredientes de um triunfo emocionante. 

O Atlético derrotou o Corinthians por 2 a 1 neste sábado, 14, na Neo Química Arena. Os gols foram marcados por Matheus Davó, no 1º tempo, Arana e Marrony, na 2ª etapa, acarretando a bela virada atleticana.

Com o resultado, o Galo aproveitou o tropeço do Internacional e reassumiu a ponta do Brasileirão. O Colorado perdeu para o Santos e permaneceu com 36 pontos. O Atlético está em 1º, com 38 tentos e irá repor a partida adiada contra o Athletico-PR, nesta quarta, 18, ou seja, poderá abrir 5 pontos para o time gaúcho. Vale ressaltar que o 3º colocado é o São Paulo, com 36 pontos e dois jogos a menos que o Galo. Já o Corinthians deve permanecer na 11ª posição, porém a distância para o Z-4 pode diminuir. 

O jogo ficou marcado pela virada atleticana e pela emoção. No entanto, se faz necessário perguntar à CBF e a Comissão de Arbitragem, comandada por Leonardo Gaciba, sobre o porquê da não marcação do pênalti sobre Eduardo Vargas, aos 4 do 1º primeiro tempo. A partida foi toda condicionada por este erro. Além do gol de Davó no minuto seguinte à não marcação da penalidade máxima para o Galo, Gil poderia ser expulso, como disse a especialista de arbitragem da ESPN, Renato Ruel. A diretoria atleticana terá que contestar, para o bem da justiça no futebol. 

Já na prática do futebol, a partida teve um Corinthians inoperante, que não deu trabalho, contra um Atlético intenso até os minutos finais, porém com alguns problemas de criação pelo meio, muito pela forte marcação corinthiana. O importante é ressaltar as mudanças táticas de Sampaoli no intervalo. Várias inversões foram feitas e o Atlético conseguiu fazer os dois gols graças às modificações. Ponto para o treinador argentino, que novamente foi cirúrgico. 

Das atuações individuais, é notável a grande estreia de Eduardo Vargas. O camisa 10 deu um belo cartão de visita à torcida e participou de várias jogadas, principalmente a linda assistência que o chileno deu para o gol de Arana, que também foi bem e fez acontecer a lei do ex. Vale ressaltar mais uma grande partida de Igor Rabello, zagueiro que demonstra estar mais firme e confiante no seu talento. 

De ponto negativo – além da arbitragem de Rodrigo Dalonso – fica a falta de criatividade no meio-campo do Atlético. Jair, mais uma vez, não esteve em bom nível – ele e Allan juntos não vão bem juntos –  e Zaracho aparenta estar muito tímido ainda. O argentino ficou mais de sete meses sem jogar e ainda está se acostumando ao futebol brasileiro. 

O jogo

Para iniciar a falar do jogo, é necessário falar da grande polêmica da partida, que aconteceu logo no minuto 4 da 1ª etapa. Vargas foi lançado, ganhou a frente de Gil e entrou na área. Como analisado pelo especialista de arbitragem da transmissão do Premire, Sálvio Espínola, o zagueiro corinthiano agarrou o estreante da noite e impediu que Vargas chutasse. Não foi uma polêmica, foi um pênalti claro não marcado por Rodrigo Dalonso e tampouco revisado pelo VAR. 

No lance seguinte, o gol do Corinthians. Luan recebeu com liberdade na intermediária e fez um belo cruzamento. A bola encontrou Ramiro entrando em velocidade. O camisa 8 do Timão cruzou para Matheus Davó, que entrou sem a marcação da dupla de zagueiros atleticanos e testou no contrapé de Éverson. Gol do Corinthians, 1 a 0 no placar e um grande baque na equipe mineira, visto que o pênalti foi no lance anterior ao gol sofrido.

O Atlético chegou algumas vezes, todavia não fez Cássio trabalhar nos 45 minutos iniciais. Aos 21,  Guga tabelou com o Jair, chegou na linha de fundo – movimentação rara de Guga com Sampaoli, mas com a entrada de Vargas, o lateral-direito jogou mais aberto no 1º tempo – e cruzou. Vargas bateu de primeira e isolou. No minuto 33, Zaracho bateu uma falta na área, Sasha entrou e finalizou “de carrinho”. Mesmo ligeiramente impedido, o atacante atleticano errou. 

Em uma das melhores construções atleticanas na 1ª etapa, a bola também saiu por cima da meta de Cássio. Allan, que havia começado o jogo como zagueiro pela esquerda, inverteu uma bela bola para Guga. O lateral chegou mais uma vez no fundo e cruzou. Vargas furou, Sasha fez um corta-luz e Jair hesitou na hora de bater. O volante poderia ter chutado de primeira, mas dominou e não conseguiu finalizar bem. 

Mesmo sem mudar jogadores, Sampaoli promoveu mudanças táticas no intervalo. Igor Rabello foi deslocado para o lado esquerdo da defesa, Guga retornou a jogar internamente, fazendo a saída de bola, Allan se consolidou como o volante à frente da área, Jair foi adiantado para jogar ao lado de Zaracho e Keno foi deslocado para a direita, invertendo com Vargas. Muitas mudanças para surpreender a marcação encaixada do Corinthians e conseguir virar o jogo. 

E justamente as mudanças táticas deram resultado no gols da virada do Atlético. Mesmo com um início da 2ª etapa sem conseguir grandes feitos, o Galo fez um belo gol no minuto 15. Em bola alçada na área, a zaga do Corinthians tirou. Vargas ficou com o rebote pela esquerda – ele atuou pela direita no 1º tempo – trouxe para o meio e esperou a ultrapassagem de Arana.

O chileno deu um lindo toque de calcanhar para o lateral-esquerdo atleticano, que chutou firme e empatou o jogo. A lei do ex não perdoa e muito menos Guilherme Arana, que marcou o 5º gol dele com a camisa do Galo. 1 a 1 no placar. 

Aos 27, Marrony, que havia acabado de entrar no lugar de Sasha, roubou a bola de Ramiro e escorou para Vargas. O estreante da noite bateu firme e a bola desviou em Marllon. No escanteio seguinte, uma grande chance atleticana, onde Cássio salvou.

Guilherme Arana cobrou escanteio, Réver cabeceou na 2ª trave, Rabello também testou e devolveu para a área. Marrony, dentro da pequena área, tentou finalizar de cabeça, a bola bateu em Gil e sobrou para Nathan. O camisa 23 atleticano, que entrou na vaga de Zaracho, chutou da forma que conseguiu e Cássio defendeu em cima da linha. O bate rebate quase resultou na virada atleticana.

O Galo estava enfrentando um adversário inoperante, que não deu trabalho à defesa atleticana. Por isso, a virada era questão de minutos. Na primeira boa jogada individual de Keno, o camisa 11 cruzou perfeitamente de perna esquerda e encontrou Marrony. O jovem atacante entrou e bateu com a canhota no ângulo de Cássio. 2 a 1 para o Galo e mais um gol “na conta” das mudanças de Sampaoli, visto que Marrony veio do banco e Keno cruzou da direita, invertido da sua tradicional posição. 

De “Professor Pardal”, Sampaoli não tem nada. O treinador mudou e mexeu muito bem na equipe. Um triunfo dele, de um elenco competente que entende o que o treinador pede e de jogadores que não desistiram, mesmo com o erro inicial que poderia ter desestabilizado toda a equipe.

Uma vitória que mostra que o Atlético realmente busca o título. Um triunfo para ganhar confiança nas partidas fora de casa. São três pontos para alcançar a liderança e seguir com os pés no chão. Ajustes devem acontecer e o Galo deve continuar nesta pegada. Faltam 18 batalhas. 

O Atlético volta a campo na próxima quarta, 18, às 19:00, no Mineirão, em jogo válido pela 6ª rodada do Brasileirão, visto que esta partida havia sido adiada. 

Números da partida
Corinthians x Atlético-MG
33% Posse de bola 67%
8 Finalizações 13
1 Finalizações no gol 4
6 Escanteios 6
1 Impedimentos 1
29 Faltas 11
2 Grandes chances 4
1 Grandes chances perdidas 3
266 Passes 547
168(63%)Passes certos 458(84%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários