Copa do Brasil | América encontra um Inter inofensivo e vence no Sul; no Rio, Flamengo perde mais uma

Reprodução Instagram

Uma vitória inesquecível. Após 20 anos, o América volta a vencer o Internacional. Além disso, o triunfo foi ainda mais especial porque foi a primeira vez na história que o Coelho jogou uma partida de quartas de final da Copa do Brasil e conseguiu abrir uma vantagem considerável que poderá ser administrada em casa.

Nesta quarta, 11, o América derrotou o Internacional por 1 a 0, no Beira-Rio, casa do Colorado, ou seja, na próxima quarta, 18, as equipes duelam no Independência com vantagem do time mineiro.

O Coelho se classifica em caso de empate e, obviamente, se vencer a partida da volta. O Inter precisa ganhar por dois gols ou mais de diferença para passar de fase. Em caso de vitória da equipe gaúcha por um gol de vantagem, o semifinalista da Copa do Brasil 2020 será definido nas penalidades máximas.

Assim como no jogo contra o Corinthians, o América venceu por 1 a 0, fora de casa, na primeira partida decisiva. Um grande passo do Coelho, que agora sonha em estar entre os quatro melhores times da competição. Porém, desta vez, o placar foi construído logo cedo, aos 13 minutos.

O América começou em cima e quase marcou com Felipe Azevedo. No minuto 9, Ademir lançou o camisa 7, que driblou Heitor e bateu forte. Marcelo Lomba fez uma grande defesa. 4 minutos depois, o goleiro do Colorado não conseguiu intervir.

Em rebote de escanteio, Geovane deu de letra para Diego Ferreira cruzar na área. O bom lateral americano fez um excelente cruzamento e encontrou a cabeça de Rodolfo. O artilheiro da Copa do Brasil não decepcionou. Ele testou firme, no canto, a bola ainda bateu na trave e foi morrer no fundo das redes. Festa dos torcedores do América e uma comemoração efusiva e única de Lisca.

Com 1 a 0 no placar logo no início, o América conseguiu dosar a sua marcação-pressão e administrou bem a partida, mesmo dando a bola para o Colorado – o time de Abel teve 72% de posse de bola. Aos 38, Geovane, que fez uma boa partida, acelerou e hesitou na hora de bater. Ele preferiu o passe para Ademir, no entanto a defesa do Internacional tirou. Fim de um primeiro tempo americano.

No segundo tempo, Peglow teve a oportunidade de empatar a partida para o Colorado no 1º minuto de jogo, na única chance clara do Internacional na partida. A cria da base isolou. Aos 32, Thiago Galhardo recebeu cruzamento de Victor Cuesta e cabeceou, porém a bola foi para fora. O dia não era do artilheiro da equipe gaúcha.

Quem teve uma grande chance no 2º tempo foi o América. No minuto 4, logo em seguida do lance perdido por Peglow, o Coelho quase aumentou a vantagem. Zé Ricardo lançou Ademir, que entrou na área e bateu mal. A bola foi também mal cortada por Uendel e sobrou para Rodolfo. O artilheiro da noite tentou de cabeça, aproveitando que Lomba estava fora, porém Zé Gabriel tirou de peito. A bola ainda bateu na trave, antes de ser rebatida em definitivo pela defesa do Internacional.

Além destas três chances, o segundo tempo ficou marcado pelas mudanças equivocadas de Abel Braga, que estava reestreando pelo Internacional. Ele começou a empilhar jogadores de ataque, que não entenderam a intenção do treinador. O resultado: fim de jogo e uma brilhante vitória do América de Lisca.

Mais uma partida boa do Coelho. A equipe mineira conseguiu se manter bem postada durante todos os 90 minutos e mereceu a vitória. O time do Inter aparentava estar afobado e perdido. A saída de Eduardo Coudet pode ter desestabilizado os gaúchos, que não conseguiram ser agressivos e, praticamente, não fizeram o goleiro do América trabalhar. O Coelho, que não tem nada a ver com isso, venceu fora de casa.

Lisca novamente foi brilhante. Ademir e Rodolfo mais uma vez foram preponderantes nas jogadas ofensivas. O América está crescendo no torneio e começa a sonhar com voos ainda maiores na Copa do Brasil. Humildade, trabalho e determinação devem ser as palavras de ordem para o excelente time americano no jogo de volta. O América está próximo de escrever mais um lindo capítulo da sua história.

Nas outras três partidas das quartas de final

Às 16:30, o Palmeiras enfrentou o Ceará em casa e passou por cima da equipe nordestina. Em um espaço de 4 minutos, o time de Abel Ferreira fez três gols e definiu o placar de 3 a 0. Gustavo Scarpa, Raphael Veiga e Gabriel Veron praticamente colocaram o Palmeiras na próxima fase, mesmo desfalcado de 8 titulares.

Mais tarde, às 19 horas, quem venceu foi o Grêmio. Mesmo fora de casa, a equipe de Renato Gaúcho venceu o Cuiabá, surpresa dessa Copa do Brasil, por 2 a 1. Os gols gremistas foram marcados por Diego Souza e Jean Pyerre. Já a equipe mato-grossense, que perdeu o treinador Marcelo Chamusca para o Fortaleza, fez gol com Willians.

Simultaneamente com a partida do América, Flamengo e São Paulo se enfrentaram no Rio de Janeiro. Mais uma vez, o confronto entre Fernando Diniz e Rogério Ceni teve como vencedor o ousado treinador da equipe paulista. O placar de 2 a 1 foi construído pelos centroavantes. Brenner, duas vezes, para o São Paulo e Gabriel Barbosa, o Gabigol, para o Flamengo foram os autores dos gols.

O gol da vitória da equipe paulista aconteceu em um erro bizarro de Hugo Souza, goleiro da base flamenguista. O arqueiro, que entrou após lesão de Diego Alves, tentou driblar o centroavante são-paulino e acabou entregando o tento para Brenner. Pela 3ª partida seguida, o Flamengo foi derrotado. O mau momento está evidente na Gávea…

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários