Uma partida maluca! Com direito a expulsão de Pottker, Cruzeiro empata por 3 a 3 com o Guarani

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

A manchete do 1º turno, na vitória da Raposa sobre o Bugre em Campinas, foi “Em um jogo cheio de gols e polêmicas, o Cruzeiro vence o Guarani por 3 a 2”. Por um deslize da defesa cruzeirense a manchete não pôde ser repetida e a equipe mineira perdeu dois pontos cruciais. Mais uma vez, Cruzeiro e Guarani proporcionaram uma grande partida, com muitos gols e com um erro capital do árbitro. 

O jogo desta segunda, 09, marcou um incrível empate por 3 a 3 entre Cruzeiro e Guarani. A partida, válida pela 21ª rodada da Série B, aconteceu no Mineirão, onde a equipe mineira tropeçou pela 7ª vez em 11 jogos. Os gols foram marcados por Manoel, William Pottker, Welinton, Murilo Rangel – duas vezes – e Pablo.

Com o placar igual, as duas equipes não escalaram na tabela. O Cruzeiro, com 24 pontos, seguiu na 15ª posição, onde ficará até o término da rodada, visto que não pode ser ultrapassado. O ponto negativo é a possibilidade de aproximação das equipes que estão no Z-4 e o possível distanciamento do G-4 na sequência da 21ª rodada. Já o Guarani, ganhou a posição do Brasil de Pelotas pelo critério de desempate, visto que as duas equipes têm 26 pontos.

O erro da arbitragem foi claro. William Pottker não deveria ter sido expulso pelo árbitro Pathrice Wallace Corrêa Maia. O camisa 11 do Cruzeiro não acertou a cotovelada em Giovanny, que fingiu muito bem e cavou a expulsão do cruzeirense. Como a Série B não tem VAR, a decisão do juiz não foi alterada pelas imagens.

Todavia é necessário destacar algo: o resultado foi prejudicado pela arbitragem, porém o mau desempenho não. Por ironia do destino, o Cruzeiro até melhorou nos minutos seguintes, mesmo com um a menos, aproveitando o cansaço do Guarani. Nos primeiros 65 minutos de jogo desta segunda, a Raposa errou bastante, dando muita liberdade para os jogadores do Guarani, que conseguiram criar grandes chances. Além dos três gols, o Bugre teve outras três chances que poderiam ter sido convertidas. 

Como ponto positivo, é importante destacar a liderança de Manoel. Mesmo com a defesa errando bastante, o camisa 32 se impôs e, além de balançar as redes adversárias, tirou várias bolas perigosas. Fábio também foi determinante para a partida, mesmo sofrendo três gols. 

O ponto negativo da partida foram as atuações de Régis e Ramon, que possibilitaram a bela atuação de Lucas Crispim. Sem dar combate, a dupla de volante cruzeirense deixou espaços, que foram aproveitados pelo time de Campinas. Patrick Brey e Cacá também estavam muito perdidos e não mostraram o que estavam apresentando nas últimas rodadas. 

O jogo

Na escalação, Felipão deixou claro que está confiando na sua formação ideal, que já vem atuando há quatro jogos. Para o treinador do Cruzeiro, Ramon e Jadsom formam a dupla de volantes titular, Pottker e Airton como os pontas e Sassá é o reserva imediato de Marcelo Moreno, mesmo com os pedidos da torcida para escalar Zé Eduardo.

Porém, a equipe que começou melhor foi o time de Campinas. O Guarani balançou as redes do goleiro Fábio logo no minuto 14. Bruno Sávio veio driblando e foi derrubado na área. O juiz não viu pênalti e Cristovam, lateral do Bugre, rolou curtinho para Murilo Rangel. O camisa 91 estava dentro da meia-lua e bateu com maestria, colocando a bola no ângulo. 1 a 0 no placar.

Aos 19, William Pottker cruzou da esquerda para o meio e encontrou Airton. O ponta que decidiu as últimas partidas cruzeirense ajeitou e quando foi bater com a canhota, o defensor do Bugre travou. Mas o gol de empate da Raposa estava amadurecendo. 

No minuto seguinte, Régis bateu o escanteio com perfeição e achou Manoel no meio da zaga do Guarani. O ótimo zagueiro testou firme, como um chute com a cabeça, e não deu chances para Gabriel, goleiro adversário. O marcador do Mineirão indicava 1 a 1.

O jogo já deixava claro que seria frenético. Lucas Crispim, camisa 10 do Guarani, fez grande jogada pelo meio no minuto 23, contou com a sorte e cruzou rasteiro para o meio da área. Renanzinho teve uma grande chance e furou, perdendo esta oportunidade clara. No contragolpe, o Cruzeiro quase marcou. Raúl Cáceres levantou a bola e William Pottker cabeceou bem, no entanto a bola bateu no travessão. 

No minuto 35, o Guarani construiu mais uma grande jogada. Crispim, o maestro da equipe, encontrou Cristovam na ponta direita. O lateral cruzou para trás, onde Murilo Rangel, autor do primeiro gol, estava entrando. O camisa 91 finalizou com firmeza e a bola foi bloqueada por Manoel, que evitou um provável gol bugrino.

Três minutos depois, aos 38, o gol da equipe campineira. Pottker errou o bote na saída de jogo do Guarani e deixou Raúl Cáceres com dois jogadores para marcar. Desta forma, Bidu estava livre e conseguiu cruzar no segundo pau, na cabeça de Pablo. A cria da base do Atlético, com muita liberdade, aproveitou a falha de Cacá e Brey e testou no contrapé de Fábio, que nada conseguiu fazer. 2 a 1 para o Bugre.

O Cruzeiro estava morto? Pelo contrário. A equipe mineira reagiu, mais uma vez, rapidamente e empatou a partida. Régis tocou para Raúl Cáceres que cruzou bem, como de costume. Sassá errou o movimento da letra, porém Pottker estava com sorte. O goleiro do Guarani rebateu e o camisa 11 do Cruzeiro estava bem posicionado. Pottker bateu de primeira, com a perna esquerda, e fez o seu primeiro gol pelo Cruzeiro. 2 a 2 no marcador de um primeiro tempo frenético.

Os 45 minutos finais iniciaram da mesma forma que os 45 iniciais terminaram: em alta voltagem. E quem marcou foi o Guarani. Uma jogada construída pela esquerda até chegar em Crispim. Aos 5 da 2ª etapa, o camisa 10 do time campineiro deu um passe digno do número que usa.

Ele viu a passagem de Giovanny e tocou em meio à defesa cruzeirense. O camisa 11, que havia acabado de entrar em campo, tocou para o meio e encontrou Murilo Rangel, que mais uma vez estava livre. O autor do primeiro gol bateu mascado e fez mais um. 3 a 2 no placar do Mineirão. 

Aos 11 da 2ª etapa, o lance mais polêmico da partida. William Pottker tinha recebido um cartão amarelo três minutos antes, em falta dura em Giovanny, e acabou se envolvendo em uma possível cotovelada. A imagem da transmissão deixou claro que Pottker não encostou o braço no adversário, porém o juiz confiou na “atuação” do atleta do Guarani e deu o segundo amarelo para o camisa 11. Expulsão equivocada de William Pottker.

No minuto 27, quem chegou foi o Guarani. Giovanny arrancou pelo meio, balançou várias vezes na frente de Cacá e achou o espaço para chutar. Fábio fez uma grande defesa com os pés e manteve a desvantagem em apenas um gol. 3 minutos depois, Machado entrou em campo e, logo em seguida, bateu uma falta da intermediária. A bola bateu na trave, voltou no goleiro e saiu, numa excelente cobrança do camisa 25 cruzeirense.

E quem disse que a Raposa estava morta? Aos 34, Patrick Brey resolveu dar mais uma assistência. Diferentemente das últimas partidas onde o lateral-esquerdo foi o garçom de Airton, desta vez ele cruzou na cabeça de Welinton. O camisa 21 testou firme e empatou o jogo maluco. 3 a 3 no placar e uma indefinição que persistiu até os minutos finais.

Bruno Sávio, em uma tentativa de cruzamento, acertou o gol de Fábio e obrigou o ídolo cruzeirense a fazer uma grande defesa, com as pontas dos dedos. No final da partida, ambos os times cansaram, sentiram a intensidade do jogo, que foi excelente para quem estava assistindo. 

Para os cruzeirenses, fica a indignação justa da expulsão, a dor de perder mais dois pontos em casa e liga um alerta para alguns erros individuais cruciais para os três gols do Guarani. Graças a Fábio, o Bugre não marcou mais gols. Serão 11 dias de folga até a próxima partida, tempo suficiente para aprimorar a parte ofensiva e corrigir erros da defesa. Felipão tem trabalho e o Cruzeiro tem condições de melhorar a situação. Trabalho e foco devem ser as palavras do momento. 

O Cruzeiro volta a campo apenas na sexta-feira da próxima semana, no dia 20, às 21:30, em casa, contra o Figueirense. 

Números da partida
Cruzeiro x Guarani

44% Posse de bola 56%
13 Finalizações 15
4 Finalizações no gol 5
2 Finalizações na trave 0
4 Escanteios 4
1 Impedimentos 0
13 Faltas 13
372 Passes 470
281(76%) Passes certos 395(84%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários