Fora do Z-4 e invicto há 5 jogos, o Cruzeiro tem como inspiração algumas histórias de recuperação no 2º turno. Veja!

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Após seis jogos na zona do rebaixamento, o Cruzeiro conseguiu deixar as posições que levam para a Série C. Esta leve recuperação da Raposa passa pelas mãos de Luiz Felipe Scolari. O comandante estreou há três partidas, venceu duas e empatou uma, dando sequência ao bom momento que soma cinco jogos invictos. 

Porém, é óbvio que o Cruzeiro precisa de regularidade. O time deslizou bastante durante o 1º turno, como os números e as curiosidades apontam, e necessita de se recuperar para conseguir o objetivo da temporada: voltar à elite do futebol brasileiro. 

Para retornar à Série A, o Cruzeiro precisa de um 2º turno muito melhor. Os seus 20 pontos estão distantes de qualquer desempenho das grandes equipes que disputaram a Série B nos últimos anos. Mas para crer em um melhor desempenho na 2ª metade do campeonato, o Cruzeiro pode se agarrar a boas histórias.

As inspirações

Durante a última década houve diversas histórias de superação, tendo início após o fim do 1º turno. São nestes dados que o cruzeirense deve ter fé, para que a sua equipe também consiga desempenhar um futebol excelente, acarretando números incríveis.

A melhor inspiração da última década é a história do Avaí, em 2016. O time catarinense tinha 23 pontos no final do 1º turno – três tentos a mais que o Cruzeiro – e estava na 15ª posição – uma à frente da Raposa atualmente. Após o início da 2ª metade, o Avaí venceu 13 jogos, empatou 4 e saiu derrotado de campo apenas 2 vezes, somando assim incríveis 43 pontos em 57 possíveis. Esta arrancada levou o Avaí para o vice-campeonato de 2016, subindo para a Série B. 

Além da história do Avaí, é possível destacar outras façanhas. O Goiás de 2018, dirigido por Ney Franco, o Santa Cruz de 2015 e o Paraná de 2017 conseguiram voltar para a Série A com campanhas exemplares no 2º turno, porém eles estavam melhores colocados no fim da 1ª parte.

O time goiano era o 9º, com 27 pontos, e venceu 10 das últimas 19 partidas, conseguindo subir em 4º lugar.  A equipe pernambucana estava em 8º, com 28 pontos, e fez incríveis 39 pontos no 2º turno, chegando ao 2º lugar da Série B. Já o time paranaense, último adversário do Cruzeiro, era o 9º em 2017, com 27 tentos, e pontuou em 15 das 19 rodadas e voltou para a Série A.

Recuperações que bateram na trave

Em toda história feliz existe outro lado da moeda. Alguns times arrancaram no 2º turno e acabaram se atrapalhando na rodada final. O exemplo mais fresco na cabeça do torcedor é a campanha do América em 2019, onde o Coelho estava em 13º, com 24 pontos, e conseguiu vencer 11 partidas, empatar 4 e perder apenas 4 no 2º turno, porém tropeçou, em casa, na última rodada e acabou um ponto atrás do 4º colocado. 

Outros exemplos podem ser destacados. O Ceará de 2013 foi muito bem, fez 36 pontos na 2ª metade, com 11 vitórias, todavia, na última rodada conseguiu a façanha de perder em casa, em uma partida que o empate já levaria o Vozão à Série A. Um tremendo vacilo.

O Bragantino de 2011 e o Atlético-GO de 2014 têm histórias parecidas. Ambos fizeram 34 pontos no 2º turno, arrancaram da parte debaixo da tabela e perderam em casa na última rodada, quando era necessário apenas uma vitória para subir de divisão.

Pontuação necessária para voltar

Não existe um cálculo exato, ainda mais levando em conta que esta edição da Série B está bem equilibrada e cheia de empates, porém é possível traçar metas para o Cruzeiro. Na última década, nenhuma equipe subiu com menos de 60 pontos, ou seja, uma meta para se alcançar.

Como extremo e evidenciando que algumas edições passaram do limite, o São Caetano de 2012 fez 71 pontos e acabou não voltando para a Série A. Um fato triste, visto que o Azulão nunca mais conseguiu disputar acesso e hoje em dia disputa a Série D.

Portanto, a Raposa deve fazer mais de 60 pontos para voltar à elite. Difícil? Bastante. Impossível? Não. Ainda mais para um gigante como o Cruzeiro Esporte Clube. São 40 pontos em 57 disponíveis, ou seja, 13 vitórias, um empate e cinco derrotas para a 2ª metade do campeonato.

O atual retrospecto com Felipão – duas vitórias e um empate em três jogos – resultariam em 12 vitórias e 7 empates, isto é, mais 43 pontos. Com 63 tentos, o Cruzeiro conseguiria disputar lá em cima.

Talento tem. Treinador tem. Obrigação também. O Cruzeiro deve voltar e apegar às histórias como a do Avaí para lutar bastante nas próximas 19 finais da Série B 2020. 

História de recuperação após fim do 1º turno em cada uma das últimas edições

Como comparação, o Cruzeiro está em 16º e tem 20 pontos. 

  • O Bragantino estava em 15º em 2011, com 24 pontos. No 2º turno a equipe fez 34 pontos, com 9 vitórias, 7 empates e 3 derrotas. Ficou 3 pontos atrás do 4º (61 pontos), porque perdeu em casa na última rodada e poderia ter subido em casa de vitória. 
  • Em 2012 foi um campeonato atípico, onde o colocado, o São Caetano, não subiu com incríveis 71 pontos. 
  • O Ceará estava em 12º em 2013, com 23 pontos. No 2º turno a equipe fez 36 pontos, com 11 vitórias, 3 empates e 5 derrotas. Ficou um ponto atrás do 4º (60) e poderia ter subido com um empate na última rodada, mas perdeu em casa.
  • O Atlético-GO estava em 13º em 2014, com 25 pontos. No 2º turno a equipe fez 34 pontos, com 10 vitórias, 4 empates e 5 derrotas. Ficou três pontos atrás do 4º (62) porque perdeu em casa na última rodada. 
  • O Santa Cruz estava em em 2015, com 28 pontos. No 2º turno a equipe fez 39 pontos, com 12 vitórias, 3 empates e 4 derrotas. Ficou em 2º, com 67. O 4º subiu com 65.
  • O Avaí estava em 15º em 2016, com 23 pontos. No 2º turno a equipe fez 43 pontos, com 13 vitórias, 4 empates e 2 derrotas. Ficou em 2º com 66, enquanto o Bahia, que estava em 10º, com 25 pontos, fez 38 pontos no 2º turno, com 11 vitórias, 5 empates e três derrotas e acabou ficando em 4º, com 63 pontos. 
  • O Paraná estava em em 2017, com 27 pontos. No 2º turno a equipe fez 37 pontos, com 11 vitórias, 4 empates e 4 derrotas. Subiu em 4º, com 64 pontos. 
  • O Goiás estava em em 2018, com 27 pontos. No 2º turno a equipe fez 33 pontos, com 10 vitórias, 3 empates e 6 derrotas. Ficou em 4º, com 60 pontos. 
  • O América estava em 13º em 2019, com 24 pontos. No 2º turno a equipe fez 37, com 11 vitórias, 4 empates e 4 derrotas. Ficou em 5º, com 61 pontos. O 4º finalizou com 62. O América perdeu o último jogo e poderia ter ido à Série A com um empate.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Futebol Nacional