De fora do Z-4! Cruzeiro vence o Paraná por 2 a 0 e respira aliviado

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Um gol cedo é igual a uma boa atuação. Mais uma vez, o Cruzeiro balança as redes do adversário nos primeiros minutos e tira um grande peso das costas. Da mesma forma que venceu a Ponte Preta, exatamente um mês atrás, o Cruzeiro dominou o adversário e, com a tranquilidade de vantagem no placar, venceu mais uma partida.

O Cruzeiro derrotou o Paraná por 2 a 0 nesta noite chuvosa de sexta-feira, 30. A partida aconteceu no Mineirão e os gols foram marcados por Marcelo Moreno e Airton. Foi a 4ª vitória do Cruzeiro em casa, justamente no dia que completou um mês do último triunfo no Gigante da Pampulha. A intenção de Felipão é que vencer em casa se torne rotina para o elenco cruzeirense.

Com o resultado, o Cruzeiro sai da zona do rebaixamento pelo menos temporariamente. Os três pontos deixaram a Raposa com 20 pontos e, após um mês, o Cruzeiro se encontra fora do temido Z-4. A equipe mineira ultrapassou o Náutico e o Figueirense, ambos com 19 pontos. 

O time pernambucano jogará neste sábado, fora de casa, contra o CSA, mas mesmo no fim da rodada terá um jogo a menos em relação ao Cruzeiro. Já a equipe catarinense atuará na próxima segunda contra a Ponte Preta, em Campinas. Apenas na segunda, 02, o cruzeirense terá a certeza se terminará a rodada fora do Z-4.

Já o Paraná segue em 5º, mas pode ser ultrapassado por Ponte Preta, CSA e CRB, se estas equipes vencerem os seus confrontos da rodada. A maior decepção do tricolor paranaense é a atuação abaixo do esperado, além da chance perdida de entrar no G-4 neste final de turno.

A atuação cruzeirense nos 45 minutos foi boa, onde a equipe de Belo Horizonte conseguiu imprimir uma intensidade rara neste ano, além de uma pressão nos 20 minutos iniciais que não permitiu que o Paraná jogasse. A 2ª parte do Cruzeiro foi mais apagada, mas, com a boa vantagem, o time apenas administrou a vitória. 

Airton, mais uma vez, foi muito bem. São dois gols e uma assistência nos últimos quatro gols do Cruzeiro, sendo protagonista das três partidas sob comando de Felipão. Marcelo Moreno e Patrick Brey, que são tão contestados pela torcida, aproveitaram a chance e ganharam pontos com os cruzeirenses e com o Felipão. Raúl Cáceres e Manoel retornaram muito bem e deram ainda mais confiança para a defesa.

O ponto negativo novamente é a distância entre o meia armador e a dupla de volantes. Jadsom não aproxima de Régis e todas as jogadas saem pelas pontas, visto que o meio não funciona. Marquinhos Gabriel foi um jogador nulo e não acrescentou nada.

O jogo

Logo na escalação foi possível ver a intenção de Felipão: colocar experiência em campo. Raúl Cáceres, mesmo ficando mais de 40 dias lesionado, retornou já como titular na vaga do jovem Rafael Luiz. Manoel voltou à defesa, empurrando Ramon para a dupla de volantes. Com isso, Adriano, cria da base cruzeirense, foi sacado da equipe titular.

O Cruzeiro começou muito bem e pela primeira vez conseguiu encaixar uma pressão no campo de ataque. Sufocando o adversário, a Raposa teve duas grandes chances com Marcelo Moreno nos quinze minutos iniciais. O camisa 9 fez um gol e obrigou o goleiro a fazer uma bela defesa. 

Logo no primeiro minuto de jogo, a pressão deu resultado e o Paraná cometeu uma falta na direita. Régis cobrou na cabeça de Marcelo Moreno. O centroavante desviou e abriu o placar para o Cruzeiro. Um lance bem ajustado, onde o bandeirinha confirmou o gol com convicção. Era o gol para tirar o peso das costas. 1 a 0 no marcador.

Aos 13, Airton criou um excelente lance pela direita. O camisa 77 fez a sua jogada característica – acelerou pela ponta direita – e tocou para trás, encontrando Moreno. O “Flecheiro Azul” chutou forte, de primeira, e Marcos, goleiro do Paraná, fez grande defesa com a perna, evitando o segundo gol cruzeirense. 

No meio da primeira parte, o Paraná equiparou e conseguiu rodar mais a bola. Mas a Raposa estava bem postada na zaga e em um dos ataques do time paranaense, aos 38 minutos, o Cruzeiro conseguiu encaixar o contra-ataque e ampliar o placar.

Renan Bressan, camisa 10 do Paraná, cobrou falta no peito de Fábio, que resolveu repor rápido. Com as mãos, ele lançou Patrick Brey, que acelerou pela ponta direita, lado oposto à sua posição. O camisa 22 esperou Airton passar e deu um lindo passe. O veloz ponta entrou na área driblando o goleiro e apenas tocou para o gol. Déjà vu cruzeirense: gol de Airton, com assistência de Patrick Brey, como foi o tento marcado sobre o Náutico, no último domingo. 2 a 0 no placar de um ótimo primeiro tempo. 

Os times não mexeram no intervalo e, obviamente, quem deveria sair para o jogo era o Paraná, visto que havia uma desvantagem de dois gols no placar. A equipe paranaense até teve mais a bola do que o Cruzeiro, mas não conseguiu criar grandes chances. A Raposa ficou esperando um adversário que não incomodava e o jogo foi desenhando como um segundo tempo pragmático. 

Como exemplo do jogo morno, até os 35 da 2ª etapa, apenas uma bola havia sido finalizada corretamente. Fábio e Marcos não haviam trabalhado e isso era bom para o Cruzeiro, que tinha o placar positivo nas mãos.

Claudinho, que entrou já no final do jogo, foi o único a assustar o goleiro adversário na segunda etapa. Após erro na saída de bola do Paraná, Claudinho aproveitou e chutou forte. Marcos estava bem posicionado e fez uma boa defesa.

Fim de jogo. 2 a 0 no placar. O Cruzeiro atuou bem na 1ª etapa e controlou no 2º tempo. Uma luz no fim do túnel é vista com Luiz Felipe Scolari. O treinador emplacou o terceiro jogo no comando e segue sem ser derrotado. 

O jogo marcou o fim de um turno. Um turno decepcionante, vergonhoso e para se esquecer. A ideia é planejar os próximos jogos. Serão 19 finais para chegar ao G-4. A autoconfiança é primordial para os atletas e, aparentemente, com Felipão o time está se encaixando. Ainda há um longo caminho, porém o gigante pode ser reconstruído.

O Cruzeiro volta a campo na próxima sexta, 06, às 19:15, contra o Botafogo-SP, em Ribeirão Preto. 

Números da partida
Cruzeiro
x Paraná
41% Posse de bola 59%
9 Finalizações 10
6 Finalizações no gol 1
4 Escanteios 4
3 Impedimentos 0
17 Faltas 13
2 Grandes chances 0
1 Grandes chances perdidas 0
384 Passes 544
300(78%) Passes certos 477(88%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários