Para ganhar ânimo e sair do Z-4, Cruzeiro enfrenta o Náutico nesta tarde de domingo

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

2ª partida de Felipão no comando. Possibilidade de 2ª vitória e uma recuperação importantíssima para a sequência. Uma equipe que almeja melhorar a situação, mudando do Z-4 para o G-4, tem que vencer todos os confrontos possíveis. Faltam 21 batalhas e o Cruzeiro tem que entrar pensando que se trata de uma final. Raça, vontade e qualidade serão fatores preponderantes nestes jogos. 

O duelo deste domingo, 25, às 16 horas, será entre Náutico e Cruzeiro, no Estádio dos Aflitos, casa da equipe pernambucana. O Timbu está em 16º e a Raposa em 18º, ou seja, a partida é um confronto direto na parte debaixo da tabela.

Se vencer, o Cruzeiro alcançará marcas importantes. Será a 2ª vitória consecutiva, feito que não acontece desde agosto – na 3ª rodada, contra o Figueirense. Caso não sofrer gols, o Cruzeiro iguala a melhor sequência do ano na questão defensiva: será o 4º jogo consecutivo sem ser vazado, mostrando a evolução da defesa, setor que havia sido tão criticado no mês de setembro. Com os três pontos, o gigante mineiro sairá da zona do rebaixamento – pelo menos temporariamente – ultrapassando o próprio Náutico. 

O Timbu está em uma campanha bastante irregular, que pode ser dividida em três momentos. As cinco primeiras rodadas foram decepcionantes, pois não teve vitória: quatro empates e uma derrota. Depois disso, o Náutico emplacou três vitórias e um empate nas quarto partidas seguintes. Quando o torcedor pernambucano estava começando a empolgar aconteceu a pior sequência: seis jogos seguidos sem vencer – quatro derrotas e dois empates. Este mau momento recente foi quebrado com a vitória sobre o lanterna Oeste, na última rodada. Caso derrote o Cruzeiro, o Náutico se distancia do Z-4 e pode chegar até na 13ª colocação. 

O retrospecto geral é favorável ao Cruzeiro, que venceu a metade dos jogos disputados. Em 32 partidas, a Raposa venceu 16 vezes, houve empate em 5 oportunidades e o Náutico saiu vitorioso de campo em 11 jogos.

Porém, é importante ressaltar que os 11 triunfos  da equipe pernambucana aconteceram com o seu mando de campo, ou seja, só ganhou em casa. Como visitante, o Cruzeiro venceu apenas 3 vezes, mas a última partida foi no estado nordestino, em 2013, e a Raposa goleou. 4 a 1 no placar, com direito a dois gols de Ricardo Goulart. 

O Cruzeiro vem para a partida deste domingo empolgado. A vitória fora de casa, feito que não acontecia desde agosto, foi muito importante para recuperar um pouco da confiança. Felipão estreou e viu um time precisando evoluir muito ainda, por causa da atuação ruim, porém levou os três pontos, que é o mais importante na atual situação. Se vencer o jogo frente ao Náutico, Felipão alcançará feito raro entre os treinadores do Cruzeiro na última década. Confira!

A escalação deve ser semelhante à formação da última partida. Após cumprir suspensão, Daniel Guedes retorna ao time e estará à disposição de Felipão. O treinador pentacampeão mundial já deixou claro que deseja contar com jogadores experientes na Série B, por isso é provável que Guedes ganhe a vaga de Rafael Luiz. 

No restante da defesa cruzeirense, a escalação deve ser repetida. Manoel segue isolado, por causa da COVID-19, e Léo ainda se recupera de lesão. Raúl Cáceres, que estaria na concorrência com Daniel Guedes e Rafael Luiz, também segue em tratamento.

No meio-campo, Felipão ainda não conseguiu os reforços que o elenco necessita. Por causa disso, Adriano e Jadsom devem ser mantidos como dupla de volantes. Maurício, camisa 11 da Raposa, está com a Seleção Brasileira sub-20 e não jogará as próximas duas partidas. Régis se consolida ainda mais como titular.

Nas pontas, Felipão optou por Marquinhos Gabriel e Arthur Caíke – autor do gol da vitória – no último jogo. Mas a boa atuação do veloz Airton, autor da assistência do tento de Arthur, colocou uma boa dúvida na cabeça do treinador. Na referência, Moreno foi opção, no entanto Zé Eduardo merece uma chance de mostrar o seu futebol. 

Provável escalação: Fábio; Daniel Guedes, Cacá, Ramon, Matheus Pereira; Jadsom, Adriano; Marquinhos Gabriel (Airton), Régis, Arthur Caíke; Marcelo Moreno (Zé Eduardo). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Sobre o adversário

Campeão da Série C em 2019, o Náutico, tradicional equipe nordestina, chegou em 2020 almejando subir mais um degrau e chegar na elite do futebol brasileiro. No campeonato pernambucano, o Timbu foi eliminado pelo rival Santa Cruz na semifinal, em uma disputa de pênaltis dramática, e acabou vendo o modesto Salgueiro se tornar campeão estadual. 

Como citado anteriormente, a equipe alvirrubra está em um momento bastante irregular. A vitória frente o fraco Oeste, na última rodada, deu uma apaziguada, mas nas últimas semanas a diretoria promoveu diversas mudanças no elenco e até mesmo na comissão técnica. Como exemplo do momento tão ruim, o Náutico marcou um gol nos últimos seis jogos, justamente contra o lanterna do campeonato. 

O time pernambucano é treinado por GIlson Kleina, ex-treinador do Palmeiras, porém ele não estará em campo neste domingo. Ele testou positivo para a COVID-19 e está isolado. A equipe será comandada por Juninho Lola, que deve escalar praticamente a mesma equipe que venceu o Oeste. Os nomes mais conhecidos da equipe são Jorge Henrique, ex-Corinthians, e Kieza, ex-cruzeirense, ou seja, é possível acontecer a “lei do ex”. Mas o destaque da equipe é o camisa 10, Jean Carlos. A defesa cruzeirense deve ficar de olho nele.

Provável escalação: Jefferson; Hereda, Carlão, Camutanga, Kevyn; Rhaldney, Jhonnatan; Jorge Henrique, Jean Carlos, Vinicius; Kieza. Técnico: Juninho Lola.

Náutico x Cruzeiro
18ª rodada do Brasileirão Série B
25/10/2020, 16 horas, Estádio dos Aflitos
Transmissão: Globo (MG e PE), SporTV (menos PE), Premiere
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho (SP)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Evandro de Melo Lima (SP).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.