Para tirar o Cruzeiro do Z-4 no domingo, Felipão terá que realizar feito que apenas 4 treinadores da última década conseguiram

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Luiz Felipe Scolari chegou para mudar o astral da equipe e melhorar a situação do Cruzeiro na Série B. Com o objetivo de retornar à Série A, a Raposa deve entrar com tudo nas 21 batalhas restantes. Uma missão complicada, porém é uma luta de partida em partida. 

Por isso, a vitória frente o Operário, na última terça, 20, foi de suma importância para a recuperação. O próximo confronto é ainda mais importante, já que o jogo contra o Náutico é um confronto direto. A partida acontecerá no domingo, 25, às 16 horas, no Estádio dos Aflitos. O time pernambucano está em 15º, enquanto o Cruzeiro está em 18º. 

Uma vitória basta para os comandados de Felipão saírem da zona de rebaixamento. Para isso acontecer, o treinador multicampeão terá que vencer a 2ª partida consecutiva, ou seja, iniciar a sua passagem com duas vitórias em dois jogos.

Ao analisar os 14 treinadores cruzeirenses da última década (2011-2020) – em 15 passagens, já que Mano Menezes dirigiu em 2015 e voltou em 2016 – foi visto que vencer as duas primeiras partidas em sequência é um feito muito raro.

Apenas Joel Santana, Marcelo Oliveira, Vanderlei Luxemburgo e Enderson Moreira iniciaram o seu trabalho com dois triunfos consecutivos, feito que Felipão almeja conseguir.

Vale ressaltar que Marcelo Oliveira e Enderson iniciaram disputando estaduais e tiveram mais facilidade. Felipão, se vencer a partida contra o Náutico, se juntará a “Papai Joel” e Luxemburgo como treinadores que tiveram um início tão bom pela Raposa em campeonatos nacionais. Um grupo seleto e preenchido por técnicos experientes.

Os outros 10 treinadores destes últimos 10 anos tropeçaram na estreia ou no jogo seguinte. O destaque negativo vai para Adilson Batista, que começou a sua passagem no ano passado, 2019, com duas derrotas consecutivas. 

Que Luiz Felipe Scolari não terá vida fácil é óbvio, mas o talento do treinador pode resultar na saída do Z-4, uma recuperação e façanhas individuais do próprio Felipão.

Lista de todos os treinadores da década (2011-2020) e as duas partidas iniciais

Ney Franco (2020):
1 a 0, em casa, contra o Vitória
1 a 3, fora de casa, contra o CSA

Enderson Moreira (2020): 
3 a 0, em casa, contra o URT
1 a 0, fora de casa, contra a Caldense

Adilson Batista (2019):
0 a 1, fora de casa, contra o Vasco
0 a 2, em casa, contra o Grêmio

Abel Braga (2019):
0 a 1, fora de casa, contra o Goiás
1 a 1, em casa, contra o Internacional

Rogério Ceni (2019):
2 a 0, em casa, contra o Santos
1 a 1, fora de casa, contra o CSA

Mano Menezes (2016):
0 a 2, fora de casa, contra o Santos
4 a 2, em casa, contra o Internacional

Paulo Bento (2016): 
2 a 2, em casa, contra o Figueirense
1 a 4, fora de casa, contra o Santa Cruz

Deivid (2016):
1 a 1, fora de casa, contra o Criciúma
0 a 0, em casa, contra o URT

Mano Menezes (2015):
5 a 1, em casa, contra o Figueirense
0 a 2, fora de casa, contra o Flamengo

Vanderlei Luxemburgo (2015): 
1 a 0, em casa, contra o Flamengo
3 a 1, fora de casa, contra o Atlético 

Marcelo Oliveira (2013):
2 a 1, em casa, contra o Atlético 
2 a 0, em casa, contra o América-TO

Celso Roth (2012): 
0 a 0, em casa, contra o Atlético-GO
0 a 0, fora de casa, contra o Naútico

Vágner Mancini (2011): 
0 a 2, fora de casa, contra o Grêmio
3 a 3, em casa, contra o São Paulo

Emerson Ávila (2011): 
1 a 1, fora de casa, contra o Palmeiras
1 a 2, em casa, contra o Fluminense

Joel Santana (2011): 
2 a 1, em casa, contra o Coritiba
3 a 0, fora de casa, contra o Vasco

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários