Na estreia de Felipão, Cruzeiro enfrenta o Operário com desfalques e novidades na defesa

Imagem de quando Luiz Felipe Scolari chegou no Cruzeiro, em outubro de 2020. Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Após 7387 dias, Felipão fará uma estreia pelo Cruzeiro e, por coincidência, novamente contra uma equipe paranaense. No dia 30 de julho de 2000, Luiz Felipe Scolari atuou contra o Athletico-PR, no Mineirão. 20 anos depois, o treinador pentacampeão mundial dará início a sua 2ª passagem pela Raposa.

O Cruzeiro, desesperado pela atual situação, enfrenta o Operário nesta terça, 19, às 21:30 horas, no Estádio Germano Kruger, em Ponta Grossa-PR. Ambas as equipes vêm de resultados decepcionantes. A equipe mineira empatou sem gols com o Juventude, enquanto o time paranaense foi goleado pelo CRB por 4 a 1.

Os rivais da partida desta noite estão em partes diferentes da tabela. O Cruzeiro se encontra na 19ª posição e necessita urgentemente de se recuperar. Caso vença, a Raposa sai do Z-4 – dependendo de alguns resultados – e tira um peso enorme das suas costas.

Já o Operário busca vencer o Cruzeiro em casa, onde perdeu apenas uma vez, e se aproximar do G-4, já que a equipe paranaense está na 9ª posição, com 22 pontos, 5 a menos que a Ponte Preta, 4ª colocada.

O retrospecto do duelo é curto, todavia favorável ao Fantasma. Houve apenas um confronto entre Cruzeiro e o Operário e a equipe paranaense saiu com a vitória. O amistoso aconteceu em 1990 e o Operário venceu por 1 a 0, em Ponta Grossa.

O ponto negativo para a Raposa é o momento. Com o psicológico abalado e a imensa falta de confiança, o Cruzeiro necessita de se recuperar. São quatro jogos sem vencer e estando na vice-lanterna por duas rodadas consecutivas, questões vexatórias para uma equipe do tamanho do gigante de Belo Horizonte.

Por exemplo, em outubro, o Cruzeiro perdeu duas vezes e empatou duas partidas, se consolidando no Z-4. Nestes quatro jogos, o setor ofensivo fez apenas um gol – com o zagueiro Manoel – e finalizou somente nove vezes na meta adversário, número que mostra o porquê da crise da equipe. 

Felipão chega para fazer a função de um bombeiro e acabar com este caos. O momento financeiro não proporcionará grandes contratações ao treinador e um dos maiores técnicos da história do futebol brasileiro terá que “se virar” com o atual elenco. O primeiro objetivo de Scolari deve ser retomar a confiança dos atletas e fazer com que eles tenham segurança no próprio talento.

Para a estreia, Luiz Felipe Scolari terá alguns desfalques pontuais na defesa. Manoel foi diagnosticado com COVID-19 e ficará alguns dias isolado. Daniel Guedes tomou o 3º cartão amarelo e também ficará de fora da estreia do novo treinador.

Como notícia positiva, o Cruzeiro tem o retorno de Matheus Pereira, que havia testado positivo para a COVID-19, e ficou de fora das últimas três partidas. O jovem jogador é um dos destaques da Raposa na Série B. Para a reserva, o Cruzeiro reintegrou Patrick Brey, lateral que esteve perto de deixar o time, mas estará à disposição.

Ainda na defesa, Raúl Cáceres e Léo, que eram titulares no início da competição, seguem lesionados. Com o desfalque de Manoel, Ramon deve voltar à linha de defesa, após jogar como volante. 

No meio-campo, Jadsom Silva deve ter a companhia de Machado ou Adriano. Machado foi preterido dos titulares na última partida e nem entrou em campo, porém é um jogador importante para equipe. Ele deu duas assistências e marcou um gol na Série B, além de fazer muito bem a saída de bola, principal problema do Cruzeiro na última partida. Já o volante Adriano, cria da base cruzeirense, atuou em dois jogos na Série B e somou apenas 57 minutos em campo. Se entrar, terá uma chance única de mostrar serviço.

O ataque deve seguir com a mesma formação, mesmo com várias possibilidades. Arthur Caíke pode voltar a ser titular, Marquinhos Gabriel foi relacionado, após estar lesionado, Welinton entrou bem no jogo contra o Juventude e Claudinho quase marcou o gol da vitória na última sexta. Todos estes são variações e possibilidades para Felipão escalar a equipe, a fim de acabar com o jejum de gols.

Provável escalação: Fábio; Rafael Luiz, Ramon, Cacá, Matheus Pereira; Jadsom Silva, Machado (Adriano); Maurício (Marquinhos Gabriel), Régis, Airton; Sassá. Técnico: Felipão.

Sobre o adversário

Após ficar em 10º em 2019, o Operário iniciou 2020 com o propósito de conseguir um feito gigante para o modesto time paranaense: o acesso à Série A. A equipe jogou a 1ª divisão em 1979, mas esta edição contou com 94 times, ou seja, a ascensão à primeira divisão seria uma façanha para o time de Ponta Grossa. Mas o início de temporada não foi animador. 

O Operário, campeão da Série C em 2018 e do Paranaense em 2015, foi mal no estadual deste ano e decepcionou ao ser eliminado pelo Cianorte, nas quartas de finais. Com isso, o elenco do Fantasma têm na Série B a grande oportunidade de terminar a temporada com o objetivo concluído. No torneio, o Operário está em 9º, cinco pontos atrás da Ponte Preta. Em casa, a equipe venceu três jogos, empatou outras três e foi derrotado apenas pelo Guarani. 

Após ser goleado pelo CRB – 4 a 1 no placar – os comandados de Gerson Gusmão buscarão a vitória frente o Cruzeiro para manchar a estreia de Felipão. Pedro Ken, ex-Cruzeiro, está suspenso e desfalca a equipe. Tomas Bastos, substituto natural de Ken, e Chorão seguem com COVID-19 e não estarão aptos para a partida desta terça.

Provável escalação: Thiago Braga; Sávio, Ricardo Silva (Bonfim), Renie, Fabiano; Mazinho; Thomaz (Batatinha), Douglas Coutinho, Marcelo, Clayton; Jefinho (Schumacher). Técnico: Gerson Gusmão.

Operário x Cruzeiro
17ª rodada do Brasileirão Série B
20/10/2020, 21:30 horas, Estádio Germano Kruger
Transmissão: SporTV e Premiere.
Árbitro: Diego Pombo Lopez (BA)
Assistentes: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (BA) e Edevan de Oliveira Pereira (BA).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Claúdio Rodolfo

Hoje vai ganhar!

Speech Zezé, good morning guy

Oh coitado!

João Lemos Rodrigues

Escalar Maurício? Nem pensar. Para mim já estaria fora do time.