Atlético duela com o Bahia, fora de casa, com um objetivo claro: retomar a liderança

Reprodução Twitter

Líder desde a 11ª rodada, o Atlético busca voltar à liderança e ficar na frente de Internacional e Flamengo, mesmo com um jogo a menos. Já o Bahia, espera vencer o Galo em casa e, desta forma, se distanciar do Z-4. Um jogo importantíssimo para as pretensões das equipes.

O duelo entre Bahia e Atlético acontece nesta segunda, 19, às 20 horas, no Estádio de Pituaçu, em Salvador. O jogo é válido pela 17ª rodada do Brasileirão 2020. O Atlético vem de um empate decepcionante no Mineirão, contra o Fluminense, onde a equipe mineira perdeu os 100% de aproveitamento em casa. Já o Bahia empatou, no último lance, contra o Goiás na última sexta-feira, 16, e quer retomar o caminho dos triunfos em casa.

A importância da partida desta segunda é gigantesca para as duas equipes. Os adversários diretos – Internacional e Flamengo do Atlético e Athletico-PR do Bahia – pontuaram no final de semana e colocaram pressão sobre os times que fecham a rodada. 

Se o Atlético vencer, a equipe voltará à 1ª posição. Em caso de derrota ou empate, o Galo ficará em 3º, com um jogo a menos e dependendo de uma vitória para retomar o posto de líder. Caso o Bahia triunfar ou empatar, a equipe nordestina irá se distanciar do Z-4. Se perder, o Tricolor de Aço terminará a rodada na zona do rebaixamento.

O retrospecto é um ponto positivo para a equipe atleticana. Os dois tradicionais times do futebol brasileiro se enfrentaram 62 vezes e o Galo venceu 29 partidas. Houve empate no duelo em 18 oportunidades e o Bahia triunfou em apenas 15 jogos.

Uma questão que chama a atenção é o histórico recente. Desde 2003, os jogos com mando do Bahia terminam empatados. A última vitória atleticana aconteceu em 2003 e o Tricolor de Aço triunfou em casa sobre o Galo, pela última vez, em 2002, quando o Brasileirão nem era disputado em pontos corridos. A partida desta segunda, 19, enfim terá o vencedor?

O Galo vem de uma partida decepcionante. O torcedor atleticano estava com a expectativa de seguir com 100% de aproveitamento no Mineirão, onde o Atlético não havia tido dificuldade para vencer os adversários. Porém, a equipe mineira enfrentou um Fluminense muito bem montado e teve bastante dificuldade. O empate foi um placar justo pela atuação dos dois times.

Com o tropeço em casa, derrotar o Bahia fora é tido como uma obrigação, até mesmo pelas vitórias dos dois grandes concorrentes: Flamengo e Internacional. Na próxima rodada as duas equipes se enfrentam e, por isso, é preponderante para o Galo vencer e deixar que eles “se resolvam” no próximo domingo. 

Para a partida desta noite, o Galo terá novidades. Os selecionáveis atleticanos retornaram das suas respectivas seleções e estarão em campo em Salvador. Sem eles, o Atlético teve aproveitamento abaixo de 50%: em nove pontos disputados, a equipe de Belo Horizonte só conquistou quatro.

Contrapondo a volta dos gringos, a equipe de Sampaoli terá o desfalque de Allan, suspenso pelo 3º cartão amarelo. Keno está pendurado e enfrentará o Bahia com o risco de ficar fora do confronto com o Sport, no próximo sábado, às 21 horas – horário preferido de Keno. O Atlético não contará com o recém-chegado Zaracho, que não foi inscrito, e Tardelli, que ainda se recupera de lesão.

É esperado que a escalação de Sampaoli não tenha grandes surpresas. Alonso deve colocar Rabello no banco, mas uma das únicas variações possíveis é a entrada do xerife paraguaio no lugar de Guilherme Arana. O lateral esquerdo atleticano está em uma sequência de oito jogos consecutivos jogando os 90 minutos.

Alan Franco entrará na vaga de Hyoran e Savarino na posição exercida pelo menino Sávio, que deve entrar no 2º tempo, pois está com moral com o treinador argentino. Marrony, que está ganhando mais minutos, também deve participar da 2ª etapa. 

Provável escalação: Éverson; Guga, Réver, Alonso, Arana (Rabello); Jair, Alan Franco, Nathan; Savarino, Eduardo Sasha, Keno. Técnico: Jorge Sampaoli.

Sobre o adversário

O Bahia está abaixo das expectativas. Após um bom 2019, onde a equipe baiana, comandada na época por Roger Machado, ficou na 11ª posição sem lutar para não cair, era esperado que o Tricolor de Aço evoluísse. Porém 2020 não está sendo um ano tão positivo. Mesmo vencendo o campeonato estadual, o vice-campeonato da Copa do Nordeste e o início ruim no Brasileirão culminou na demissão de Roger. 

Mano Menezes, velho conhecido dos atleticanos, chegou e está treinando o Bahia. Sob comando do técnico, o Tricolor disputou oito partidas, ganhou duas, empatou em uma oportunidade e saiu de campo derrotado cinco vezes. O momento da equipe nordestina é ainda pior, ao ter uma visão mais abrangente: são só dois triunfos nos últimos 14 jogos, dados que explicam a luta para não ser rebaixado. 

Para a partida desta segunda, o Bahia terá diversos desfalques, já que o empate contra o Goiás foi bastante tumultuado. Mano Menezes, o auxiliar Sidnei Lobo, Rossi e Élber foram expulsos e estão fora do encontro com o Atlético. A equipe será comandada por Cláudio Prates e contará com Elias, atleta que estava no Galo até o final do último ano. 

Provável escalação: Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Juninho, Lucas Fonseca, Juninho Capixaba; Gregore, Elias; Fessin (Ramires), Daniel, Clayson; Gilberto. Técnico: Cláudio Prates.

Bahia x Atlético
17ª rodada do Brasileirão Série A
19/10/2020, 20:00 horas, Estádio de Pituaçu
Transmissão: Premiere
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Michael Stanislau (RS).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários