Curtas | Fábio Santos saindo, dívida de Maicon Bolt, débito pago na FIFA, ex-diretoria denunciada no MP e muito mais. Resumo semanal de Atlético e Cruzeiro

Fonte: Twitter do Cruzeiro e Bruno Cantini / Atlético

Blog Bola Pra Frente traz um resumo semanal das notícias dos gigantes mineiros, com informações rápidas, pontuais e que deixem o torcedor atualizado sobre Atlético e Cruzeiro.

Atlético

1º tropeço em casa, mas a manutenção da liderança

O Atlético tropeçou ao enfrentar o Fluminense em casa. O placar de 1 a 1 no Mineirão – gols marcados por Caio Paulista e Guilherme Arana – foi bem decepcionante e, principalmente, a 1ª etapa deixou a desejar. Mesmo com o empate, o Atlético seguiu na liderança, com os mesmos 31 pontos de Internacional e Flamengo. Vale ressaltar que ambos têm um jogo a mais que o Galo. 

6 anos do passeio sobre Mano Menezes

Na última quinta, 15, completou 6 anos da emblemática virada sobre o Corinthians, na Copa do Brasil. O placar de 4 a 1 foi construído com muita vontade, inteligência e apoio da massa. Relembre detalhes deste confronto inesquecível! Uma coincidência da data é que o próximo adversário do Galo é uma equipe de Mano Menezes, o Bahia. O jogo acontecerá na segunda-feira, 19, às 20:00, em Salvador.

A “vuelta” dos gringos

Após 3 jogos desfalcados, o Galo terá praticamente todo o seu elenco à disposição – apenas Diego Tardelli, ainda lesionado, e Zaracho, recém-chegado, não terão condição de jogo. O trio estrangeiro – Júnior Alonso, Alan Franco e Savarino – voltou da data FIFA e será utilizado contra o Bahia. Sem eles, o Atlético fez apenas quatro de nove pontos disputados.

Zaracho e os próximos reforços

O meio-campista argentino chegou. A promessa Matías Zaracho, de 22 anos, assinou o contrato com o Atlético neste sábado e vestiu a camisa alvinegra pela 1ª vez. O seu vínculo vai até 2025. Além de Zaracho, o Atlético segue no mercado. Como adiantado pelo Fala Galo, o Atlético deve buscar um bom nome, em final de contrato, e uma promessa em empréstimo, com opção de compra. Segundo o Fala Galo, o Atlético foi atrás de Aníbal Moreno, do Newell ‘s, mas o time argentino recusou a oferta por empréstimo.

É hora de dar tchau para Fábio Santos

Um grande jogador. Titular de 2016 a 2019, Fábio Santos sempre honrou as cores atleticanas. No último ano foi contestado pela parte física, mas, para um atleta de 34 anos, disputar mais de 50 jogos é bem desgastante. Após a chegada de Guilherme Arana, Fábio foi para o banco e foi preterido por Sampaoli. Com isso, o Corinthians, ex-time do atleta, fez proposta para o jogador e ele procurou a diretoria, a fim de rescindir o contrato amigavelmente. Ele deve ser anunciado no clube paulista nos próximos dias. A massa, com certeza, agradece Fábio pelos serviços prestados e pelos 20 gols, boa parte de pênalti.

Alto custo, pouco futebol

Maicon Bolt é uma rara unanimidade na torcida do Galo: boa parte não entende o porquê da sua contratação até hoje. O atleta não entregou o futebol que era esperado – não passou nem perto de ser razoável – e, após ter seu contrato rescindido, entrou na justiça contra o Galo. E na 1ª instância, o Atlético saiu perdendo. O Galo foi condenado a pagar 14 milhões ao atleta, porém o time alvinegro recorreu. Com isso, os representantes de Bolt entraram na justiça pedindo uma “execução provisória”, que obriga o Atlético a pagar esta quantia em 48 horas. O Galo deve tentar suspender esta execução e encaminhar o processo para o Tribunal Superior do Trabalho, onde o processo levaria anos.

Polêmica do VAR contra o São Paulo

Um dos assuntos mais falados na última semana foi a declaração de Leonardo Gaciba, ex-árbitro e atual presidente da comissão de arbitragem da CBF. Ele afirmou que o gol de Luciano, na partida entre Atlético e São Paulo, não deveria ter sido anulado, pois o são-paulino estava em posição legal, porém houve um erro humano ao traçar as linhas. Um erro raro, mas, como se trata de seres humanos, possível de acontecer.

Cadeiras cativas e camarotes

Teve início neste sábado, 17, a venda das cadeiras cativas e camarotes da Arena MRV, a casa do atleticano. O estádio tem previsão para concluir as obras em 2022, mas a venda destes privilégios faz parte da parte financeira da construção. As 4592 cadeiras podem ser compradas por R$30.980,00 ou R$40.980,00 – esta variação acontece pela localização dos assentos. O valor dos 80 camarotes gira em torno de 1 milhão de reais. E, segundo Fala Galo, o Atlético já conseguiu vender quase todos os camarotes e 1000 cadeiras cativas. Em apuração de Betinho, do Fala Galo, e projeção de Pedro Bueno, é especulado que estas vendas iniciais tenham girado mais de 100 milhões para a Arena MRV.

Cruzeiro

Mais um tropeço em casa

O 6º deslize em 9 jogos no Mineirão na Série B. O Cruzeiro não está honrando a sua tradição de ser um bom mandante. O adversário da vez, que saiu pontuando, foi o Juventude. A equipe gaúcha perdeu um pênalti, mas se defendeu no restante da partida, e levou um ponto para o sul do Brasil. O empate em 0 a 0 entre a Raposa e a equipe gaúcha decepcionou a torcida cruzeirense, já que o Cruzeiro finalizou 21 vezes e não balançou as redes. 

Problemas ofensivos e defensivos

A forma de jogo está, obviamente, muito ruim. A 19ª posição da Série B não é à toa. Na defesa, o Cruzeiro passou as duas últimas partidas sem sofrer gols, mas apresentou uma formação tática contra o Oeste, lanterna do campeonato, que impressionou: uma linha de seis defensores foi vista. Veja a análise! Outro ponto que chama a atenção é o ataque. O Cruzeiro fez 15 gols em 16 jogos, apenas um gol neste mês e 9 finalizações certas nos quatro jogos do mês de outubro. É, a situação não está fácil.

Novo chefe

Felipão é o novo treinador do Cruzeiro. Após várias especulações – e recusas de Lisca, Marcelo Chamusca e Umberto Louzer – a Raposa contratou Luiz Felipe Scolari até o fim de 2022, visando um projeto a longo prazo. O treinador terá um desafio gigantesco e estreará na próxima terça, 20, contra o Operário, em Ponta Grossa.

Pagamento das dívidas

Como condição para a chegada do técnico pentacampeão mundial, o Cruzeiro deveria pagar as dívidas e, desta forma, permitir inscrever novos jogadores. Com ajuda de Pedro Lourenço, dono dos Supermercados BH, a Raposa confirmou o pagamento das dívidas com a comissão técnica de Paulo Bento, com Ábila e com o Zorya, referente a contratação de Willian Bigode- o débito que havia acarretado a punição da FIFA. Com estes pagamentos, que ficaram em mais de 10 milhões, o Cruzeiro espera que a FIFA permita, a partir da próxima semana, a inscrição de novos atletas. Angulo, Giovanni Piccolomo e Matheus Índio estão aguardando essa permissão para serem inscritos.

Henrique e Ariel

Com a chegada de Felipão e com o pagamento das dívidas, o Cruzeiro deve ir ao mercado buscar reforços. O setor dos volantes é a principal carência do elenco e será o foco das contratações. Henrique se juntou a Jean no departamento médico e ficará fora por um bom tempo. Ariel Cabral foi oficializado no Goiás e ficará emprestado até o fim do Brasileirão. Para a posição, o Cruzeiro tem Machado, Jadsom, Jadson, Adriano e Ramon, que é zagueiro, mas atuou na última partida improvisado.

Mais dívidas

Ainda no setor dos meio-campistas defensivos, o nome que ficou nos holofotes nesta semana foi o de Willians. O atleta, que está atualmente no Goytacaz-RJ, atuou em apenas 41 partidas com a camisa azul celeste, mas processou o Cruzeiro em 2019. Nesta quinta, 15, a Rádio Itatiaia confirmou que a Raposa foi condenada a pagar 1,2 milhão para o jogador, por causa de questões contratuais na rescisão. Ainda cabe recurso.

MPMG denuncia ex-diretoria

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) denunciou nesta quinta, 15, nove pessoas que participaram de crimes que envolvem o Cruzeiro. A denúncia trata de crimes de lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, apropriação indébita e formação de organização criminosa. Segundo levantamento do MPMG, o prejuízo causado ao Cruzeiro é de cerca de R$ 6,5 milhões. Dentre estes nove indivíduos estão Wagner Pires de Sá, Itair Machado e Sérgio Nonato, três ex-dirigentes da Raposa e responsáveis pela crise atual.

Bolsonaro veta

O Cruzeiro esperava que Jair Bolsonaro permitisse uma nova abertura no PROFUT, mas o presidente da República vetou esta possibilidade. Sendo assim, a Raposa poderá ser cobrada, em curto prazo, pela dívida de mais de 303 milhões de reais.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários