Ainda sem Felipão no comando, Cruzeiro enfrenta o Juventude nesta sexta

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Uma semana em Atibaia: vários treinos sem um técnico efetivo. A desorganização cruzeirense estava cada dia mais evidente e a recuperação aparentava estar distante.  Mas a contratação de Felipão nesta quinta, 15, apresentou um rumo à equipe. Uma vitória nesta rodada dará ânimo aos atletas e um incentivo para o trabalho de Felipão, que se inicia a partir de sábado. 

A partida desta sexta, 16, acontecerá no Mineirão, às 21:30. O Cruzeiro enfrenta o Juventude, em jogo válido pela 16ª rodada do Brasileirão Série B. A equipe mineira é a vice-lanterna e tem 12 pontos. Já o time gaúcho está em 6º, com 23 pontos.

Um jogo que ocorrerá horas antes, entre Botafogo-SP e América-MG, será importantíssimo para o confronto entre Cruzeiro e Juventude. Se o América vencer o time paulista, o Juventude não irá conseguir entrar no G-4. Caso o Botafogo vença, o Cruzeiro continuará na zona do rebaixamento.

Ou seja, o Cruzeiro precisa vencer e torcer para que o Botafogo perca ou empate com o América. Já o Juventude terá que torcer para que o América perca para o Botafogo e, desta forma, se derrotar o Cruzeiro, voltará ao grupo de acesso à Série A. Uma partida muito importante para as equipes.

O retrospecto do duelo é favorável ao time mais tradicional, o Cruzeiro. Em toda a história, aconteceram 23 jogos e o Cruzeiro venceu 12, mais da metade dos jogos. Houve empate em cinco oportunidades e a equipe gaúcha saiu de campo vitoriosa seis vezes.

O Juventude esteve na Série A pela última vez em 2007 e, depois disso, as equipes não tinham se encontrado. O curioso é que a equipe gaúcha venceu os três últimos jogos e sustenta um pequeno tabu contra a equipe mineira.

É de conhecimento geral a terrível crise, tanto esportiva quanto financeira, que o Cruzeiro está enfrentando. E ao invés de estar utilizando o ano de 2020 para se reconstruir, a Raposa já apresentou diversos erros iguais ao ano passado, como a utilização de vários veteranos, um exemplo claro disso. 

Nos últimos dias mudanças já foram feitas. Ariel Cabral saiu emprestado para o Goiás, Ney Franco foi demitido e Marcelo Moreno amargou reserva para Sassá – ele esteve convocado para a Seleção Boliviana nas últimas duas partidas, mas deve retornar como reserva. Além disso, a infelicidade de Henrique, que lesionou o joelho, e de Léo, que ainda não deve retornar, tirou da equipe dois jogadores veteranos e contestados.

Ainda são necessárias outras mudanças. A contratação de Felipão, um técnico vitorioso e com respaldo, não só pode, como deve acarretar diversas modificações. No entanto, a diretoria deve reconhecer as suas falhas, a fim de não seguir cometendo estes erros nos próximos meses.

Para a partida, o Cruzeiro deve manter a mesma escalação. A equipe foi treinada por Célio Lúcio, auxiliar fixo da equipe e que estará nesta sexta, 16, interinamente como treinador. Felipão reestreia pelo Cruzeiro na próxima terça-feira, 20, frente o Operário. 

A defesa segue desfalcada de Matheus Pereira, Raúl Cáceres e Léo, ou seja, a formação deve ser a mesma. A única dúvida fica na volta ou não de Cacá, que está sendo relacionado, porém Ney Franco estava optando por Ramon. 

No meio-campo, Jadsom Silva e Machado serão a dupla de volantes. Jadson, que voltou recentemente ao Cruzeiro, foi titular na última partida, mas o empate por 0 a 0 com o lanterna Oeste deixa claro que faltou criação no meio. Régis deve retornar à titularidade.

O ataque deve seguir com os mesmos. A postura que deve mudar. A equipe fez apenas um gol nas últimas três partidas e o tento foi marcado por Manoel, ou seja, os atacantes estão em jejum desde a partida contra a Ponte Preta.

Provável escalação: Fábio; Rafael Luiz, Manoel, Ramon (Cacá) , Daniel Guedes; Machado, Jadsom Silva, Régis (Jadson); Airton, Sassá, Arthur Caíke. Técnico: Célio Lúcio. 

Sobre o adversário

Com saudades da Série A – 13 anos de ausência – o Juventude tem como grande objetivo da temporada ficar entre os quatro primeiros. No campeonato gaúcho a equipe de Caxias do Sul ficou em 3º em ambos os turnos e não disputou nenhum mata-mata.

Já no Brasileirão Série B, o Juventude, comandado por Pintado, entrou com muito ânimo e tem o 2º melhor ataque da competição, com 22 gols. O grande destaque é o jovem Breno Lopes, que fez 7 gols no torneio. Mas o ponta esquerda foi expulso na derrota para o Brasil de Pelotas, um clássico estadual que ficou 2 a 1 para a equipe de Pelotas. O substituto de Breno deverá ser Capixaba, cria da base do Atlético.

Outros nomes conhecidos da equipe gaúcha são Renato Cajá, armador que quase chegou no Cruzeiro em 2015, e Wagner, que atuou no meio-campo cruzeirense entre 2004 e 2009 – foram 218 partidas com a camisa azul celeste. 

Provável escalação: Marcelo Carnê; Wellington Silva, Wellington, Nery Bareiro, Eltinho; João Paulo, Gustavo Bochecha; Wagner, Renato Cajá; Dalberto, Capixaba. Técnico: Pintado.

Cruzeiro x Juventude
16ª rodada do Brasileirão Série B
16/10/2020, 21:30 horas, Mineirão
Transmissão: SporTV (menos MG) e Premiere
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva  (PA)
Assistentes: Márcio Gleidson Correia Dias (PA) e Helcio Araujo Neves (PA).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários