Dia de confronto direto no Z-4: Cruzeiro, sob muita pressão, enfrenta o Oeste

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Lanterna contra vice-lanterna. Um confronto de dois times que estão desesperados e necessitam urgentemente de uma recuperação. Com objetivos diferentes dentro da Série B, Cruzeiro e Oeste estão em momentos terríveis. A Raposa está 13 pontos distante do G-4, a sua obrigação na competição. Já o Oeste tem 8 pontos de diferença para a sua meta, que é sair do Z-4 e permanecer na Série B. 

Sob muita pressão, Oeste e Cruzeiro se enfrentarão na tarde deste domingo, 11, na Arena Barueri, casa da equipe paulista, em partida válida pela 15ª rodada do Brasileirão Série B. O jogo acontecerá às 16 horas, no horário nobre e contará com transmissão da TV Globo para Minas Gerais. SporTV e Premiere também transmitirão.

Após a vitória do Guarani sobre o CRB, nesta sexta, 10, o Cruzeiro se tornou o 19º colocado e se aproximou do rival desta tarde, Oeste. A equipe mineira tem apenas 11 pontos, mas se vencer poderá deixar a zona de rebaixamento.

Chegando aos 14 pontos, a Raposa certamente ultrapassaria Guarani e Figuereinse. Para sair do Z-4, além de vencer, o cruzeirense deve torcer para não acontecer um empate entre Botafogo-SP e Sampaio Corrêa. A equipe derrotada perderia a posição para o Cruzeiro, já que a Raposa tem mais vitórias que todos os seus concorrentes diretos. 

Já a equipe paulista almeja encurtar a distância para deixar a zona de rebaixamento. Com apenas quatro vitórias no ano e só um triunfo após a pausa, o Oeste é, com sobras, o pior time da competição. São 10 derrotas em 14 jogos de Série B, um número inaceitável para qualquer clube.

O retrospecto da partida terá início nesta tarde. Cruzeiro e Oeste nunca se enfrentaram, visto que a Raposa está participando pela 1ª vez da Série B e o Rubrão nunca subiu para a Série A. A melhor campanha da equipe paulista na 2ª divisão foi um 6º lugar, em 2017.

O Cruzeiro vem de uma derrota vexatória para outro rival direto da zona do rebaixamento. Em casa, a Raposa perdeu para o Sampaio Corrêa, o qual conseguiu deixar o Z-4 e se recuperar. O placar de 2 a 1 foi construído sobre vários erros individuais da equipe de Belo Horizonte. Com a derrota da última quinta, o Cruzeiro aumentou a sequência terrível: nos últimos 11 jogos, foram 7 derrotas, 3 empates e apenas 2 vitórias, aproveitamento de 27,2%.

Como reflexo da má atuação da última partida, Ney Franco poderá optar por colocar outros jogadores em campo, neste domingo, 11. Giovanni, o ponto mais fraco da no duelo com o Sampaio Corrêa, deve ficar no banco. Henrique, outro muito contestado pela torcida, não treinou na sexta e, provavelmente, ficará como suplente. 

A defesa deve ter mudanças. No lugar de Giovanni, Daniel Guedes será utilizado invertido. Com isso, Rafael Luiz assumirá a lateral direita. Na zaga, Cacá poderá retornar no lugar de Ramon, já que Manoel está em boa fase, mesmo com a equipe em crise. 

Se Ramon não for titular na defesa, o ex-atleta do Vitória poderá ser usado como 1º volante, na vaga de Henrique e ao lado de Machado. Jadsom também é opção para esta função, no entanto, Ney Franco não depositou muita confiança na cria da base nos últimos jogos. 

Em meio a muitas críticas e reclamações justas da torcida, Ney Franco treinou diversas variações táticas, a fim de descobrir a melhor forma de entrar em campo. Para o meio, o treinador testou a entrada de Jadson, volante que estava no Cruzeiro em 2019 e foi emprestado e devolvido pelo Bahia. Ele pode fazer a função de um 3º volante. 

Existem dúvidas sobre a entrada de Jadson como 3º homem de meio-campo e quanto a utilização das peças ofensivas. Régis e Maurício seguem disputando uma vaga. Airton, único velocista da equipe, não deve perder espaço. Arthur Caíke fica muito desligado em campo e pode ser suplente. Sassá deve ser mantido. 

As novidades do banco ficam por conta da presença de Welinton e Adriano, além da não utilização de Ariel Cabral, volante que nem viajou para Atibaia. O argentino está a caminho do Goiás, time de Enderson Moreira.

Provável escalação: Fábio; Rafael Luiz, Manoel, Ramon (Cacá), Daniel Guedes; Jadsom (Ramon), Machado; Airton, Régis (Maurício), Arthur Caíke (Jadson); Sassá. Técnico: Ney Franco.

Sobre o adversário

A pior defesa, com 26 gols sofridos em 14 jogos – média de quase 2 gols por jogo. O pior ataque, juntamente com o Botafogo-SP e Figueirense, com 9 gols feitos, média de 0,64 gols por partida. Um desempenho terrível do Oeste, 20º colocado e que não quer repetir o feito do Paulistão: a equipe foi rebaixada no estadual com a pior campanha. 

Por causa da lanterna e por ter apenas uma vitória em 14 jogos, o Oeste buscou um novo treinador. Thiago Carpini, ex-treinador do Guarani, assumiu a equipe há duas partidas e ainda não pontuou. O técnico enfrentou a Raposa nesta Série B, ainda no Bugre, e foi derrotado por 3 a 2, em casa. O Cruzeiro deseja impor nova derrota a Thiago.

Para o confronto deste domingo, o Oeste não terá mais desfalques, só os mesmos da última partida, contra o Operário. Com isso, o treinador poderá optar pela mesma escalação. A equipe de Thiago Carpini conta com dois atletas campeões brasileiros pelo Cruzeiro; Luan, atacante, e Nilton, volante. Ambos estão aprimorando a parte física e devem ficar no banco. 

Provável escalação: Luiz; Éder Sciola, Renan Fonseca, Caetano, Gustavo Salomão; Caio, Betinho, Yuri; Marlon, Mazinho, Welinton. Técnico: Thiago Carpini.

Oeste x Cruzeiro
15ª rodada do Brasileirão Série B
11/10/2020, 16 horas, Arena Barueri
Transmissão: Globo Minas, SporTV e Premiere.
Árbitro: Alisson Sidnei Furtado (TO)
Assistentes: Natal da Silva Ramos Júnior (TO) e Fernando Gomes da Silva (TO).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários