Com autoridade, Atlético vence, convence e abre 5 pontos na liderança

Reprodução Twitter

Uma 1ª parte perfeita do Galo. Um 2º tempo com controle do jogo. O Atlético venceu, convenceu e, com muita justiça, abriu 5 pontos de vantagem na liderança. Com muita intensidade e velocidade, o Galo virou o jogo rapidamente, após levar um lindo gol, e deu sequência ao bom momento em casa: são 11 vitórias consecutivas no Mineirão e 100% de aproveitamento como mandante no Brasileirão. 

A última partida deste domingo, 04, presenciou uma bela vitória atleticana no Mineirão. O placar do Gigante da Pampulha marcou 4 a 1 para o líder do campeonato. Todos os gols foram marcados na 1ª etapa – Guilherme Arana, Savarino, Guga e Keno para o Atlético e Martín Benítez para o Vasco.

Com o resultado, o Galo abriu uma boa distância na liderança. O Atlético tem 27 pontos em 12 jogos – 9 vitórias e apenas 3 derrotas – e abriu 5 pontos para Palmeiras e Internacional, times que estão empatados na 2ª posição. Vale ressaltar que Palmeiras e Atlético tem um jogo a menos.

Já o Vasco perdeu a oportunidade de voltar ao G-4. Com a derrota, o time permaneceu com 18 pontos, em 12 jogos, e está na 9ª posição, porém apenas 4 pontos atrás do 2º colocado, Internacional. Ou seja, a distância atleticana para o 2º é maior que a distância do 2º para o 9º colocado. O Galo abriu uma bela vantagem.

O jogo ficou marcado pela intensidade e fome atleticana. A busca incessante ao gol é uma característica clara dos times de Sampaoli e cada dia mais o Atlético apura esta forma de jogo. Uma partida que beirou a perfeição e, mesmo sem transparecer, Sampaoli deve ter ficado bastante satisfeito. 

Como ponto positivo do jogo é necessário destacar o jogo coletivo. Todos os atletas do Atlético foram bem e consagraram uma das melhores atuações do líder do Brasileirão. 

Vale destacar individualmente a partida dos laterais. Arana, como de costume, foi bem e apresenta uma regularidade incrível. Guga está cada dia melhor, entendendo o “Sampaolismo” e coroou mais uma boa atuação com o seu 1º gol no Galo. 

Jair e Alan Franco, mesmo não fazendo gols e nem dando assistências, foram importantíssimos para a partida do Galo, pois estes dois pressionaram com muita efetividade e conseguiram roubar a bola vascaína – as duas jogadas que acabaram em pênaltis começaram em interceptações deles.

O jogo

Um 1º tempo frenético. 45 minutos, 5 gols e muita emoção. Uma pressão incansável feita pelo Atlético que resultou em gols. Uma 1ª parte de manual de times ofensivos e que almejam vencer. O DNA de Sampaoli foi visto em campo.

Mas quem saiu vencendo foi o Vasco. Aos 8 minutos, Carlinhos, volante vascaíno, cobrou lateral na área e Réver falhou. O capitão tentou recuar para Éverson, mas não contava com a penetração inteligente de Martín Benítez. O camisa 10 do Vasco dominou no peito e girou uma linda bicicleta. Um golaço do excelente armador vascaíno. 

No entanto, a empolgação e a vantagem do Vasco duraram 5 minutos. No minuto 13, Guga cruzou rasteiro e Nathan, com muita inteligência, ajeitou para trás. Guilherme Arana chegou e bateu firme com a perna esquerda. Era o empate atleticano.

Aos 18, Keno fez fila na esquerda e, quando estava perdendo o equilíbrio, tocou para Savarino. A bola ainda desviou em Andrey e sobrou para o ponta venezuelano. Savarino conseguiu virar um voleio baixo, porém muito forte, com a perna esquerda, e balançou as redes de Fernando Miguel. 2 a 1 no placar.

O jogo seguiu intenso. O Atlético pressionava e o Vasco não conseguia jogar. Em uma destas pressões bem exercidas, no minuto 26, Jair interceptou a saída e a bola foi para o meio da área. Nathan chegou antes e colocou o corpo. Carlinhos chegou atrasado e derrubou o camisa 23 atleticano. Penalidade máxima para o Galo.

Guga pegou a bola para bater o pênalti. Boa parte dos atleticanos se perguntou “Por que Guga?” e a resposta apareceu na cobrança. No seu 56º jogo com a camisa alvinegra, Guga fez seu 1º gol. O lateral bateu no canto esquerdo de Fernando Miguel e ampliou o placar.

Para fechar o brilhante e intenso 1º tempo, o Atlético fez o 4º gol aos 35. Alan Franco pressionou, roubou a bola e driblou. Ao entrar na área, Leandro Castán, cria da base atleticana, derrubou o equatoriano. Outro pênalti para o Galo.

Desta vez Keno pegou a bola. O artilheiro do Atlético na temporada colocou a bola na marca da cal e bateu com muita confiança. Novamente, bola para um lado e Fernando Miguel para o outro. Novamente, no canto esquerdo do goleiro. Era o 4º gol atleticano e um “passeio” se consolidando.

Um placar de 4 a 1 no intervalo e todos os torcedores empolgados. O time jogou muito bem e a vitória já estava encaminhada. Sampaoli estava tranquilo? De forma nenhuma. Em diversas oportunidades o treinador argentino foi flagrado nervoso e inquieto. Padrão Sampaoli. E talvez isto seja o combustível para este Atlético frenético.

O 2º tempo iniciou da mesma forma: Atlético dominando e, quando o Vasco tinha a posse de bola, uma pressão atleticana não permitia o time carioca de sair. 

O Galo teve duas oportunidades para fazer o 5º gol, ainda no início da 2ª etapa. Aos 11 minutos, Eduardo Sasha achou Nathan entrando na área. O camisa 23, que saiu sentindo 10 minutos depois, chutou, mas bateu mal. No lance seguinte, Savarino cruzou e a bola sobrou para Arana. O lateral errou a direção na sua finalização. 

No minuto 15, Andrey, volante vascaíno, foi expulso e decretou a vitória atleticana. O Vasco já não estava conseguindo atacar e, com um homem a menos, a tarefa ficou bem mais complicada. Com isso, o Atlético controlou o jogo, promoveu substituições importantes para o elenco, como a entrada de Dylan e Marrony, e venceu a partida. 

Aos 32, Allan, volante que ficou no banco novamente, aproveitou um cruzamento rasteiro de Arana e bateu forte. A bola acertou o travessão vascaíno.

O Atlético controlou o restante da partida e venceu. Uma partida para se consolidar ainda mais na liderança. Uma bela exibição de um grande favorito ao título. Cada dia mais, o time alvinegro aparenta ter compreendido a filosofia de Sampaoli.

É seguir nessa pegada. O Atlético está no caminho certo. Calma, pé no chão e confiança no trabalho são conceitos primordiais para seguir em busca do Brasileirão. É o objetivo da equipe. É o sonho do torcedor. Faltam 26 jogos.

O Atlético volta a campo na próxima quarta, 07, às 21:30, contra o Fortaleza, no Castelão. 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários