Cruzeiro perde para o Avaí, se afunda em crise e soma 5 derrotas em 11 jogos

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Segue o tabu. Já são 10 jogos em sequência sem vencer o Avaí. E continua o desespero do Cruzeiro, que pode descer ainda mais na tabela. O aproveitamento cruzeirense é o reflexo do desempenho. Foi a 5ª derrota em 11 jogos, mostrando que mudanças devem acontecer no Cruzeiro, para que o objetivo possa ser alcançado.

Mais uma vez o Mineirão presenciou uma atuação pífia do Cruzeiro. Nesta oportunidade quem aproveitou foi o Avaí. O time catarinense fez o placar de 1 a 0, graças a gol de Pedro Castro e saiu com os três pontos de Minas Gerais. 

Com a vitória nesta sexta, 25, o Avaí chegou na 11ª posição, com 13 pontos. Já a Raposa segue no 15º lugar, mas existe a possibilidade de chegar até na 19ª posição. A distância para o objetivo do Cruzeiro está cada dia mais longe. Já são 10 pontos que separa a equipe mineira da 4ª posição. 

Mais uma atuação ruim do Cruzeiro, que contou com uma partida muito boa da defesa do time catarinense. O Avaí, liderado por Ralf, ídolo do Corinthians, evitou gols de uma Raposa quase inoperante. 

De novo não existiu meio-campo. O time mineiro não criou grandes oportunidades e os melhores lances do Cruzeiro foram de escanteio ou em chutes de fora da área. O ataque não ajudou e viu a defesa falhar novamente. Mudanças urgentes devem ser feitas no time azul celeste. 

O jogo

O Cruzeiro fez um 1º tempo razoável. A equipe teve a bola, conseguiu impor o seu jogo e viu um Avaí compactado, que praticamente não saiu para o ataque. Enquanto o jogo estava no início, não havia tanta pressão, o psicológico ajudava e o time conseguiu jogar.

No minuto 24, Daniel Guedes cobrou escanteio pela direita e Cacá cabeceou bem. O goleiro do Avaí fez grande defesa, na melhor chance da Raposa no jogo. A outra boa chance do time azul celeste foi aos 44, quando Machado cobrou falta e Manoel cabeceou. Como não pegou em cheio, a bola do zagueiro cruzeirense foi para fora. 

O 1º bom ataque do time de Santa Catarina foi em um contra-ataque. Gastón Rodríguez abriu para Rildo, que tentou acelerar, porém perdeu a passada. O ponta ex-Santos tentou devolver em Gastón, mas Ariel Cabral fez a cobertura e salvou o Cruzeiro.

O time de Belo Horizonte até que tentou, teve volume de jogo na 1ª etapa, mas não teve inspiração. A criação e a eficiência nas finalizações já indicavam que o Cruzeiro estava em um dia ruim. O time teve 65% de posse de bola, finalizou 11 vezes, todavia 2 no gol.

Apenas Geninho mexeu na equipe durante o intervalo. Além da substituição, o Avaí mudou a postura. O time catarinense subiu sua linha de marcação e pressionou a saída do Cruzeiro. E quase deu certo.

A pressão fez com que Fábio trabalhasse com os pés e o experiente goleiro deu no pé de Renatinho. Por sorte cruzeirense, o meio-campista do Avaí dominou mal e a bola retornou para Fábio.

Após este susto, o Cruzeiro reagiu. Com a entrada de Régis e Marquinhos Gabriel, a equipe mineira voltou a preencher o campo ofensivo e chegou perto do gol adversário em duas oportunidades. 

Aos 14, Marquinhos Gabriel fez um excelente cruzamento rasteiro e Marcelo Moreno não chegou a tempo. Logo depois, no minuto 15, Arthur Caíke recebeu cruzamento de Daniel Guedes e testou para fora. No lance foi pedido pênalti, pois o lateral Arnaldo trombou em Arthur com mais força que o permitido.

A pressão pelos 3 pontos aumentou na parte cruzeirense. Bateu o desespero e, consequentemente, aumentaram os espaços para o Avaí. Com isso, o time catarinense aproveitou.

Após lançamento despretensioso do lateral esquerdo Capa, Getúlio recebeu em meio aos dois zagueiros, pois Manoel estava bem adiantado. O atacante do Avaí aproveitou este espaço deixado pelo camisa 32 e ao ser marcado por Cacá, que fez a cobertura, cruzou na 2ª trave. Pedro Castro chegou livre e testou firme no canto direito de Fábio. 

O time se desesperou ainda mais. Régis e Matheus Pereira até acertaram o alvo nos minutos finais, mas Lucas Frigieri fez boas defesas. O placar marcou 1 a 0 para o time catarinense. Foi mais uma derrota em casa, a 3ª na Série B.

Foram incríveis 50 cruzamentos na área durante toda a partida, dado que mostra a falta de variação de jogadas do Cruzeiro. Não é possível citar nenhum destaque unânime da partida. O time teve a bola, mas errou demais. Régis e Marquinhos Gabriel tiveram maior criatividade no meio-campo, porém nada que acarretou em gol.

É mais um imenso tropeço cruzeirense. Um gigante não pode se acomodar nessa situação. O olhar, infelizmente para os torcedores, deixa de ser para o G-4. O foco deve ser se afastar do Z-4. É uma nova realidade de um novo e decepcionante Cruzeiro. Até quando a inoperância e a falta de eficiência vai dominar a equipe cruzeirense?

Na próxima quarta, 30, o Cruzeiro enfrenta a Ponte Preta, às 19:15, no Mineirão.

Números da partida
Cruzeiro                 Avaí
72% Posse de bola 28%
26 Finalizações 4
6 Finalizações no gol 2
15 Escanteios 3
1 Impedimentos 0
20 Faltas 18
502 Passes 203
427(85%) Passes certos 104 (51%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários