Análise | Com direito a hat-trick perfeito de Keno, Atlético vence e assume a liderança

Foto: Pedro Souza/Atlético

Líder. 70% de aproveitamento. Uma vitória gigante fora de casa, em um jogo complicadíssimo. O Atlético emplaca a 2ª vitória consecutiva, aproveita outro tropeço do Internacional e chega à liderança.

O placar “bailarino” representa bem como foi maluco o jogo. Foram 6 gols na 2ª etapa. Por mérito atleticano, 4 destes tentos foram marcados pela equipe, evidenciando a excelente 2ª parte que o Galo fez.

O Atlético volta a campo no próximo sábado, 26, contra o Grêmio, no Mineirão, às 21 horas.

Um adversário bastante indigesto

A atuação do Atlético-GO é digna de ser destacada. Mesmo com um plantel bem inferior, o time goianiense manteve uma postura agressiva e pressionou bastante, ainda mais na 1ª etapa, onde finalizou 9 vezes, 5 no gol e abriu o marcador.

Infelizmente, para os comandados de Vagner Mancini, o Galo conseguiu virar e impor seu jogo após o intervalo. O Dragão fez, com certeza, uma das suas melhores partidas no campeonato, provou que pode sonhar com feitos maiores no Brasileirão, diferentemente do objetivo imaginado, que era apenas permanecer na Série A.

Primeira etapa goianiense

O Galo teve a bola, mas errou bastante. O alvinegro mineiro finalizou apenas 5 vezes e obrigou Jean a fazer uma grande defesa apenas no chute de Alan Franco, aos 12, quando o goleiro defendeu com a perna. Keno ainda teve uma grande chance na 1ª etapa, porém errou feio.

O Atlético-GO coroou a sua boa atuação na 1ª parte com um golaço do volante Oliveira. Uma bomba da meia-lua que encontrou o ângulo de Éverson, no minuto 20. 10 minutos depois, Savarino até marcou, em bom cruzamento de Keno, entretanto o venezuelano estava impedido.

Segunda parte determinante à vitória

Nathan e Igor Rabello no lugar de Allan e Guga. A jogada de xadrez de Sampaoli acarretou um tempo muito melhor para a equipe mineira. Igor corrigiu os problemas de marcação do lado direito e Nathan organizou o meio-campo, além de sofrer o pênalti do 1º gol e marcar o 2º.

O Galo finalizou mais vezes, acertou o travessão e fez 4 gols, definindo o placar. O hat-trick de Keno aconteceu entre os 5 e os 32 minutos da 2ª etapa, ou seja, 27 minutos para o ponta decidir o jogo. Ferrareis e Gilvan até marcaram, aos 9 e 47, respectivamente, porém não evitaram o revés para o time goiano.

Liderança, melhor aproveitamento e ataque

Aproveitando a derrota do Internacional para o Fortaleza, o Atlético assumiu a liderança com 21 pontos, 1 ponto a mais e 1 jogo a menos que o Colorado. Com aproveitamento de 70%, o Galo chama a atenção.

O gigante de BH tem o melhor ataque da competição, com 18 gols, média de 1,8 por partida. Só deixou de marcar em um jogo, contra o Internacional.

Enfim, Keno mostrou o porquê da sua contratação

Parecia que Keno estaria em mais uma daquelas suas noites ruins. Muito cobrado pela torcida nas redes sociais, Keno acertou vários lances no 1 contra 1 no jogo, porém errou uma chance claríssima no final da 1ª etapa.

Por sorte do Atlético, Keno voltou inspirado do vestiário. Durante o jogo, foram 6 finalizações, 1 vez na trave e 3 chutes que balançaram a rede adversária. Keno, finalmente, correspondeu às expectativas. Uma atuação digna daquele Keno, que foi muito bem no Palmeiras.

Um hat-trick completo, pois Keno fez um gol de perna direita, no pênalti muito bem batido, um tento de perna esquerda, na bola mal recuada pelo adversário, e um gol de cabeça, após excelente cruzamento de Mariano. É, Keno não estava para brincadeira.

Sampaoli, Nathan e Éverson: peças importantes

O treinador argentino é especial. Entende muito de futebol e, novamente, foi muito bem nas substituições. Em algumas vezes o time não entra bem ou até é surpreendido pela postura adversária. Nessas ocasiões, o treinador deve alterar o seu plano e é normal isso. Jorge Sampaoli foi muito bem na sua estratégia.

Ele colocou Rabello e Nathan após o intervalo e foram mudanças preponderantes para o time encaixar. Nathan fez outra boa partida e se consolidou como artilheiro da temporada, com 5 gols. Já Éverson, goleiro pedido e bancado por Sampaoli, fez uma grande exibição, mesmo sofrendo 3 gols. Ele fez uma intervenção importantíssima aos 11 da 1ª etapa e realizou uma defesa espetacular nos últimos minutos.

Guga não estava no seu melhor dia

O lateral direito foi substituído no intervalo com razão, já que ele não estava bem na partida e deu bastante espaço nas suas costas. As principais jogadas da 1ª etapa aconteceram pelo seu lado, onde ele deixou muitas brechas. Por exemplo, a jogada do 1º gol e a grande jogada com Ferrareis, que obrigou Éverson a pegar cara a cara, aconteceram do lado direito da defesa.

A joia estreou

A torcida estava ansiosa por este momento. Queridinho da massa, Savio, de apenas 16 anos, estreou e atuou por mais de 10 minutos. Não conseguiu fazer uma grande jogada, pois não teve tempo suficiente. Conseguiu um bom drible, mas estava sozinho no contra-ataque e tentou voltar.

Savinho é uma joia a ser lapidada e, por isso, o Atlético deve ter cuidado em expor o menino. No entanto, Sampaoli aparenta confiar no jovem. Ele joga muita bola. Sávio é diferente. Com calma, tempo e paciência, o Galo terá um grande jogador oriundo da base no time principal.

Números da partida
Atlético-GO Atlético-MG
44% Posse de bola 56%
15 Finalizações 14
9 Finalizações no gol 8
6 Escanteios 4
1 Impedimentos 4
16 Faltas 14
2 Grandes chances 6
1 Grandes chances perdidas 2
0 Finalizações na trave 1
360 Passes 468
273(76%)Passes certos 394(84%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários