Atlético vence o Red Bull Bragantino por 2 a 1 e aproveita tropeços de rivais

Foto: Pedro Souza/ Atlético

O jogo não foi fácil. O duelo contra o Bragantino foi mais complicado do que o imaginado. O Atlético sofreu, perdeu pênalti e não fez uma das suas melhores apresentações. No entanto, fez por merecer o resultado, saiu de campo vitorioso e aproveitou o deslize dos rivais.

Com gols de Réver e Savarino pelo Galo e Alerrandro para o Massa Bruta, o Atlético venceu o Red Bull Bragantino por 2 a 1 neste domingo, 13, no Mineirão. Com este bom placar, o time mineiro segue 100% de aproveitamento no Gigante da Pampulha. 

O resultado foi gigante. A atuação nem tanto. Porém, um time que almeja vencer a competição deve ganhar de qualquer forma. E isso aconteceu em uma rodada, até então, perfeita para o Atlético.

No início da rodada, o Galo estava na 5ª posição. O líder, Inter, e o vice líder, Flamengo, perderam. São Paulo empatou com o Santos. Palmeiras empatou com Sport. Com estes resultados e a vitória atleticana, o Galo alcançou a 2ª posição do Campeonato Brasileiro, com 1 jogo a menos e 2 pontos atrás do time gaúcho.

Os 3 pontos vieram. A atuação deixou a desejar, ao comparar com as outras partidas vencidas. Faltou intensidade e criatividade. A falta de Sampaoli na beirada de campo pode ter sido crucial para o desempenho inferior, visto que o treinador grita e cobra muito dos atletas. 

O jogo

O início do 1º tempo foi bem morno. Até os 20 minutos, a bola não havia chegado em nenhum dos gols. O Atlético estava tentando se organizar em campo, por causa das mudanças promovidas por Sampaoli. 

No minuto 22 aconteceu a primeira boa trama atleticana. Maílton virou da direita para o meio e encontrou Alonso. O zagueiro paraguaio, que estava atuando mais adiantado, virou e achou Arana. O lateral cruzou e Alan Franco bateu. A bola foi bloqueada pelo zagueiro.

Aos 28 minutos, Maílton foi lançado e cruzou. A bola foi bloqueada por Léo Realpe, bom zagueiro do Bragantino. Na cobrança de escanteio, Arana colocou a bola na cabeça de Réver. O capitão testou firme e abriu o placar para o Galo.

O Bragantino chegou apenas uma vez na 1ª etapa. Claudinho aproveitou um “bate rebate” na área e dominou a bola pela esquerda. Ele armou o chute e bateu chapado no canto esquerdo de Éverson. O estreante da noite pulou e fez boa defesa.

O Atlético ainda teve uma boa chance no final da 1ª etapa. Maílton, muito acionado na ponta direita, fez boa jogada e cruzou. Savarino passou da bola, que acabou batendo nos pés do zagueiro Léo Ortiz. Quase gol contra do Bragantino.

Logo no início da 2ª parte, o empate do time paulista. Artur veio da direita para o meio e tocou para Lucas Evangelista. O meio-campista estava livre no meio da área e chutou. A bola bateu no travessão e nas costas do goleiro Éverson. O lance sobrou para Alerrandro empurrar sem goleiro. A “lei do ex” é cruel. Gol da cria da base atleticana. 1 a 1 no marcador.

Aos 17 minutos, a grande chance desperdiçada. Keno fez boa jogada individual e tabelou com Arana. O ponta esquerda, que havia acabado de entrar, foi derrubado na área e o juiz, convictamente, marcou a penalidade máxima.

Sasha pegou a bola e bateu, mas foi muito mal na cobrança do pênalti. Tocou fraco no canto esquerdo de Júlio César, que pulou bem e espalmou a bola.

No lance seguinte, Savarino aproveitou escanteio desviado e chutou firme. A bola bateu na trave. No rebote, Alonso cortou, chutou e obrigou Júlio César a salvar novamente. Em mais um rebote, Sasha marcou, no entanto estava impedido. 

O jogo estava aberto, porém nenhum dos times chegava com autoridade. No Atlético faltava intensidade e falhava na transição. Porém, Keno acertou algumas jogadas no 1 contra 1. E, em uma dessas, Keno criou o lance que determinou o resultado. 

O ponta esquerda jogou na frente no duelo com Aderlan e cruzou forte. Savarino, com muita velocidade, chegou e bateu firme. Júlio César, em grande noite, fez outra boa defesa. No entanto, a bola havia entrado. Era o gol de Savarino. Era o gol da vitória.  

Fim de jogo. 3 pontos importantíssimos. Nos últimos anos que o Galo estava disputando o título, estas partidas eram pontos perdidos. O Atlético está diferente. Mesmo em um dia não tão brilhante, venceu e se aproximou da liderança.

Sampaoli e sua comissão colocaram em campo uma escalação diferente. Maílton, como ponta, fez um bom 1º tempo, sendo bastante agressivo. Keno e Savarino até renderam mais, comparando com os últimos jogos. Allan e Alonso, novamente, foram muito bem. Nathan voltou e teve alguns minutos para ganhar ritmo.

O Galo venceu. 3 pontos na conta e, agora, uma semana de folga. Após 7 semanas com jogos a cada 3 ou 4 dias, o Atlético terá um descanso maior. Não foi a melhor apresentação, mas foi o melhor resultado: a vitória. 

O Atlético volta a campo no próximo sábado, 19, às 21 horas, contra o Atlético-GO, no Estádio Olímpico. 

Números da partida
Atlético x RB Bragantino
63% Posse de bola 37%
14 Finalizações 12
7 Finalizações no gol 4
8 Escanteios 3
5 Impedimentos 0
13 Faltas 18
3 Grandes oportunidades 1
1 Grandes oportunidades perdidas 0
1 Finalização na trave 1
553 Passes 308
474(86%) Passes certos 231(75%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.