Atlético é derrotado pelo Santos em noite atípica dos goleiros

Foto: Ivan Storti/Santos FC

Não foi a noite dos goleiros atleticanos e, com certeza, foi uma das melhores partida da carreira do goleiro santista.

Com boas defesas, João Paulo, arqueiro do time da Vila, segurou os 15 minutos de pura pressão atleticana. Rafael comprometeu os outros 75 com sua expulsão acarretada por um erro bisonho de Mariano. Victor falhou quando a bola foi no gol. Com isso, o Santos derrotou o Atlético por 3 a 1, nesta quarta, 09, na Vila Belmiro.

Por mais um ano, o Atlético não consegue vencer o Santos na Vila. O tabu perdura desde 2009 e novamente o Galo saiu derrotado da baixada santista. Com o resultado, o Atlético fica na 4ª posição. Foi ultrapassado pelo Flamengo, que assumiu a vice-liderança. Já o Santos chegou na 6ª colocação, dois pontos atrás do Galo.

O jogo pode ser dividido entre um excelente 1º tempo e uma horrível 2ª etapa. Mérito do Santos, que suportou a pressão atleticana nos 45 minutos iniciais, e construiu a vantagem aproveitando falhas dos laterais do Atlético.

Comprometido por um erro de Mariano e o desespero de Rafael, o Atlético passou 75 minutos sem um jogador e teve que correr muito para conseguir equiparar. Na 1ª etapa conseguiu e proporcionou um bom jogo, com 14 finalizações. No 2º tempo faltou perna e o nervosismo bateu. O Galo não finalizou nenhuma vez no gol na 2ª parte e deixou o Santos jogar. Uma derrota dolorida na Vila.

Nos 15 minutos iniciais houve uma blitz atleticana que foi apagada pela expulsão de Rafael. Aos 3, Sasha foi lançado e finalizou. João Paulo espalmou e Savarino bateu travado. 2 minutos depois, Marrony driblou bem, bateu duas vezes e em ambas foi bloqueado.

O lance mais incrível da primeira etapa foi originado de um escanteio batido pela esquerda. João Paulo tirou mal, Sasha chutou e foi travado. Em seguida, Savarino tentou e obrigou o goleiro santista a buscar a bola no canto. No rebote, Sasha bateu e, inexplicavelmente, João Paulo pegou novamente.

No minuto 16 aconteceu o momento da partida. Mariano errou a virada de jogo e encontrou Marinho, que estava no meio do campo e sairia livre. Rafael tentou evitar e deu um carrinho. O goleiro recebeu o cartão vermelho. Victor, ídolo histórico da equipe, entrou em campo para substituir Rafael. Entrou frio e em uma fria. 

Na primeira bola chutada na meta atleticana, gol do Santos, em grande falha de Victor. Mariano não estava na sua posição e Igor Rabello não conseguiu acompanhar o jovem Lucas Braga. O atacante entrou em velocidade na área e bateu. Victor deixou a bola passar por debaixo das suas pernas.

Uma postura admirável do Atlético foi a conduta na 1ª etapa, mesmo após a expulsão. O time, com menos um jogador, seguiu atacando e conseguiu equilibrar o jogo e finalizar bem mais que o adversário. E foi premiado no minuto 34.

Em saída errada de Jobson, Sasha roubou e acelerou. Allan abriu na esquerda, mas Sasha preferiu esperar a chegada de Alan Franco. E estava certo. O atacante tocou para Franco, que chegou bem e bateu. A bola desviou em Alex e matou o ótimo goleiro santista. 1 a 1 estava no placar.

Todavia, o empate durou pouco. 4 minutos depois, Sánchez lançou o lateral Madson nas costas de Guilherme Arana. Ele cruzou e encontrou Marinho. O craque do Santos não perdoou e marcou o seu 5º gol no Brasileirão.

O Santos ainda teve um gol anulado no final de um 1º tempo maluco. Marinho achou Madson novamente nas costas de Arana. O lateral bateu forte e marcou, mas ele estava impedido. Acabou o excelente primeiro tempo com o marcador indicando 2 a 1.

O segundo tempo foi bem mais morno. Logo no intervalo, Atlético colocou Keno no lugar de Savarino, mas não conseguiu imprimir o mesmo ímpeto ofensivo e o Santos teve mais a bola. Até os 30 minutos, a bola não havia chegado em nenhum dos gols.

Quando chegou, o Galo sofreu gol novamente. Mas, pela segunda vez, o ataque santista estava adiantado. Marinho foi lançado e acertou no canto de Victor. Acertadamente, o bandeirinha marcou impedimento e anulou o gol de Marinho.

Sampaoli até que tentou adiantar a equipe. Só que o time alvinegro de Minas não correspondeu e acabou sofrendo mais um. Em uma saída errada com os pés de Victor, Alonso cometeu pênalti em Marinho. Quem sofreu, bateu. Marinho decretou o 3 a 1 no placar.

Um jogo muito condicionado pela expulsão prematura de Rafael. A escalação de Sampaoli até aparentava ter sido uma boa escolha, pela pressão inicial, porém os erros defensivos acarretaram em três gols.

Uma partida muito ruim de Arana e Mariano. Os dois alas, pressionados pela disputa com Marinho e Soteldo, erraram muito e prejudicaram o jogo do Atlético. Rafael, como citado anteriormente, falhou e pagou com a expulsão. Victor, ídolo e indiscutivelmente um dos maiores da história do Atlético, está se aproximando do fim do seu ciclo.

Foi um bom e corajoso 1º tempo. Foi uma 2ª parte sem criatividade e com os jogadores visivelmente nervosos. Não é terra arrasada, mas são apenas detalhes a corrigir, principalmente na questão da precisão nos arremates, para seguir lutando na parte de cima da tabela.

O Atlético volta a campo no próximo domingo, 13, às 18 horas, no Mineirão, contra o Red Bull Bragantino.

Números da partida
Santos Atlético-MG
42% Posse de bola 58%
8 Finalizações 16
4 Finalizações no gol 4
4 Escanteios 5
4 Impedimentos 1
11 Faltas 15
2 Grandes chances 3
0 Grandes chances perdidas 3
302 Passes 413
229(76%)Passes certos 325(79%)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários