Olhar tático | Guga ou Mariano, qual é a melhor opção para o Atlético?

Fotos: Pedro Souza / Atlético

Por Pedro Bueno

Uma posição que o Atlético está bem servida é a ala direita. Muitas pessoas especularam que a chegada de Mariano era um indício que Guga estaria de saída. Sampaoli fez questão de dizer que a contratação do lateral experiente iria agregar à posição, já que havia só o jovem Guga como opção. O argentino se esqueceu de Maílton.

Na verdade, Sampaoli enxerga Maílton como uma opção ofensiva do lado direito, como um ponta. O jogador, que chegou do Operário neste início do ano, atuou por apenas 6 minutos com o argentino no comando. Ele entrou no final da partida que o Atlético perdeu para o Botafogo.

Com Flamengo como um dos maiores interessados e o desejo dos times do leste europeu, Guga é um nome forte para girar dinheiro nos cofres atleticanos. Porém, com Sampaoli contando apenas com ele e Mariano, a negociação do atleta de 22 anos fica mais complicada de acontecer.

Além disso, a saída dele para o mercado brasileiro pode ser inviabilizado com a sua presença no próximo jogo do Galo, frente o Santos. Caso Guga entre em campo, o atleta fará a 7ª partida com a camisa alvinegra neste Brasileirão, impossibilitando que ele jogue com outra camisa. Se o Flamengo realmente tiver interesse em comprar o carioca, ele não poderá entrar em campo. 

Já Mariano, com seus 34 anos, retornou ao Atlético após 12 anos e é velho conhecido de Jorge Sampaoli. O lateral foi treinado pelo argentino no Sevilla, em um dos melhores momentos da carreira de Mariano.

A concorrência entre os dois atletas é boa ao Atlético. É uma competição em alto nível. Poucos times no Brasil tem duas boas opções nesta posição, visto que as laterais são os pontos mais carentes de vários times.

Outro ponto importante de ser ressaltado é que o acúmulo de jogos deve proporcionar maior rotação de elenco, ainda mais com Sampaoli, treinador que não repete escalação. Por isso, Guga e Mariano irão revezar bastante na temporada. Entretanto, qual é a melhor opção para o Atlético?

Com números, mapa de calor e estatísticas tentaremos evidenciar os principais pontos de cada jogador, a fim de explicar a contribuição tática e técnica de cada um dos atletas.

Neste brasileirão, Guga jogou 6 jogos, foi titular 5 vezes e atuou em 455 minutos. Já Mariano esteve presente em 4 partidas, 2 como titular e jogou 189 minutos.

Há uma clara vantagem do lateral mais jovem, já que Mariano chegou na volta do futebol e demorou a retomar a forma física. Nas últimas 6 partidas, contando as duas finais estaduais, Sampaoli optou por revezar. Um jogo foi Guga. Um jogo foi Mariano.

Com o número baixo de jogos deste ano para serem comparados, será levantado estatísticas da última temporada. Guga já estava no Atlético e Mariano estava no Galatasaray, da Turquia. 

Mapa de calor dos jogadores no ano passado. Guga à direita e Mariano à esquerda. Fonte: SofaScore.com

Como é possível ver nos mapas de calor acima, os dois atletas vão de área a área, tendo velocidade para ir e voltar. No mapa de Mariano é possível notar que o jogador busca o meio com maior frequência do que Guga, que fica mais aberto na ala.

Essa característica pode ser importante dependendo da formação utilizada e, principalmente, pelo adversário. Se o meio-campo atleticano estiver bem preenchido, é melhor ter alguém abrindo o jogo, como Guga faz com maior frequência. Caso Sampaoli opte por usar o lateral direito como um volante, durante a construção de jogo, Mariano tem maior familiaridade com esta função tática.

Serão expostos abaixo diversas estatísticas que fazem parte da vida de um ala. Vale ressaltar que Mariano, mesmo com seus 34 anos, fez 28 jogos em um campeonato de 34 partidas, mostrando que ainda tem um físico bom.

As estatísticas de Guga e Mariano na última temporada. Fonte: SofaScore.com

Nestes dados apresentados acima, é possível ter várias visões de como analisar e comparar os dois atletas. Mariano, com bons números no 1º tópico, aparenta ser mais inteligente no quesito da organização e criação, levando vantagem em quase todos os dados referentes aos passes. 

Dois pontos que chamam a atenção: a larga vantagem de Mariano na questão de lançamentos certos e bolas longas, uma possibilidade para Sampaoli explorar. Por outro lado, Guga é melhor em cruzamentos, característica importante para um lateral aberto que dá mais amplitude ao time.

Nos pontos de defesa, Mariano tem grande vantagem nos jogos sem sofrer gols, porém a equipe de Mariano estava melhor em 2019 do que a de Guga e este dado é algo mais coletivo do que individual.

Mesmo em números bem parecidos, Guga tem valores defensivos um pouco acima dos dados de Mariano. Com maior percentual nas questões principais deste tópico, como duelos ganhos no chão, Guga se destaca na comparação, mesmo em uma função que não é a especialidade do jovem lateral.

Porém, é importante citar que, com Sampaoli, os dois atletas estão se desenvolvendo bem e a questão defensiva é definido por um esquema tático bem encaixado. Logo, com a evolução do estilo de jogo de Sampaoli, os dois atletas devem se adaptar bem.

Por fim, um ponto importante de ser citado é a perda de posse na saída de bola. Em muitos momentos no esquema de Sampaoli, os laterais são usados como válvula de escape e necessitam de iniciar a criação de jogadas. Por isso é preponderante que os atletas desta função não desperdicem a bola. Guga tem números mais baixos no quesito de perda de posse de bola e se destaca nisso.

Enfim, é uma longa discussão. São números meramente ilustrativos e podem ser bem distintos na temporada atual. Porém a análise é válida e cada pessoa pode interpretar as características dos jogadores diferentemente. O debate e as comparações são feitas para isso. Apenas Sampaoli decidirá qual a melhor opção.

A verdade é que o Atlético poderá diversificar as formas de jogar pela ala direita. Guga e Mariano possibilitam essa variação tática para Sampaoli e ele utilizará bastante isso no restante do Brasileirão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários